Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
Bem-estar Animal

Redes de fast-food não têm compromisso com bem-estar de frangos, aponta pesquisa
Rio de Janeiro, RJ, 27 de Janeiro de 2020 - Um acompanhamento realizado pela ONG Proteção Animal Mundial (World Animal Protection), a partir de informações públicas de nove redes de fast-food com atuação internacional, apontou que nenhuma delas assumiu compromissos globais com o bem-estar de frangos em 2020. Segundo o relatório “Botando ordem no galinheiro”, só a rede KFC, de pratos à base de frango frito, apresentou melhora na avaliação desde a pesquisa do ano passado.

“Nosso objetivo é que não só consumidores e investidores, mas as próprias empresas consigam ver como estão em termos de bem-estar animal comparado a seus concorrentes”, explica Paola Rueda, coordenadora de Animais de Fazenda da Proteção Animal Mundial, frisando que o tema tem ganho visibilidade e servido como fator de decisão para investidores.

De acordo com o relatório, as redes MC Donald’s, Burger King e Pizza Hut perderam pontos no ranking desde o ano passado por não assumirem compromissos globais com bem-estar animal ou por não reafirmá-los. Entre os critérios avaliados, estão políticas globais, uso de linhagens genéticas com crescimento mais lento, densidade populacional de aves nos sistemas de criação e ambiente onde esses animais se encontram.

Das marcas mencionadas, a Pizza Hut informou à ONG ter adotado um compromisso com bem-estar de frangos na Europa, o que deve impactar sua pontuação nos próximos relatórios da ONG Proteção Animal Mundial.

A Globo Rural procurou todas as empresas citadas no relatório, mas apenas o Burger King respondeu. De acordo com a empresa, todos os seus parceiros fornecem frangos livres de gaiolas ou sistema multiníveis.

Impacto na carne

O consumidor está entre os principais atingidos pela falta de bem-estar animal em criações de frangos para as redes de fast-food. Paola Rueda destaca que a densidade populacional muito elevada e o estresse ao qual essas aves podem ser submetidas comprometem o sistema imunológico dos animais, exigindo maior uso de antibióticos.

“Em sistemas de criação com maiores níveis de bem-estar, as chances de haver resquícios de antibiótico na carne são muito menores. Em termos de saúde, esse seria um dos efeitos mais importantes”, explica.

Para o produtor, a adoção de melhores formas de manejo também traz benefícios. Além de reduzir os custos com antibióticos, há menores perdas. “Quando a gente coloca na balança a relação entre ter menos animais por metro quadrado e o que o produtor deixa de perder por conta de doenças e mortalidade, isso se contrabalanceia”, ressalta Paola.

O que fazer?

A ONG estima que a adoção de boas práticas, como a redução de 10 para 13 animais por metro quadrado nas criações feitas em galpão e a adoção de genéticas de crescimento em torno de 52 dias (ao invés de 42 dias), geraria um aumento de custo de cerca de R$ 0,30 por ave viva.

Para o consumidor, essa alta seria de apenas R$ 0,25 no preço dos produtos, considerando o valor de um lanche convencional. “Essas mudanças dependem muito mais da disposição do mercado e da informação do consumidor do que de uma questão econômica”, avalia a coordenadora da ONG.

Adaptação no Brasil

Considerando-se a estrutura de produção brasileiras, Paola afirma que há maior flexibilidade de adaptação entre os criadores do Sul, de menor porte e nível tecnológico. Isso porque, entre esses produtores, as galinhas e frangos são dispostos em sistema convencional, com luz natural. “Ele só teria que diminuir um pouco a densidade, de 34 a 33 animais por metro quadrado para 30 animais”, explica.

A maior dificuldade, destaca, seria entre os produtores do Centro-Oeste, onde houve maior investimento em sistemas de dark house, com animais criados em locais fechados e de iluminação artificial. Nesses casos, há maior resistência do setor devido aos altos custos aplicados para construir o sistema produtivo.

“Comparando, o dark house é o sistema em que os animais têm mais baixa de imunidade. Seria o pior em termos de bem-estar. O sistema convencional, de cortina, seria o intermediário”, observa Paola.
Papel do consumidor

O estudo destaca que o principal motor para a mudança nas políticas de bem-estar animal das grandes redes de fast-food está na cobrança do consumidor. “Nos países onde o consumidor é mais exigente e está mais preocupado com o bem-estar animal, o investimento dessas empresas em mudanças é mais rápido”, explica.

