Terça-feira, 26 de Maio de 2020
Matérias-Primas

Soja: semana começa com foco do produtor nos prêmios diante da pressão do dólar e de Chicago
Campinas, SP, 26 de Maio de 2020 - O mercado brasileiro da soja começa a semana sem as referências da Bolsa de Chicago - com a comemoração do feriado comemorado nos EUA nesta segunda-feira (25) do Memorial Day - e com o dólar registrando fortes baixas, testando suas mínimas desde abril.

No cenário externo, apesar do feriado, o mercado observa o agravamento nas relações entre China e Estados Unidos. Os dois países voltam a endurecer suas retóricas e a fazer declarações ofensivas, motivadas não só pelas questões comerciais, mas agora também pelo novo coronavírus.

E na última sexta-feira (22), as cotações da oleaginosa já terminaram o pregão com pequenas baixas, depois de uma semana de mercado caminhando de lado e à espera de notícias novas, em especial vindas da demanda da nação asiática no mercado nacional, as quais não vieram.

No momento desta reportagem, o dólar operava com baixa de 2,15% e sendo cotado, por volta de 16h10 (horário de Brasília), a R$ 5,45. Assim, já exercia pressão sobre os preços no mercado brasileiro, com o foco maior dos produtores, neste momento, sobre os prêmios. No entanto, com todos os outros fatores alinhados, a semana começa fraca de negócios e assim deverá continuar, segundo analistas e consultores de mercado.

A demanda pelo produto brasileiro, afinal, ainda é bastante forte, e pode ganhar mais consistência ainda diante dos problemas entre China e EUA. Por isso, os prêmios seguem positivos no Brasil, variando entre 65 e 85 centavos de dólar, no porto de Paranaguá, sobre os valores praticados na Bolsa de Chicago. As posições mais distante são as que possuem valores mais elevados.

"A desvalorização do dólar na última semana refletiu no preço médio semanal da soja em Mato Grosso que apresentou queda de 1,30%, fechando em R$ 97,47 por saca. Apesar da retração nos preços, a demanda pelo produto brasileiro segue firme, de modo que o prêmio corrente para o porto de Santos/SP fechou com alta de 6,35%", informa o IMEA (Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária).

O Notícias Agrícolas ouviu três analistas de mercado para entender como esta nova semana se inicia para o mercado brasileiro da soja diante de uma baixa disponibilidade de produto neste momento no país, o dólar bem mais baixo em comparação às últimas semanas e dos preços na Bolsa de Chicago, mais uma vez, ameaçados por essa nova rodada de escalada de tensões entre China e EUA.

Vlamir Brandalizze, Brandalizze Consulting

Segundo relatou o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, a semana deve ser bem lenta de negócios, com os vendedores bastante retraídos e os compradores oferecendo entre R$ 108,00 e R$ 110,00 por saca, nos portos, para a soja disponível.

"Ninguém quer vender nada, há bem pouco para negociar, então está tudo parado. Os compradores baixaram mais R$ 2,00 em relação à semana passada, na safra nova entre R$ 102,00 e R$ 103,00, mas está tudo sem movimento, começamos sem atividade. E quem tem soja, está bem capitalizado agora, e não vende", diz.

Ginaldo Sousa, Grupo Labhoro

Para Ginaldo Sousa, diretor do Grupo Labhoro, o dólar não deve ceder ainda muito mais do que já vem registrando, porém, explica que ao passo em que encerrar o dia abaixo dos R$ 5,50 nesta segunda-feira, deve testar um novo objetivo de R$ 5,37. "O Banco Central está mais atuante, hoje já atuou em leilões de linha e o mercado vai cedendo naturalmente a isso. Então, o dólar não deve cair muito, mas pode ceder um pouco sim", diz.

Sobre o agravamento das relações entre China e EUA pode provocar uma baixa mais intensa sobre os preços da soja na Bolsa de Chicago, com os futuros da oleaginosa podendo, inclusive, perder o patamar dos US$ 8,00 por bushel em dado momento.

"Por outro lado, os prêmios sobem no Brasil. Então, não vejo os preços físicos caindo, e devem ficar estáveis nos portos, valendo entre R$ 109,00 e R$ 112,00, sem ceder muito, mas também não devem subir muito em função do aspecto fundamental, que é a demanda. A China ausente não deve comprar e isso deve dar certo suporte ao produtor brasileiro", explica.

Luiz Fernando Gutierrez, Safras & Mercado

Na análise de Luiz Fernando Gutierrez, da consultoria Safras & Mercado, o mercado se atenta aos desdobramentos da nova pandemia do coronavírus, mas principalmente ao plantio da nova safra dos EUA e, claramente, à tensão entre China e EUA.

