Sábado, 11 de Julho de 2020
Produção

Genética, Nutrição e Ambiência: o que define os melhores índices zootécnicos para a produção de ovos?
Campinas, 29 de Junho de 2020 -

O ajuste nutricional das dietas das galinhas poedeiras é uma estratégia essencial para garantir e manter os dados produtivos das atuais linhagens do mercado. Esse ajuste é feito levando em consideração o desempenho das aves durante toda a fase produtiva.
Na recria, o acompanhamento do peso do lote, por exemplo, é um dado que nos orienta saber se é necessário ou não o ajuste nutricional da dieta, pois queremos que as aves fiquem dentro ou um pouco acima do peso padrão estabelecido em cada manual de linhagem.

Jéssica Conteçote Russo, Nutricionista Técnico Comercial de Aves de Postura Agroceres Multimix, nos explica que, hoje, alguns produtores não conseguem fornecer rações específicas para cada tipo de linhagem, sendo produzida, geralmente, uma ração mais adequada nutricionalmente para a linhagem que possui maior número de aves em seu plantel. “Já para produtores que possuem essa facilidade em sua fábrica de ração, conseguimos formular rações específicas de cada linhagem, tanto para os níveis dos macroingredientes da ração como, por exemplo, proteína e energia, como para os micro-ingredientes, vitaminas e minerais”, explica.

De uma maneira geral, algumas linhagens são mais exigentes – nutricionalmente - que outras, dependendo da sua idade; possuem uma capacidade de ingestão de alimento que é pré-determinada pela linhagem, sendo necessários alguns ajustes finos na formulação, principalmente em períodos mais críticos na produção. “Sabemos que os custos com alimentação são os que mais oneram a atividade da avicultura de postura, dessa maneira, ajustar os níveis da ração, de acordo com a exigência nutricional de cada linhagem e de acordo com cada idade, garante o desenvolvimento adequado da franga para a produção e obtenção da galinha formada para expressar o máximo do seu potencial genético no período de produção dos ovos; integridade da qualidade dos ovos e reduzindo os custos inerentes à alimentação”, disse. 

Jéssica Russo afirma ainda que o conhecimento dos dados produtivos, de desempenho e exigências nutricionais de cada linhagem, facilita o atendimento do potencial genético das aves. Os ajustes na nutrição, com o auxílio das análises bromatológicas dos ingredientes da ração, fornecem garantia da qualidade de cada matéria-prima, utilização dos diversos aditivos tecnológicos disponíveis no mercado, garantia de uma boa mistura e elaboração da ração, ou seja, podemos cada vez mais ter um maior sucesso na criação. “É muito importante essa troca de conhecimento e informações entre as genéticas e as empresas de nutrição, pois podemos trocar experiencias e melhorar cada vez mais o desempenho das aves e qualidade dos ovos.


As características das diferentes linhagens

Além da cor dos ovos (brancos ou vermelhos), as linhagens determinam diversas características das poedeiras, como: viabilidade na cria e recria, capacidade de postura das aves, pico de produção, a conversão de ração em ovos, a resistência a doenças, o percentual de ovos produzidos, persistência de produção e qualidade do ovo. “As linhagens de poedeiras de ovos marrons tem peso corporal maior, a maturidade sexual mais tardia, produzem menor número de ovos e consomem maior quantidade de ração, porém a viabilidade na fase de produção é semelhante das poedeiras brancas”, nos conta Jéssica.