No caso do relatório deste ano, os compromissos assumidos pelas empresas analisadas se concentraram na Europa, EUA e Canadá. “Por que essas empresas conseguem fornecer para a Europa com esse nível de bem-estar, mas não conseguem fazer o mesmo para nós, no Brasil?”, questiona a coordenadora da ONG Proteção Animal Mundial.
(Revista Globo Rural) (Cleyton Vilarino)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 02/04
Preço do suíno independente baixa até para patamares vistos há dez meses (16:24)
Boi: demanda da China e ciclo pecuário de alta nos preços vão minimizar impactos de uma retração da demanda interna por carnes (16:13)
Petróleo dispara e puxa commodities agrícolas (16:07)
Adiamento de tributos ajudará agroindústria na crise, diz CNA (15:44)
Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19 (15:14)
Aurora manterá quadro de empregados e não cogita redução de sua força de trabalho (14:50)
Faturamento com exportação de carne suína em março é 61% maior do que em março/19 (13:24)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro do esperado (13:22)
Milho: B3 segue caindo na maioria dos contratos e Chicago contabiliza ganhos (13:21)
Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19 (11:37)
As empresas têm que agir com responsabilidade’, defende BRF (09:30)
Supermercado pode viver ‘nova onda’ de consumo (09:26)
Justiça do DF desobriga empresa de apresentar CND em financiamento (09:25)
Milho abre a 5ª feira subindo em Chicago e em campo misto na B3 (09:04)
Suínos: preços do vivo e da carne caem com mais força no final de março (09:03)
Boi: mercado pecuário apresenta instabilidade no correr de março (09:00)
Marca Tecnologia Embrapa chega às gôndolas dos supermercados em ovos da Korin (08:39)
Cobb-Vantress substitui frota para entregar mais eficiência produtiva e ambiental (08:19)
Mercado do boi está em alerta (08:02)
Milho no Brasil segue em alta enquanto safrinha se desenvolveu bem com chuvas de março (08:00)
Após queda intensa, soja tem estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (07:58)
Quarta-Feira, 01/04
Suíno: preços seguem com queda acentuada quebra na demanda (16:41)
Frigoríficos reduzem ritmo de compras após alongarem escalas (16:16)
Exportações brasileiras de milho em março ficam menores do que mesmo mês de 2019, mas sobem em relação a fevereiro (16:09)
Para incentivar a população a não sair de casa, Grupo Mantiqueira expande operação de delivery com clube de assinantes do ovo (15:58)
Soja cai mais de 2% em Chicago, em dia de perdas generalizadas (14:42)
Setores de aves e suínos do ES colocam em prática as orientações de prevenção e se organizam para continuar o abastecimento de alimentos (14:39)
Milho: alta do dólar pressiona cotações na B3 e Chicago aprofunda perdas (13:12)
BRF anuncia doações de R$ 50 milhões (13:09)
Com falta de ovos nos EUA, venda de pintos aumentam (12:25)
Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea (11:29)
BRF contrata R$ 1,4 bi em linhas de crédito para reforçar liquidez (10:14)
Milho abre o mês ainda em queda na Bolsa de Chicago e na B3 (10:12)
SIF garante a manutenção do abastecimento de produtos de origem animal (09:15)
Governo estuda pacote de R$ 2 bi para o campo (09:14)
Frigoríficos dos EUA oferecem bônus contra absenteísmo (09:12)
Embrapa faz parceria com Korin e se aproxima do consumidor (09:11)
Soja: mercado começa abril com perdas de mais de 1% em Chicago (08:15)
Milho: poucas movimentações no Brasil e queda de 7% em março em Chicago (08:11)
Mapa institui comitê de crise para monitorar impactos do Coronavírus (08:10)
Suíno: principais praças produtoras do vivo têm desvalorização (08:06)
Boi gordo encerra março com preços firmes (08:00)
Habilitação de novos frigoríficos pela China está paralisada (07:28)
Terça-Feira, 31/03
PIB AGRO SP/CEPEA: Pecuária eleva PIB agro de SP em 1,5% em 2019 (13:47)
