Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020
Saúde Animal

Nota técnica do MAPA sobre o 2019NOVEL-CORONAVÍRUS
Campinas, 28 de Janeiro de 2020 - Diante da emergência de um novo vírus denominado 2019novel-Coronavírus, detectado na China em dezembro de 2019, com vários relatos de casos humanos de doença respiratória grave e morte em pessoas com histórico de viagens à cidade de Wuhan, na China, ou com contato com casos originados no local, já detectados em várias províncias daquele país e outros países, a Organização Mundial de Saúde (OMS) está monitorando a situação epidemiológica e fazendo alertas de prevenção e preparação a todos os países, que podem ser consultados em https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019.

Os Coronavírus comumente causam infecções também em animais, porém as investigações ainda estão em andamento para identificar a fonte animal (incluindo espécies) e estabelecer o papel potencial de um reservatório animal nessa doença.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está acompanhando a situação em contato com o Ministério da Saúde, que já emitiu orientação técnica para vigilância e atenção à saúde no Brasil em conformidade com diretrizes da OMS, que podem ser verificadas no Boletim Epidemiológico 4, de janeiro de 2020 em http://portalarquivos2.saude.gov.br

O Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária (DSA/SDA/MAPA) traz alguns esclarecimentos de interesse para o monitoramento da situação, prevenção e redução de risco de transmissão de doenças emergentes de animais e produtos de origem animal para seres humanos, conforme orientações da OMS e OIE:

1. Com base nas informações disponíveis não se sabe se o 2019-nCoV tem algum impacto na saúde dos animais e nenhum evento específico foi relatado em qualquer espécie animal, até o momento.

2. Como recomendação geral, animais doentes nunca devem ser abatidos para consumo; animais mortos devem ser enterrados ou destruídos com segurança e o contato com carcaças e fluidos deve ser realizado apenas com uso adequado de roupas protetoras.

3. Ao visitar mercados ou feiras de venda de animais vivos, carnes, peixes ou produtos de origem animal frescos, devem ser aplicadas medidas gerais de higiene e prevenção, como: lavagem das mãos após tocar os animais e produtos de origem animal; evitar tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos e evitar contato com animais doentes ou produtos animais deteriorados.

4. Cuidado com o contato com animais de origem desconhecida como gatos e cães vadios, roedores, pássaros, morcegos, e contato com resíduos ou fluidos animais potencialmente contaminados.

5. O consumo de produtos animais não inspecionados, crus ou malcozidos deve ser evitado. Carne crua, leite ou órgãos animais devem ser manuseados com cuidado, para evitar contaminação cruzada com alimentos crus, conforme boas práticas de higiene alimentar.

6. Trabalhadores de matadouros, veterinários responsáveis pela inspeção de animais e produtos de origem animal, trabalhadores em locais de manipulação de animais vivos e produtos animais frescos devem fazer uso de roupas e equipamentos de proteção individual e boas práticas de higiene pessoal e operacional, para evitar a contaminação antes, durante e após manusear animais e produtos de origem animal.

7. Os veterinários devem manter um alto nível de vigilância e relatar às autoridades veterinárias qualquer evento incomum detectado em qualquer espécie animal.

8. Qualquer suspeita de doença exótica ou emergente ou mudança no perfil epidemiológico de doenças animais deve ser notificada imediatamente ao Serviço Veterinário Oficial conforme a Instrução Normativa Mapa nº 50/2013, para investigação oficial. Para a notificação pode ser usado o link e-SISBRAVET.

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) orienta que, com base nas informações atualmente disponíveis, não são recomendadas restrições de viagem ou comércio, conforme esclarecimentos em
https://www.oie.int/scientific-expertise/specific-information-and-recommendations/questions-and-answers-on-2019novel-coronavirus/
(AviSite) (Redação)
|

Sexta-Feira, 21/02
Ovos: evolução máxima no mês segue em 10% (06:21)
Quinta-Feira, 20/02
O varejo dos ovos e do frango resfriado em 2019 segundo o Procon-SP (06:16)
Consumo médio de ovos cresce 50% em relação aos anos 2000 (06:10)
Ovos: antecipações motivadas pelo feriado prolongado de carnaval e proximidade da quaresma podem fortalecer os negócios (06:09)
Quarta-Feira, 19/02
Ovos: aparente estabilidade pode ser rompida por possíveis antecipações devido ao feriado de carnaval (06:28)
Consumo de ovos pode crescer mais de 62% nos últimos 10 anos (06:23)
Terça-Feira, 18/02
Ovos: proximidade da Quaresma pode manter o mercado firme no decorrer da semana (07:21)
Granja x Varejo: em janeiro a segunda pior relação dos últimos 13 meses (07:09)
Segunda-Feira, 17/02
Desempenho do ovo, na granja, na 7ª semana de 2020 (07:00)



Últimos Clippings
Unidade brasileira da Vetanco realiza Convenção de Vendas 2020
Cadeia de frango da China se abre em meio ao caos das medidas de vírus
Cotações do milho no mercado físico tem perdido força
Milho: cotações registram leves altas em Chicago
Soja: à espera de novas compras da China, mercado em Chicago segue estável

Nossos Parceiros
MSDseifun
AgroceresOrffa
vaccinarMaxFilm