Domingo, 23 de Fevereiro de 2020
Empresas

JBS firma acordo de R$ 3 bi para exportar mais à China

Friboi pode chegar a 60 mil pontos de venda do WH Group.
São Paulo, SP, 28 de Janeiro de 2020 - Em uma indicação de que os pedidos de descontos e renegociação de contratos com os importadores chineses são apenas uma “engasgada” do mercado de carne bovina do país asiático, a JBS assinou um acordo com o gigante chinês WH Group para exportar volumes expressivos.


Em negociação há pelos menos três anos, o acordo prevê a exportação do equivalente a R$ 3 bilhões anuais de carne bovina a partir das unidades da Friboi, divisão de negócios que abrange as operações de bovinos e derivados da JBS no Brasil e que fatura cerca de R$ 30 bilhões por ano. No país, são 37 abatedouros - sete autorizados a vender à China.

Em entrevista ao Valor, o presidente da Friboi, Renato Costa, ressaltou a relevância do acordo, mesmo para uma companhia do porte da JBS. A parceria com o WH Group tem potencial para representar 12 mil toneladas de carne bovina exportadas por mês. É mais de 10% do que todos os frigoríficos brasileiros exportaram à China em dezembro, mês de venda recorde - 83,5 mil toneladas, conforme dados da Secretária de Comércio Exterior (Secex). As primeiras cargas ao WH Group devem ser despachadas em março.

Embora ainda tenha atuação tímida no negócio de carne bovina, o WH Group é um peso pesado na indústria de proteína. Com receita líquida de US$ 22 bilhões, o grupo é o maior produtor global de carne suína. Nos Estados Unidos, é dono da Smithfield, adquirida em 2013 por US$ 7,1 bilhões. Na China, principal consumidora mundial de carne de porco, controla a Shuanghui. No passado, o grupo chinês chegou a sondar frigoríficos brasileiros de médio porte para uma aquisição, mas as tratativas não evoluíram.

De acordo com Costa, a parceria dará ao WH Group maior constância no fornecimento de carne. Até então, os chineses compravam carne do Brasil no mercado spot, mas os volumes demandados só fazem sentido em um contrato estruturado, agora viabilizado pela Friboi.

Com o acordo, a JBS terá acesso a uma base ampla de clientes. Conforme o presidente da Friboi, o WH Group tem 60 mil pontos de venda na China. Inicialmente, o acordo abarcará carne bovina, mas a ideia é que a Seara, divisão que reúne os negócios de frango no Brasil, também se beneficie da parceria - os chineses são consumidores vorazes de pés de frango.

Perguntado pelo Valor, o presidente da Friboi evitou fazer comentários sobre o movimento de renegociação de contratos capitaneado por importadores de carne da China. Costa frisou apenas que a Friboi tem um relacionamento de longo prazo com os clientes do país asiático e que, sazonalmente, a demanda da China volta a ganhar fôlego após as festividades do Ano Novo Lunar.

O executivo também foi cauteloso quando abordado sobre o eventual impacto do coronavírus no país asiático - a preocupação dos investidores contaminou o mercado financeiro global. Na B3, o Ibovespa caiu 3,29% ontem. As ações da JBS, assim como a dos demais frigoríficos listados na bolsa, registraram forte desvalorização. Os papéis da JBS recuaram 6,83%, para R$ 27,30. A China e Hong Kong respondem por pouco mais 27% das exportações globais da companhia brasileira.

Em meio às dúvidas de curto prazo, a tacada da JBS na China reforça a crença da companhia na demanda chinesa no médio e longo prazo. Afora os reflexos da epidemia de peste suína africana, que já fizeram a importação de carne pelos chineses disparar, a avaliação da JBS é que a demanda do país asiático só tende a crescer, especialmente devido às mudanças de hábitos e à urbanização da China.

