Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
Saúde Pública

Dois atores essenciais: o produtor rural e a agroindústria

Não é agora, em plena pandemia, que o agronegócio deve enfrentar solução de continuidade, ressalta no texto abaixo José Zeferino Pedrozo, Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (Faesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural
Florianópolis , 21 de Maio de 2020 - A epidemia do novo coronavírus que assola o Brasil afetou amplos setores da atividade humana e desorganizou importantes segmentos da economia. Empresas e famílias ficaram devastadas por perdas de ordem pessoal ou material. Um dos setores que, a todo custo, precisa continuar em operação é o de alimentos. Se faltar alimentos no País, nesse estágio da pandemia, o que está crítico ficará caótico.

Dois atores trabalham tenaz e obstinadamente para garantir a produção de alimentos nos gigantescos volumes que o Brasil e o mundo necessitam: os produtores rurais no campo e as indústrias de processamento da matéria-prima vegetal e animal, nas cidades. Os primeiros produzem grãos, frutas, hortigranjeiros, leite e carne que as agroindústrias processam e/ou industrializam e geram produtos acabados para consumo final.

Duas longas cadeias produtivas brasileiras ganharam notoriedade mundial nas últimas décadas pela sua complexidade: a avicultura industrial e a suinocultura industrial. Elas são paradigmas do uso de tecnologia nas fases de campo e de indústria.

Essas duas cadeias trabalham no sistema de integração, uma parceria que há 60 anos une criadores de frangos e de suínos com as agroindústrias em território brasileiro. A indústria fornece os principais insumos e o produtor participa com mão de obra e os recursos de sua propriedade. O sistema de integração levou bem-estar às famílias rurais e transferiu tecnologia aos criadores. O produtor rural repassa às empresas/agroindústrias os seus produtos na condição de matéria-prima a ser processada e transformada no produto final. Graças a ela fortaleceu-se a economia dos municípios e fixou-se a família rural no campo, amenizando o êxodo rural.

Para evitar a disseminação do coronavírus são adotados rígidos protocolos de produção no campo e nas fábricas. Os tradicionalmente rígidos procedimentos das indústrias de processamento de carne ficaram ainda mais rigorosos: medição de temperatura, uso de botas, paramentos especiais, jalecos, máscaras, toucas, luvas, desinfecção de pés e mãos, distanciamento social etc. são rotinas do cotidiano desses trabalhadores.

Apesar de deter um elevado nível de segurança sanitária na produção rural e industrial, os frigoríficos entraram injustamente na mira de críticas, fake news e uma campanha de desinformação de pessoas mal-intencionadas ou que desconhecem a dimensão e a complexidade desse setor da indústria de alimentos.

O perigo é que, embalado nesse clima, alguns frigoríficos podem ter atividades paralisadas. Essa hipótese é assustadora, porque pode significar a perda de milhares de empregos, a falência de toda uma cadeia produtiva com milhares de produtores rurais e – o que é muito grave – a necessidade de sacrifício sanitário de milhões de aves e milhares de suínos. Isso, sem mencionar a decorrente escassez de alimentos no mercado nacional. É imprescindível sublinhar que a indústria da carne vem garantindo extraordinários superávits na balança comercial.

Devemos trabalhar para evitar esse quadro. Os produtores rurais precisam da indústria e a indústria não produz sem os criadores de aves e suínos etc. Se os frigoríficos paralisarem, os produtores ficarão em situação delicada. Esses dois atores precisam continuar em ação para assegurar o abastecimento do Brasil.

Produtor e indústria mantêm essa exitosa parceria com a garantia do equilíbrio e justiça econômica de ambos os lados, fortalecendo a economia dos municípios e desenvolvendo o hinterland brasileiro. O sistema de produção em integração é um dos grandes responsáveis pelo padrão de excelência e de qualidade alcançados pelo Brasil. Graças a este sistema, o País ganhou competitividade, estandardização e padronização da produção, ampliando a presença brasileira no mercado mundial, chegando à liderança mundial nos embarques de carne de frango e ao quarto posto global nas exportações de suínos.

O que precisamos agora é permitir que os produtores e as agroindústrias produzam dentro das condições ideais em que já trabalham, sem exigências descabidas ou ameaças constantes. O Brasil precisa desses dois atores.

