Terça-feira, 31 de Março de 2020
Produção

IBGE: dois anos atrás, 44 mil estabelecimentos agropecuários criavam galináceos no Brasil
Campinas, 06 de Novembro de 2019 - Em seu censo agropecuário realizado em 2017, o IBGE detectou a existência, no Brasil, de mais de 44 mil estabelecimentos com criação de galináceos (galinhas, galos, frangos, frangas e pintos). Não se pode afirmar que fossem estabelecimentos exclusivamente avícolas, pois o recenseamento abrangeu criações desde 200 cabeças. Mas, sem dúvida, os estabelecimentos com mais de 10 mil cabeças – e que representaram perto de 55% do número total – devem corresponder a granjas avícolas.

Embora os números divulgados não façam referência ao tipo de ave criada (frangos ou poedeiras, matrizes ou comerciais), é natural constatar que a liderança no ranking pertence à Região Sul. Ela detém 45% dos estabelecimentos com galináceos, sendo que 83% deles contam com um plantel superior a 10 mil aves.

Na sequência, com perto de 18% do número total de estabelecimentos, vem a Região Sudeste. Onde há um quase equilíbrio entre os estabelecimentos com até 10 mil e aqueles com mais de 10 mil cabeças. Os últimos corresponderam a 55% do total e os com menos de 10 mil cabeças foram 45% do total.

Contando com 12% dos 44.036 estabelecimentos existentes no Brasil, o Centro-Oeste revelou que é dominado por unidades com, no máximo, 10 mil cabeças: elas representaram 72% do total regional. Porém, dado o significativo porte da produção avícola local fica claro que, embora representando apenas 28% do total, os estabelecimentos remanescentes têm capacidade muito superior a 10 mil aves.

Com 16% do total nacional, o Nordeste apresentou um número de estabelecimentos superior ao do Centro-Oeste e muito próximo ao registrado no Sudeste. Mas quem liderou o segmento foram os estabelecimentos com até 10 mil aves (80% do total regional).

A mesma situação – mas com índices ainda maiores – se aplica à Região Norte, onde 93% dos estabelecimentos com aves tinham menos de 10 mil cabeças cada. A Região, por sua vez, deteve perto de 9% do número total, nacional, de estabelecimentos com galináceos.



A Revista do AviSite e a Revista do Ovo já estão disponíveis! É só acessar!

  

(Ovosite) (Redação)
|

Terça-Feira, 31/03
Ovos: ao contrário das carnes suína e avícola, mercado de ovos segue com dinamismo nas vendas (07:09)
A volta dos fiscais do Sarney; atrás, inclusive, dos preços do ovo (07:04)
Segunda-Feira, 30/03
Desempenho do ovo, na granja, na 13ª semana de 2020 (07:09)
Ovos: evolução dos preços nesta Quaresma já supera levemente o índice máximo do ano passado (07:06)
Sexta-Feira, 27/03
Ovos: março apresenta recordes de preço seguidamente superados (06:46)
Ovos: preços se elevam 15,8% no decorrer de março (06:35)
Quinta-Feira, 26/03
Ovos de consumo: produção paulista chega pela 1ª primeira vez ao bilhão de dúzias (07:45)
Centro-Sul responde por 93% da produção brasileira de ovos férteis (07:42)
Ovos: mercado segue firme e conquistando novos reajustes (07:08)
Ovos: terceiro decêndio de março apresenta evolução significativa (07:05)
Quarta-Feira, 25/03
Ovos: mercadoria insuficiente para atender a demanda e preços em alta (07:27)
Ovos: expressivos aumentos no milho e farelo de soja corroem receita dos avicultores (07:09)



Últimos Clippings
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo
Retomada de preço no mercado do boi gordo
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico

Nossos Parceiros
MSDvaccinar
Orffaseifun
Agroceres