Para conhecer melhor o consumidor do país asiático, a JBS conta com uma equipe de mais de 15 pessoas no escritório de Xangai, conforme Costa. No ano passado, a Friboi lançou a marca de carne bovina Grain Valley, dedicada à China. A companhia brasileira também enviou funcionários das áreas de pesquisa e desenvolvimento ao país asiático para aprimorar os cortes.
(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 23/02
Sexta-Feira, 21/02
Unidade brasileira da Vetanco realiza Convenção de Vendas 2020 (15:07)
Cadeia de frango da China se abre em meio ao caos das medidas de vírus (13:58)
Frango: apesar da fraca demanda, custo de produção elevado faz com que avicultor aumente preço (13:40)
Cotações do milho no mercado físico tem perdido força (13:30)
Milho: cotações registram leves altas em Chicago (13:25)
Soja: à espera de novas compras da China, mercado em Chicago segue estável (13:22)
Programa Ovos RS promove curso de Boas Práticas de Fabricação para Fábricas de Ração (09:33)
Boi: preços de balcão em SP giram ao redor de R$200,00/@ (09:15)
Praticamente metade da safra do milho já está colhida no RS (08:38)
Surto de vírus não mudará compromissos da China de comprar produtos dos EUA (08:37)
CNA diz que MP do Agro dá mais alternativas de financiamento e simplifica acesso ao crédito (08:26)
Suíno: animal vivo segue valorizado nas principais praças (07:55)
Mercado do boi gordo está firme (07:53)
Oferta restrita dá sustentação ao mercado de carne bovina no atacado (07:52)
Milho fecha a 5ª feira desvalorizado em Chicago após encontro do USDA (07:51)
Soja mais barata no Brasil do que nos EUA pressiona Chicago mais uma vez (07:48)
Quinta-Feira, 20/02
Exportações de genética avícola decrescem em janeiro (11:03)
Suínos: poder de compra frente ao milho é o mais baixo desde Fev/19 (10:22)
Boi: abate cai no final de 2019 e confirma baixa oferta (10:21)
Milho: Vendedores tem mostrado interesse em negociar, enquanto o comprador se abastece para os próximos dias (09:20)
Boi: A queda das cotações no mercado atacadista influenciou as tentativas de compra (09:16)
Vetanco participa do Show Rural Coopavel 2020 (09:01)
Milho abre a 5ª feira com baixas em Chicago à espera de números do USDA (09:00)
Soja recua em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Suíno: cotações estáveis em São Paulo; animal vivo segue valorizado nas principais praças produtoras (07:16)
APA divulga programa definitivo do Congresso de Ovos 2020 (07:01)
CNA discute impactos da reforma tributária para o Agro (06:59)
Pouco boi provoca alta significativa no Norte do país (06:55)
Milho cai em Chicago nesta 4ª feira (06:51)
Poucos negócios novos com a soja brasileira (06:48)
Quarta-Feira, 19/02
Katayama Alimentos é a primeira indústria brasileira a produzir ovos em grande escala com o “Certificado Ovos Livres de Antibióticos” (14:38)
Avicultores conferem as tendências dos mercados de grãos e ovos no primeiro Qualificaves de 2020 (14:34)
Milho: aos poucos os vendedores tem ofertado mais volumes (10:36)
China garantirá mais fornecimento de aves em meio a epidemia (10:30)
ABPA vai propor criação de sistema de prevenção à gripe aviária no Cone Sul (10:01)
Tocantins registrou a maior alta para o boi gordo em fevereiro (09:32)
Milho abre a quarta-feira levemente em queda na Bolsa de Chicago (08:45)
Soja em Chicago segue caminhando de lado nesta 4ª feira, Brasil ainda tem preços firmes (08:30)
Embarque da China para Brasil cai 50% (08:07)
Suíno: cotações seguem subindo (07:14)
China alerta para impacto do coronavírus sobre suprimento de frango e ovos (07:12)
Turra projeta crescimento na produção de carne suína e de frangos (07:10)
Milho sobe em Chicago nesta terça-feira (07:05)
Isenção tarifária e a redução dos fretes marítimos abrem portas para demanda chinesa sobre a soja americana (07:00)
Terça-Feira, 18/02
ABPA apoia VI AVISULAT 2020 (14:46)
APA e CDA dão oportunidade de treinamento para a habilitação de emissão de GTA durante o Congresso de Ovos (12:38)
Milho abre a 3ª feira com altas em Chicago após feriado americano (09:25)
Brasil quer criar bloco continental para defesa sanitária (08:28)
Suíno: São Paulo começa a semana com aumento no preço da arroba suína (08:18)
Soja: mercado opera em alta na Bolsa de Chicago com volta do feriado dos EUA (08:15)
Sem movimentações em Chicago, milho sobe na B3 nesta 2ª feira (08:12)
Disponibilidade ainda limitada de soja no Brasil provoca altas comedidas nos fretes (08:00)
IPPA/CEPEA: índice inicia 2020 em queda (07:50)