"Acreditamos que o plantio tenha evoluído bem, sem excesso de umidade em nenhum lugar. No lado das vendas, elas realmente não estão acontecendo e é um fator que mantém Chicago pressionado", diz. "E há esse novo momento em relação às tensões geopolíticas que, lá na frente, pode gerar uma nova rodada de guerra comercial. Assim, a tendência em Chicago continua sendo de pressão, pois não há fator nenhum que possa fazer o preço subir agora", completa Gutierrez.

Para o analista, os preços não deverão voltar ao patamar dos US$ 8,00, mas podem se distanciar dos atuais níveis. E daqui em diante, acredita que o que se espera também para o mercado internacional é mais volatilidade em função da questão climática.

No mercado interno, Gutierrez chama atenção para a questão dos prêmios, porém, alerta para a possibilidade de suas altas serem insuficientes para compensar as baixas do câmbio. "Temos espaço para preços menores do que os das últimas semanas, já temos visto isso, e o câmbio aqui no Brasil refletindo essa questão da política brasileira que, aparentemente, está um pouco mais tranquila, com o vídeo (da reunião interministerial) sem provas cabais contra o presidente. Mas, fatores externos ainda apontam para a alta do dólar, mas a política brasileira tem um peso muito grande", conclui.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 26/05
Maioria dos funcionários da BRF volta ao trabalho em SC (08:49)
Empresários preveem que oferta de produtos agrícolas será mantida (08:48)
Preços do milho andam de lado no mercado brasileiro (08:37)
Soja sobe em Chicago nesta 3ª feira, retomando negócios pós feriado nos EUA em campo positivo (08:36)
CNA e FEBRABAN discutem medidas estruturantes para o Agro (08:31)
Suíno: cotações mistas e altas mais discretas nesta segunda-feira (08:26)
Exportação de suínos deve ser recorde em maio; no caso das aves, preços vêm caindo (08:24)
Mais de 93% dos trabalhadores da BRF em Concórdia/SC voltam ao trabalho (08:18)
Em SP, antecipação do feriado deixou mercado do boi calmo (08:09)
Contratos futuros do boi finalizam a sessão desta 2ª feira sem grandes movimentações na B3 (08:07)
Média diária exportada de carne bovina in natura teve um aumento de 34,54% frente ao ano passado (08:06)
Milho se movimenta pouco no mercado físico brasileiro (08:05)
Soja: semana começa com foco do produtor nos prêmios diante da pressão do dólar e de Chicago (08:00)
Exportação de soja do Brasil alcança 12,2 mi t no mês e já supera maio de 2019 (07:50)
Segunda-Feira, 25/05
Frigoríficos intensificam medidas em defesa dos trabalhadores (15:48)
Poedeira 051 e destinação de animais mortos são temas da Embrapa Suínos e Aves na Agrotins (10:38)
Poedeira 051 e destinação de animais mortos são temas da Embrapa Suínos e Aves na Agrotins (10:36)
Indústrias da Proteína Animal debatem conjuntura e situação de frigoríficos no RS (10:06)
Milho: com diferentes condições de mercado, preços são distintos dentre as regiões (10:04)
Soja: desvalorização internacional e queda do dólar pressionam valores no BR (10:02)
Investidores ampliam a pressão sobre as companhias do segmento nos EUA (09:47)
Ajustes em frigoríficos vieram para ficar, afirma especialista (09:46)
Milho: vendedor está mais cauteloso com as variações do dólar (09:35)
Vendas de carne ficaram sustentadas pelo abate enxuto (09:34)
Novo webinar da Aviagen aborda nutrição de reprodutoras (09:21)
Milho inicia a semana com leves perdas na B3 (09:04)
Poder de compra do pecuarista frente ao milho caiu 18,1% na comparação anual (08:14)
Preço do suíno subiu nas granjas paulistas (08:12)
Suíno: mercado esfria e cotações ficam, na maioria, estáveis (07:40)
Milho fecha semana de forma lenta no mercado físico (07:38)
Boi Gordo: fim de safra sólido (07:36)
Aurora firma acordo nacional com o MPT para combater Covid-19 nos frigoríficos (07:02)
Empresa alimentícia de Arapongas desmente demissão em massa (07:00)
Milho: confira o que vai influenciar os preços nesta semana (02:57)
Sexta-Feira, 22/05
Brasil alcança abertura de 60 mercados para produtos agropecuários (16:13)
Vetanco investe em tecnologia de precisão na análise da qualidade do ovo (11:10)
