Terça-feira, 31 de Março de 2020
Mercado Externo

Produtores de carne suína dos EUA estão bem equipados para suprir as necessidades da China
São Paulo, SP, 27 de Janeiro de 2020 - As importações de carne suína da China devem subir para o maior nível histórico em 2020 depois que a peste suína africana (PSA) dizimar seu rebanho de suínos, e os Estados Unidos estão prontos para assumir a tarefa, pois também têm um novo recorde de exportação .

Os Estados Unidos fecharam o ano passado com o maior estoque de carne de porco congelada no final do ano, cerca de 15% a mais do que no final de 2018, de acordo com dados publicados quarta-feira (22) pelo Departamento de Agricultura dos EUA. O estoque de 581 milhões de libras aumentou 5% em relação à alta de final de dezembro anterior, registrada em 2008.

Os suprimentos congelados de carne suína nos EUA também atingiram altas mensais em outubro e novembro, e esses dados datam de 1917. Antes de outubro, um novo recorde mensal não era estabelecido desde janeiro de 2016.

Os produtores de suínos dos EUA aumentaram em média 4% o estoque de animais em relação ao ano anterior durante todos os trimestres de 2019. Todos esses números foram recordes, exceto a contagem de 1º de dezembro, que tem um período de registro muito mais longo. A população de todos os porcos em 1º de dezembro era de 77,3 milhões de cabeças, perdendo apenas para 1943.

Os contratos futuros de suínos negociados na Bolsa Mercantil de Chicago atingiram altas de duas semanas na quinta-feira (23), terminando em 75,35 centavos de dólar por libra-peso. Isso é 16% mais alto do que um ano atrás, o que era uma baixa de 11 anos para a data, mas a gravidade da peste suína africana na China não era evidente no mercado até março de 2019.

Após essa revelação, os futuros de suínos foram geralmente elevados por boa parte do ano passado, quando comparados com outros anos recentes, embora alguns integrantes do mercado sentissem que os preços ainda não eram altos o suficiente para refletir verdadeiramente o enorme déficit global de suínos que seria causado pelas mortes de suínos na China. Mas até agora, o rebanho e a taxa de produção dos EUA têm aumentado o suficiente para atender ao aumento projetado da demanda.

CRESCIMENTO DA IMPORTAÇÃO CHINESA

Dados publicados pela Administração Geral das Alfândegas da China na quinta-feira (23) mostram que o total de importações de suínos em 2019 no país atingiu 2,11 milhões de toneladas, cerca de 75% a mais que no ano anterior. Embora os Estados Unidos não sejam o principal fornecedor da China, os embarques de carne suína dos EUA para o país asiático alcançaram um novo recorde no ano passado, com volumes particularmente grandes no segundo semestre.

Até novembro, as exportações de carne suína dos EUA para a China atingiram 472.811 toneladas, cerca de 42% a mais do que a alta anterior para o período estabelecido em 2016. O aumento nos negócios faz uma diferença substancial para os fornecedores dos EUA, mas apenas para colocar isso em contexto com a demanda da China , as importações de carne suína dos EUA no ano passado representaram apenas 1% do consumo anual total da China.

O USDA estima que a China consumiu 48,97 milhões de toneladas de carne de porco em 2019, o que foi uma queda e queda acentuada em 10 anos em relação ao ano anterior.

Nos primeiros 11 meses de 2019, o valor das exportações de carne suína dos EUA para a China totalizou US$ 1,04 bilhão, muito além da alta anual anterior de US$ 714 milhões estabelecida em 2011.

Esses são números importantes a serem lembrados, já que a Fase 1 do acordo comercial, assinado recentemente pelos dois países, exige que a China compre pelo menos US$ 36,5 bilhões em produtos agrícolas dos EUA em 2020, um aumento de 52% em relação a três anos atrás. Também é importante notar que há um limite razoável de quanto a produção de carne suína dos EUA pode expandir em relação ao ano passado, o que também afetaria as exportações.

