Domingo, 12 de Julho de 2020
Matérias-Primas

Soja caminha de lado nesta 3ª feira em Chicago
Campinas, SP, 24 de Março de 2020 - Nesta terça-feira (24), o mercado da soja caminha de lado na Bolsa de Chicago, depois de cinco sessões consecutivas de altas fortes. Por volta de 7h20 (horário de Brasília), as cotações no maio e julho perdiam 4,75 e 3,75 pontos, valendo US$ 8,79 e US$ 8,81 por bushel, respectivamente. Já o agosto cedia 2,50 pontos, para valer US$ 8,82 e o setembro subia 2,50 pontos para chegar a US$ 8,77.

Os futuros da oleaginosa negociados na CBOT vieram encontrando terreno para os ganhos diante da melhor demanda pelo produto norte-americano, mas também pela volta dos fundos investidores de volta à ponta compradora do mercado.

"Há um certo 'pânico' nas compras entre as commodities agrícolas e uma volatilidade ao redor dos mercados globais", explica Phin Ziebell, economista especializado em agronegócio do Banco Nacional da Austrália, à Reuters Internacional.

Ainda de acordo com analistas internacionais, as preocupações no mercado mundial de soja com a pandemia do coronavírus na América do Sul também favoreceu as altas nos últimos dias. A Argentina já fechou alguns terminais portuários no sul de Santa Fé e, no Brasil, embora os portos continuem operando normalmente, o cenário é monitorado.

MERCADO BRASILEIRO

Ontem, os preços da soja nos portos do Brasil superaram os R$ 100,00 por saca para os próximos meses de entrega, favorecidos pela combinação de altas fortes em Chicago e do dólar.

"O dólar voltou a fugir do controle apesar da atuação do BC brasileiro. É fator de suporte às cotações de soja, mas uma grande preocupação ao quadro macroeconômico do país, que está sendo agravado pela recessão global que o Covid-19 está desencadeando", explica Steve Cachia, consultor de mercado da AgroCulte e da Cerealpar.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 12/07
Sexta-Feira, 10/07
Com alta de 24,5%, exportações do agronegócio batem recorde para meses de junho e ultrapassam US$ 10 bilhões (13:53)
FRANGO/CEPEA: apesar de queda nos embarques, preço interno da carne está firme (07:31)
Agronegócio responde por 72% das exportações catarinenses no primeiro semestre de 2020 (07:26)
Com recordes de valores de soja e milho, VBP de 2020 é estimado em R$ 716,6 bilhões (07:25)
Comercialização de soja 2019/20 e da safra nova em junho foi mais lenta (07:10)
Quinta-Feira, 09/07
SUÍNOS/CEPEA: preços do vivo sobem em quase todas as regiões; exportações estão aquecidas (09:47)
BOI/CEPEA: indicador volta a fechar acima de R$ 220 (09:46)
Dicas para inovar no agronegócio e vender mais (08:15)
C.Vale e Pluma Agroavícola colocam em funcionamento frigorífico da Plusval (08:14)
Brasil retoma posto de maior produtor de soja do planeta (07:53)
Quarta-Feira, 08/07
Produção de grãos deve atingir 251,4 milhões de toneladas segundo levantamento da Conab (11:32)
Indústria global de carne de aves se recupera gradualmente, mas 2º semestre pode trazer volatilidade (09:12)
Nui Markets vê bom potencial no Brasil (09:10)
Exportadores do Brasil propõem testar carne para acalmar China (09:10)
Exportação de grãos deve beirar recorde (09:09)
Terça-Feira, 07/07
Teste rápido é inútil para conter a covid-19 dentro de frigoríficos (09:25)
Falha em busca ativa justifica testes de anticorpos, diz MPT (09:23)
Preços mais firmes para o farelo de soja (08:47)
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a utilização da tecnologia NIR para análises rápidas e eficientes na alimentação animal (08:02)