Sábado, 11 de Julho de 2020
Exportação

ABPA afirma que o Brasil está pronto para exportar mais carnes para a China durante imbróglio com os EUA
Campinas, SP, 02 de Junho de 2020 - Segundo diretor-executivo da instituição, Ricardo Santin, mesmo se a demanda pelo produto brasileiro aumentar, o mercado interno não corre risco de desabastecimento.

A segunda-feira foi de novo estremecimento entre Estados Unidos e China, com a notícia de que o país asiático pediu que suas empresas estatais suspendam a compra de soja e carne suína americanos. De acordo com o diretor-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, ainda não há projeção de quanto a demanda pela carne brasileira deva aumentar, mas "o país está pronto para auxiliar a China na necessidade por alimento".

Segundo informações da Reuters, a medida da China veio como represália após o governo norte-americano ter afirmado que iria eliminar o tratamento especial dos EUA a Hong Kong para punir Pequim. A China, inclusive, poderia expandir a ordem para incluir outros produtos dos Estados Unidos caso Washington tome medidas adicionais.

Santin explica que há muitas plantas processadoras de carne no Brasil habilitadas a exportar para a China e várias outras que estão prontas para serem habilitadas, caso o país asiático demande.

"Vai ter consequência em termos de demanda, mas não podemos bater o martelo de como isso pode impactar o Brasil. O país está pronto para fornecer proteína animal para a China, sem desabastecer o mercado interno. Vale lembrar também que o Canadá e Europa também são grandes produtores de suínos e podem absorver parte dessa lacuna dos Estados Unidos", disse.

Por enquanto, Santin disse que não é possível afirmar que, se houver aumento nas exportações, os preços dos produtos no mercado interno devam melhorar.

Sobre o embargo da China à soja americana e sobre as vendas da oleaginosa brasileira no mercado interno, o diretor-executivo da ABPA disse que não se pronunciaria com veemência sobre as questões de volumes que devem ficar no mercado interno, mas disse que as safras no país são abundantes e devem atender os produtores de proteínas animais.
(Notícias Agrícolas) (Letícia Guimarães)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 11/07
Sexta-Feira, 10/07
Com alta de 24,5%, exportações do agronegócio batem recorde para meses de junho e ultrapassam US$ 10 bilhões (13:53)
FRANGO/CEPEA: apesar de queda nos embarques, preço interno da carne está firme (07:31)
Agronegócio responde por 72% das exportações catarinenses no primeiro semestre de 2020 (07:26)
Com recordes de valores de soja e milho, VBP de 2020 é estimado em R$ 716,6 bilhões (07:25)
Comercialização de soja 2019/20 e da safra nova em junho foi mais lenta (07:10)
Quinta-Feira, 09/07
SUÍNOS/CEPEA: preços do vivo sobem em quase todas as regiões; exportações estão aquecidas (09:47)
BOI/CEPEA: indicador volta a fechar acima de R$ 220 (09:46)
Dicas para inovar no agronegócio e vender mais (08:15)
C.Vale e Pluma Agroavícola colocam em funcionamento frigorífico da Plusval (08:14)
Brasil retoma posto de maior produtor de soja do planeta (07:53)
Quarta-Feira, 08/07
Produção de grãos deve atingir 251,4 milhões de toneladas segundo levantamento da Conab (11:32)
Indústria global de carne de aves se recupera gradualmente, mas 2º semestre pode trazer volatilidade (09:12)
Nui Markets vê bom potencial no Brasil (09:10)
Exportadores do Brasil propõem testar carne para acalmar China (09:10)
Exportação de grãos deve beirar recorde (09:09)
Terça-Feira, 07/07
Teste rápido é inútil para conter a covid-19 dentro de frigoríficos (09:25)
Falha em busca ativa justifica testes de anticorpos, diz MPT (09:23)
Preços mais firmes para o farelo de soja (08:47)
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a utilização da tecnologia NIR para análises rápidas e eficientes na alimentação animal (08:02)