  
(FAESC ) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 25/05
Milho: confira o que vai influenciar os preços nesta semana (02:57)
Sexta-Feira, 22/05
Brasil alcança abertura de 60 mercados para produtos agropecuários (16:13)
Vetanco investe em tecnologia de precisão na análise da qualidade do ovo (11:10)
Decreto vai regular normas a frigoríficos para evitar fechamentos e abates sanitários, diz ABPA (10:00)
Vibra anuncia investimentos de R$ 500 milhões em Soledade, RS (09:59)
SC seguirá protocolo nacional de orientações a frigoríficos frente à Covid-19 (09:54)
Frango/CEPEA:com exportação firme e procura elevada também no Brasil, preço interno sobe (09:11)
Preços da carne bovina recuaram no varejo (09:07)
Soja em Chicago dá continuidade às baixas, mas de forma mais limitada nesta 6ª feira (09:00)
Segunda quinzena do mês trouxe aumentos mais tímidos ao preço do suíno no mercado independente (07:39)
Export/CEPEA: exportação do agro cresce 6% no 1º quadrimestre de 2020 (07:36)
Suinocultor paulista já tem R$ 70 de prejuízo por cabeça com alta nos custos de produção e queda da demanda interna (07:35)
Suíno: animal vivo segue com valorizações (07:34)
Estoques de carne dos EUA recuam com frigoríficos fechados por coronavírus (07:31)
JBS retoma abates em unidade de Passo Fundo após surto de coronavírus (07:30)
Mercado do boi está atento ao consumo doméstico (07:29)
China paga menos pela carne bovina brasileira (07:28)
Milho: compradores e vendedores seguem afastados do mercado no Brasil nesta 5ªfeira (07:26)
Soja: Chicago fecha com mais de 1% de queda (07:25)
Quinta-Feira, 21/05
Cobb-Vantress adota biosseguridade de vanguarda na proteção à saúde das aves e dos colaboradores (12:46)
Vetanco Brasil apresenta mais um reforço na equipe de Avicultura (12:21)
FEAGRI anuncia últimas vagas para Workshop virtual para Estudos Avançados em Precisão Animal (11:56)
Suínos: com valorização do vivo maior que a dos insumos, poder de compra aumenta (09:56)
Boi: ritmo de negócios diminui, mas preço da arroba segue firme (09:54)
Após decisão do TST,JBS retoma abates de aves em Passo Fundo(RS) (09:47)
Dália inicia abastecimento de aves em planta de Encantado (RS) (09:45)
Agrotins 100% Digital apresentará palestra voltada para avicultura de precisão (09:44)
Risco de entraves em portos no radar dos exportadores (09:43)
Agronegócio responde por 70% das exportações catarinenses no primeiro quadrimestre de 2020 (08:50)
Exportações do Agro crescem 5,9% de janeiro a abril (08:10)
Mercado da soja em Chicago tem leve queda nesta 5ª feira (08:07)
Dois atores essenciais: o produtor rural e a agroindústria (07:50)
Mercado do boi e os fatores que vão direcionar a formação dos preços da arroba ao longo de 2020 (07:45)
Suíno: cotações mistas, mas animal vivo segue valorizado (07:43)
Carne bovina: média diária exportada cresceu 39,2% em maio, na comparação anual (07:41)
Mercado do boi gordo está fluindo devagar (07:39)
Milho se movimenta em campo misto no Brasil de olho na demanda e na safra (07:37)
Soja: preços no interior do Brasil sobem até 3% mesmo com novo recuo do dólar (07:35)
Quarta-Feira, 20/05
Pesquisa mostra como as indústrias de ovos, frangos e suínos sofrem os efeitos da pandemia (16:06)
Ricardo Santin assume Câmara de Aves e Suínos (15:39)
Milho: chuvas abaixo do esperado nas regiões produtoras também chama a atenção (10:50)
Frigoríficos têm vigilância ativa da Covid-19 desde antes da quarentena, afirma ABPA (09:59)
BRF lança plataforma para selecionar projetos inovadores (09:56)
China deverá ampliar importações de soja na próxima década, mas reduzir compras de carnes (09:55)
BRF fará testes em 100% dos funcionários em Concórdia (09:53)
JBS e MPT não se entendem sobre proteção de trabalhador (09:52)
Escalas de abate estão em evolução no mercado paulista do boi gordo (09:37)
Milho abre a 4ª feira subindo na B3 após novas estimativas de perda na safrinha (09:28)
Soja segue caminhando com estabilidade e com ligeiros ganhos nesta 4ª feira em Chicago (08:25)
Custos de produção de frangos de corte e de suínos disparam em abril (08:09)
Suíno: cotações voltaram a subir nesta 3ª-feira (07:51)
Boi Gordo: merfcado pressionado (07:48)
Contratos futuros do boi gordo finalizam a sessão desa 3ª com ganhos na B3 (07:47)
Mercado do milho se movimenta pouco nesta 3ª-feira no Brasil (07:32)
Soja: oferta restrita no Brasil dá suporte aos preços no mercado nacional (07:29)
Santa Catarina bate recorde na exportação de soja nos quatro primeiros meses do ano (07:27)
Terça-Feira, 19/05
COOPAVE fornece ovos para o Programa Compra Local, em PE (13:08)
FACTA abre pré-venda da 3ª edição do livro "Doenças das Aves" (10:40)
A Vetanco Brasil agora está no LinkedIn. (10:28)
Boi Gordo: exportações seguem fortes (09:43)
Milho: dólar segue interferindo nas cotações na B3 nesta 3ª feira (09:40)
China deverá receber volumes recordes de soja brasileira entre maio e julho (09:33)
Assembleia Legislativa discute fechamento de frigoríficos em Santa Catarina (09:02)
Abatedouro da JBS é interditado em SC (09:01)
Cobb-Vantress reforça ações sociais e promove solidariedade (08:04)
Segunda semana de maio de exportações de aves e suínos mostra compradores esperando a poeira baixar, segundo analista (08:02)
BRF deve retomar operações em Lajeado após acordo com MP sobre Covid-19 (07:40)
Complexo soja exporta 42% da safra até o mês de abril e bate novo recorde (07:37)
Mercado do milho no Brasil segue de olho no desenvolvimento da safrinha (07:30)
Na B3, contratos futuros para o boi gordo finalizam a sessão desta 2ª feira com desvalorizações (07:28)
Suíno: animal vivo segue com altas, mas menos expressivas que semana passada (07:24)
Frigoríficos estão relativamente bem posicionados em relação às escalas de abate (07:23)