Decreto vai regular normas a frigoríficos para evitar fechamentos e abates sanitários, diz ABPA (10:00)
Vibra anuncia investimentos de R$ 500 milhões em Soledade, RS (09:59)
SC seguirá protocolo nacional de orientações a frigoríficos frente à Covid-19 (09:54)
Frango/CEPEA:com exportação firme e procura elevada também no Brasil, preço interno sobe (09:11)
Preços da carne bovina recuaram no varejo (09:07)
Soja em Chicago dá continuidade às baixas, mas de forma mais limitada nesta 6ª feira (09:00)
Segunda quinzena do mês trouxe aumentos mais tímidos ao preço do suíno no mercado independente (07:39)
Export/CEPEA: exportação do agro cresce 6% no 1º quadrimestre de 2020 (07:36)
Suinocultor paulista já tem R$ 70 de prejuízo por cabeça com alta nos custos de produção e queda da demanda interna (07:35)
Suíno: animal vivo segue com valorizações (07:34)
Estoques de carne dos EUA recuam com frigoríficos fechados por coronavírus (07:31)
JBS retoma abates em unidade de Passo Fundo após surto de coronavírus (07:30)
Mercado do boi está atento ao consumo doméstico (07:29)
China paga menos pela carne bovina brasileira (07:28)
Milho: compradores e vendedores seguem afastados do mercado no Brasil nesta 5ªfeira (07:26)
Soja: Chicago fecha com mais de 1% de queda (07:25)
Quinta-Feira, 21/05
Cobb-Vantress adota biosseguridade de vanguarda na proteção à saúde das aves e dos colaboradores (12:46)
Vetanco Brasil apresenta mais um reforço na equipe de Avicultura (12:21)
FEAGRI anuncia últimas vagas para Workshop virtual para Estudos Avançados em Precisão Animal (11:56)
Suínos: com valorização do vivo maior que a dos insumos, poder de compra aumenta (09:56)
Boi: ritmo de negócios diminui, mas preço da arroba segue firme (09:54)
Após decisão do TST,JBS retoma abates de aves em Passo Fundo(RS) (09:47)
Dália inicia abastecimento de aves em planta de Encantado (RS) (09:45)
Agrotins 100% Digital apresentará palestra voltada para avicultura de precisão (09:44)
Risco de entraves em portos no radar dos exportadores (09:43)
Agronegócio responde por 70% das exportações catarinenses no primeiro quadrimestre de 2020 (08:50)
Exportações do Agro crescem 5,9% de janeiro a abril (08:10)
Mercado da soja em Chicago tem leve queda nesta 5ª feira (08:07)
Dois atores essenciais: o produtor rural e a agroindústria (07:50)
Mercado do boi e os fatores que vão direcionar a formação dos preços da arroba ao longo de 2020 (07:45)
Suíno: cotações mistas, mas animal vivo segue valorizado (07:43)
Carne bovina: média diária exportada cresceu 39,2% em maio, na comparação anual (07:41)
Mercado do boi gordo está fluindo devagar (07:39)
Milho se movimenta em campo misto no Brasil de olho na demanda e na safra (07:37)
Soja: preços no interior do Brasil sobem até 3% mesmo com novo recuo do dólar (07:35)
Quarta-Feira, 20/05
Pesquisa mostra como as indústrias de ovos, frangos e suínos sofrem os efeitos da pandemia (16:06)
Ricardo Santin assume Câmara de Aves e Suínos (15:39)
Milho: chuvas abaixo do esperado nas regiões produtoras também chama a atenção (10:50)
Frigoríficos têm vigilância ativa da Covid-19 desde antes da quarentena, afirma ABPA (09:59)
BRF lança plataforma para selecionar projetos inovadores (09:56)
China deverá ampliar importações de soja na próxima década, mas reduzir compras de carnes (09:55)
BRF fará testes em 100% dos funcionários em Concórdia (09:53)
JBS e MPT não se entendem sobre proteção de trabalhador (09:52)
Escalas de abate estão em evolução no mercado paulista do boi gordo (09:37)
Milho abre a 4ª feira subindo na B3 após novas estimativas de perda na safrinha (09:28)
Soja segue caminhando com estabilidade e com ligeiros ganhos nesta 4ª feira em Chicago (08:25)
Custos de produção de frangos de corte e de suínos disparam em abril (08:09)
Suíno: cotações voltaram a subir nesta 3ª-feira (07:51)
Boi Gordo: merfcado pressionado (07:48)
Contratos futuros do boi gordo finalizam a sessão desa 3ª com ganhos na B3 (07:47)
Mercado do milho se movimenta pouco nesta 3ª-feira no Brasil (07:32)
Soja: oferta restrita no Brasil dá suporte aos preços no mercado nacional (07:29)
Santa Catarina bate recorde na exportação de soja nos quatro primeiros meses do ano (07:27)