Quarta-feira, 15 de Julho de 2020
Matérias-Primas

Mercado climático pode fazer soja em Chicago buscar os US$ 9,00/bushel
Campinas, SP, 27 de Maio de 2020 - Os preços da soja subiram na Bolsa de Chicago e fecharam o pregão de ontem terça-feira (26) com altas de mais de 10 pontos entre os principais contratos. O julho encerrou o dia sendo cotado a US$ 8,47 e o agosto a US$ 8,48 por bushel.

Segundo o consultor em agronegócio Ênio Fernandes, da Terra Agronegócios, a sinalização de um otimismo sobre a economia global, com os países aos poucos voltando à normalidade depois dos seus picos da pandemia do novo coronavírus, é um dos pontos que favorecem o avanço dos preços.

Sobe não só a soja, mas o petróleo, e as demais commodities agrícolas. Os atuais patamares, afinais, são patamares baixos e acabam atraindo os compradores, incluindo os fundos investidores. Nesta terça, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou uma nova venda de soja para a China e também ajudou na alta dos futuros da oleaginosa negociados na Bolsa de Chicago.

Ainda segundo Fernandes, o mercado climático deve intensificar a volatilidade nas próximas semanas no quadro internacional.

"Se o clima tiver céu de brigadeira, não vejo altas muito fortes em Chicago. Claro que os preços vão subir um pouco mais, o Brasil não tem mais soja para vender, já vendeu uma boa posição para 2021, e a China não tem opção a não ser comprar mais nos EUA, e isso vai ajudar os preços em Chicago. Mas para termos altas importantes em Chicago, romper os US$ 9,00, US$ 9,50 por bushel, teremos que ter problemas de desenvolvimento na safra dos EUA", diz Fernandes.

Segundo o analista, o mercado não registrará um ano diferente em que há rallies promovidos pelo clima e "o mundo precisa também da nova safra dos EUA, e ainda estamos falando em uma projeção de oferta".

MERCADO BRASILEIRO

Nesta terça-feira, os preços da soja no mercado brasileiro foram duramente pressionados por uma nova baixa do dólar. Há cinco sessões consecutivas de queda, com uma baixa acumulada de quase 7% pela moeda americana que, neste pregão, fechou com R$ 5,36.

Assim, as referências para a soja disponível nos portos passaram a variar entre R$ 105,00 e R$ 108,00 por saca nos portos brasileiros, e de R$ 101,00 a R$ 104,00 para a safra nova, indicativos bem mais baixos do que os registrados nos últimos meses.

Ainda assim, para Fernandes, o dólar pode voltar a subir dada a atual condição das economias mundial e brasileira e das perspectivas preocupantes, o que poderia trazer preços um pouco mais altos no Brasil, bem como oportunidades que poderiam vir da volatilidade em Chicago promovida pelo clima no Corn Belt.
(Notícias Agrícolas) (Aleksander Horta e Carla Mendes )
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 15/07
Terça-Feira, 14/07
Agências da ONU recomendam mudança na área de alimentos (10:16)
Crise? Que crise? Setor de alimentos está bombando na Bolsa (10:12)
Ajuste da oferta faz frango subir no país (08:38)
Governador do Tocantins reafirma compromisso com a iniciativa privada visando a geração de empregos (08:25)
Sistema de compartimentação abre portas para a avicultura catarinense em mercados exigentes (08:20)
Brasil importa mais que o triplo de soja nos primeiros 8 dias úteis de julho do que em todo mesmo mês de 2019 (07:39)
Apenas em 2 semanas de julho Brasil já exportou 132% a mais de milho do que todo o mês de junho (07:30)
Segunda-Feira, 13/07
Doença de Gumboro é tema do novo podcast FACTA (14:59)
Frigoríficos avícolas gaúchos investem no combate a pandemia (14:58)
OVOS/CEPEA: maior demanda e oferta limitada elevam preços (13:05)
Milho: indicador CEPEA volta a fechar acima de R$ 50/sc (13:02)
Soja: com baixo excedente, importação é a maior desde ju/16 (13:00)
PDSA desevolve cursos virtuais para garantir sanidade no RS (11:06)
Instituto Ovos Brasil e CEPEA criam ferramenta para consulta de preço de ovos (08:34)
Governo do Paraná e JBS discutem investimentos no Estado (08:00)
Uberlândia recebe anúncio de R$ 80 milhões em investimentos (07:59)
Secretaria de Saúde do Paraná acompanha atividades em frigoríficos (07:57)
Pandemia estimula consumo de frango no mercado interno e aquece exportações (07:57)
Sexta-Feira, 10/07
Com alta de 24,5%, exportações do agronegócio batem recorde para meses de junho e ultrapassam US$ 10 bilhões (13:53)
FRANGO/CEPEA: apesar de queda nos embarques, preço interno da carne está firme (07:31)
Agronegócio responde por 72% das exportações catarinenses no primeiro semestre de 2020 (07:26)
Com recordes de valores de soja e milho, VBP de 2020 é estimado em R$ 716,6 bilhões (07:25)
Comercialização de soja 2019/20 e da safra nova em junho foi mais lenta (07:10)
Quinta-Feira, 09/07
SUÍNOS/CEPEA: preços do vivo sobem em quase todas as regiões; exportações estão aquecidas (09:47)
BOI/CEPEA: indicador volta a fechar acima de R$ 220 (09:46)
Dicas para inovar no agronegócio e vender mais (08:15)
C.Vale e Pluma Agroavícola colocam em funcionamento frigorífico da Plusval (08:14)
Brasil retoma posto de maior produtor de soja do planeta (07:53)