Cobb debateu mudanças de manejo para o frango moderno com jovens avicultores (13:39)
Milho segue caindo em Chicago, mas sobe 2% na B3 (12:27)
Início da crise puxa o preço dos alimentos, mas alta é passageira (09:50)
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA (09:19)
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo (08:18)
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho (08:13)
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico (08:12)
Quarentena reduz drasticamente demanda por suínos nas principais praças produtoras (08:05)
Soja tem leves baixas nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Retomada de preço no mercado do boi gordo (07:45)
Segunda-Feira, 30/03
Suíno: mercado continua com preços caindo nesta segunda-feira (16:27)
Presidente da ACSURS frisa cuidados com a saúde para que produção suinícola possa continuar (16:01)
Soja & Milho: negócios começam semana no BR com um pouco mais de calma (15:59)
Demanda externa por carne brasileira melhora com retorno da China às compras (15:58)
Milho amplia perdas em Chicago, mas sobe na B3 (12:14)
Aviagen e Bachoco se unem para realizar seminário no México (10:06)
Varejo acusa indústria de altas abusivas (09:32)
CNA divulga boletim sobre os impactos do Coronavírus (08:20)
Ministério da Infraestrutura atende demandas encaminhadas pela CNA (08:18)
Ovos: demanda de atacados e varejos aumenta (08:11)
Milho: vendedor retraído mantém preços em alta (08:05)
Soja começa 2ª feira com altas em Chicago (08:01)
Soja: demanda, altas externa e do dólar e logística restrita na Argentina elevam preços (08:00)
Soja tem semana de preços históricos e portos com capacidade esgotada no Brasil até maio (07:50)
Mercado do boi está em recuperação (07:45)
BRF mantém embarques ao exterior (07:26)
Tyson Foods doa US$ 13 mi a comunidades no entorno de suas unidades nos EUA (07:25)
Em Goiás, FCO Rural tem R$ 17 milhões para investimentos na produção de alimentos (07:25)
Impactos da pandemia ainda não são graves nas exportações do agronegócio, diz CNA (07:24)
Devido à estiagem, município gaúcho de Westfália decreta situação de emergência (07:23)
Sexta-Feira, 27/03
Suíno: quedas fortes no mercado em meio à redução de demanda (16:37)
Bolsas de suínos fecham sem negociação por falta de demanda em meio a Covid-19 (16:35)
CNA pede ao Governo medidas de apoio à comercialização de alimentos (16:33)
Suinocultura em SC: falta demanda e frigoríficos ficam com câmaras cheias e granjas sem conseguir vender animais (14:12)
Cenário de sustentação do milho não teve alívio (13:09)
Milho opera em baixa nesta 6ª feira na Bolsa de Chicago e na B3 (13:07)
Boi Gordo: alta dos preços de balcão durante esta semana em SP (13:05)
Mapa publica portaria com atividades e serviços essenciais para garantir funcionamento do setor agropecuário e abastecimento (13:04)
Pedro Parente continuará no comando do conselho na BRF (09:17)
Coronavírus: Conselho Internacional de Avicultura reforça compromisso com a saúde dos trabalhadores (09:16)
JBS faz provisão para descontos a clientes chineses (09:15)
Frango: liquidez envolvendo carne congelada aumenta no atacado (08:06)
Mercado da soja volta a subir em Chicago nesta 6ª feira (08:03)
Boi Gordo: Coronavírus mantém o mercado de reposição com baixa movimentação (08:00)
Milho: Chicago registra leves ganhos após bons números do USDA (07:59)
Ministra da Agricultura pede apoio de secretários estaduais para garantir abastecimento (07:57)
Cotação da arroba do boi gordo em recuperação (07:56)
Consumo no Brasil preocupa todas as cadeias produtivas do agro brasileiro (07:51)
Processadores de soja da China temem escassez de oferta por medidas contra coronavírus (07:50)
Transporte de soja segue forte apesar de desafios por vírus, diz Sotran Logística (07:49)
Safra 2019/20 de soja tem uma das maiores margens brutas dos últimos 10 anos (07:47)
FAESC apoia medidas da CNA para produtor superar crise (07:43)