O USDA projeta que a produção suína dos EUA atinja um recorde de 13 milhões de toneladas em 2020. Isso representaria um aumento de 4% em relação a 2019, um aumento relativamente médio em comparação aos anos anteriores. As exportações são de 3,22 milhões de toneladas, também um recorde e um aumento de 13% no ano, um salto significativamente maior do que nos últimos anos. No entanto, esses números podem mudar no próximo mês, quando o USDA considerar o impacto do novo acordo comercial com a China.

Na semana encerrada em 16 de janeiro, um dia após a assinatura do acordo comercial, a China comprou cerca de 3.000 toneladas de carne suína dos EUA para entrega em 2020, segundo dados do USDA publicados na sexta-feira (24). Isso coloca o total de pedidos em 2020 em 302.248 toneladas, mais de oito vezes o volume na mesma data do ano passado.

Os comerciantes estarão observando atentamente esses números após o acordo da Fase 1, uma vez que as compras agrícolas da China nos EUA terão que aumentar substancialmente para cumprir o acordo. Os negócios chineses podem ser lentos na semana ou duas seguintes ao Ano Novo Lunar, que começa em 25 de janeiro, embora algumas das celebrações tenham sido canceladas devido ao recente surto de coronavírus.
(Reuters) (Karen Braun)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 31/03
Segunda-Feira, 30/03
Suíno: mercado continua com preços caindo nesta segunda-feira (16:27)
Presidente da ACSURS frisa cuidados com a saúde para que produção suinícola possa continuar (16:01)
Soja & Milho: negócios começam semana no BR com um pouco mais de calma (15:59)
Demanda externa por carne brasileira melhora com retorno da China às compras (15:58)
Milho amplia perdas em Chicago, mas sobe na B3 (12:14)
Aviagen e Bachoco se unem para realizar seminário no México (10:06)
Varejo acusa indústria de altas abusivas (09:32)
CNA divulga boletim sobre os impactos do Coronavírus (08:20)
Ministério da Infraestrutura atende demandas encaminhadas pela CNA (08:18)
Ovos: demanda de atacados e varejos aumenta (08:11)
Milho: vendedor retraído mantém preços em alta (08:05)
Soja começa 2ª feira com altas em Chicago (08:01)
Soja: demanda, altas externa e do dólar e logística restrita na Argentina elevam preços (08:00)
Soja tem semana de preços históricos e portos com capacidade esgotada no Brasil até maio (07:50)
Mercado do boi está em recuperação (07:45)
BRF mantém embarques ao exterior (07:26)
Tyson Foods doa US$ 13 mi a comunidades no entorno de suas unidades nos EUA (07:25)
Em Goiás, FCO Rural tem R$ 17 milhões para investimentos na produção de alimentos (07:25)
Impactos da pandemia ainda não são graves nas exportações do agronegócio, diz CNA (07:24)
Devido à estiagem, município gaúcho de Westfália decreta situação de emergência (07:23)
Sexta-Feira, 27/03
Suíno: quedas fortes no mercado em meio à redução de demanda (16:37)
Bolsas de suínos fecham sem negociação por falta de demanda em meio a Covid-19 (16:35)
CNA pede ao Governo medidas de apoio à comercialização de alimentos (16:33)
Suinocultura em SC: falta demanda e frigoríficos ficam com câmaras cheias e granjas sem conseguir vender animais (14:12)
Cenário de sustentação do milho não teve alívio (13:09)
Milho opera em baixa nesta 6ª feira na Bolsa de Chicago e na B3 (13:07)
Boi Gordo: alta dos preços de balcão durante esta semana em SP (13:05)
Mapa publica portaria com atividades e serviços essenciais para garantir funcionamento do setor agropecuário e abastecimento (13:04)
Pedro Parente continuará no comando do conselho na BRF (09:17)