O papel desempenhado pela ambiência para o máximo desempenho zootécnico

Dentre os diversos fatores que influenciam no desempenho das poedeiras, os ambientais, como: a temperatura, umidade relativa, ventilação e iluminação, assumem relevante importância no processo de criação das aves. O estresse térmico é um dos fatores mais críticos, podendo trazer efeitos negativos diretos na produtividade desses animais. Para um máximo desempenho zootécnico na produção de ovos, o papel da ambiência é fundamental, claro que aliado à nutrição, sanidade, genética, manejo e biosseguridade. “As linhagens atuais, utilizadas na produção industrial, parecem ser mais sensíveis a altas temperaturas, o que pode ocasionar redução do consumo de ração, queda na produção, piora na qualidade dos ovos e aumento da taxa de mortalidade. Por isso, é preciso monitorar o exato momento de redimensionar a densidade nutricional da dieta para não prejudicar a produção”, afirmou Jéssica Russo. “Os animais atingem a sua “produtividade ótima” quando são mantidos em ambiente termoneutro, ou seja, quando a energia do alimento não é desviada para compensar desvios térmicos em relação ao intervalo de termoneutralidade para eliminar ou manter o seu calor. Assim, o ambiente gerado pelo sistema de climatização nas instalações desempenha papel fundamental na avicultura, a qual objetiva alcançar alta produtividade, qualidade interna e da casca do ovo”, explicou a nutricionista da Agroceres Multimix.


O processo de produção de ovos com boas práticas de produção

Podemos entender por um processo de boas práticas de produção de ovos como um processo que assegura a qualidade interna e externa do ovo, garantindo o padrão de qualidade exigido pelo mercado interno e externo, os quais vêm se tornando cada vez mais competitivos e a qualidade dos produtos torna-se uma exigência. “O processo de produção de ovos com boas práticas de produção possui padrões de procedimentos a partir do alojamento das pintainhas até a produção dos ovos. Nesse sentido, a aplicação de boas práticas, em especial as que visam a preservação do meio ambiente, bem como o bem-estar animal e dos trabalhadores, devem ser consideradas para o progresso da atividade avícola e para a inserção definitiva do setor no mercado mundial de ovos”, afirmou Jéssica Conteçote Russo, Nutricionista Técnico Comercial de Aves de Postura Agroceres Multimix.




Jéssica Conteçote Russo, Nutricionista Técnico Comercial de Aves de Postura Agroceres Multimix:De uma maneira geral, algumas linhagens são mais exigentes – nutricionalmente”.


(OvoSite) (Redação)
|

Sábado, 11/07
Sexta-Feira, 10/07
VII Fórum Virtual Asgav & Sipargs debate mercado de grãos e sua relação na indústria de proteína animal (14:15)
Ovos: evolução diária apresenta comportamento anormal para o período (07:28)
Quinta-Feira, 09/07
João Henn, da Embrapa Suínos e Aves, aponta os principais pontos de evolução técnica da avicultura de postura (09:13)
Ovos: novo reajuste, 30º do ano, ainda está abaixo do recebido em 2016 (08:27)
Frango, ovo, milho e inflação no primeiro semestre de 2020 (08:08)
Ovo x Milho: matéria-prima corrói a recuperação de preços no mercado de ovos (06:28)
Quarta-Feira, 08/07
Em 2029 cada brasileiro consumirá 282 ovos por ano, estima FIESP (08:05)
Ovo x Milho: relação de troca segue desfavorável aos avicultores (07:12)
Ovos: preços seguem evoluindo e começam a dar maior sustentação aos negócios (07:05)
Terça-Feira, 07/07
Abastecimento de milho: maior preocupação é com o 1º semestre de 2021, diz Paulo Molinari, Analista de Safras & Mercados (08:06)
Ovos: semana inicia com novo reajuste (06:38)



Últimos Clippings
Com alta de 24,5%, exportações do agronegócio batem recorde para meses de junho e ultrapassam US$ 10 bilhões
FRANGO/CEPEA: apesar de queda nos embarques, preço interno da carne está firme
Comercialização de soja 2019/20 e da safra nova em junho foi mais lenta
Agronegócio responde por 72% das exportações catarinenses no primeiro semestre de 2020
Com recordes de valores de soja e milho, VBP de 2020 é estimado em R$ 716,6 bilhões

Nossos Parceiros
MSDseifun