Coronavírus: Conselho Internacional de Avicultura reforça compromisso com a saúde dos trabalhadores (09:16)
JBS faz provisão para descontos a clientes chineses (09:15)
Frango: liquidez envolvendo carne congelada aumenta no atacado (08:06)
Mercado da soja volta a subir em Chicago nesta 6ª feira (08:03)
Boi Gordo: Coronavírus mantém o mercado de reposição com baixa movimentação (08:00)
Milho: Chicago registra leves ganhos após bons números do USDA (07:59)
Ministra da Agricultura pede apoio de secretários estaduais para garantir abastecimento (07:57)
Cotação da arroba do boi gordo em recuperação (07:56)
Consumo no Brasil preocupa todas as cadeias produtivas do agro brasileiro (07:51)
Processadores de soja da China temem escassez de oferta por medidas contra coronavírus (07:50)
Transporte de soja segue forte apesar de desafios por vírus, diz Sotran Logística (07:49)
Safra 2019/20 de soja tem uma das maiores margens brutas dos últimos 10 anos (07:47)
FAESC apoia medidas da CNA para produtor superar crise (07:43)
Quinta-Feira, 26/03
Suíno: preços continuam caindo nesta quinta-feira (16:40)
Restrições na Argentina podem favorecer farelo de soja do Brasil (16:35)
Demanda por carne de frango e suína segue sustentada (16:06)
USDA: vendas semanais de soja dos EUA ficam levemente acima das expectativas (16:05)
FACTA lança 3ª edição do livro "Doenças das Aves" (13:39)
Cotação do milho cai em Chicago antes do relatório do USDA (13:00)
Cotação do milho segue sustentada no mercado interno (10:56)
Produtores rurais atraem solidariedade para o Brasil, afirma presidente da ABPA (10:49)
China começa a ampliar suas importações de grãos (10:45)
FAO vê riscos de tensões na cadeia global de alimentos (10:43)
Quais os primeiros impactos do coronavírus sobre a pecuária de corte? (10:35)
JBS mantém empregos e investimentos no Brasil (10:32)
Boi Gordo: parte das indústrias necessita de animais terminados (10:00)
Suíno: ritmo de negócios diminui e preços recuam com força (09:30)
Milho abre a 5ª feira em baixa em meio ao avanço do Coronavírus (09:26)
SP: Secretaria de Agricultura e Abastecimento toma medidas de prevenção (09:24)
Boi: preços da carne seguem firmes no atacado (08:32)
CNA solicita medidas de apoio para produtor superar crise e manter produção (08:06)
Soja cai expressivamente em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Quarta-Feira, 25/03
China encoraja governos locais a estocar produtos de aves e aquicultura (16:35)
Conab contrata frete com cooperativas autônomas para remoção de milho (16:26)
Agroindústria de SC se mantém ativa (16:22)
Suíno: 4ª feira de desvalorizações nas cotações (16:17)
Impulsionado por ramo pecuário, PIB do agro mineiro cresce 5,12% em 2019 (16:09)
Exportação de carne bovina em março deve superar fevereiro em volume e preços (16:05)
Milho: Chicago mantem leves altas nas cotações (13:57)
Milho: volume negociado segue baixo nos últimos dias (10:31)
Dificuldade de compra de boiadas terminadas é vigente (10:29)
Mercado de Commodities testa resistência de COVID-19, diz INTL FCstone (09:35)
Presidente do CNA pede a municípios funcionamento das agroindústrias no país (09:22)
Milho abre a 4ª feira com alta em Chicago (09:17)
Preços do milho seguem firmes no mercado interno (09:08)
Soja volta a subir na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira (07:45)
Milho: preços baixos atraem compras e cotações fecham a 3ª feira com altas em Chicago (07:44)
Abiove mantém estimativa de embarque de soja do país, mas monitora impactos de vírus (07:21)
Brasil já tem contratadas 23 milhões de toneladas de soja para exportar entre março e abril (07:19)