Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020
Matérias-Primas

Soja fecha com portos estáveis no Brasil nesta 4ª feira
Campinas, SP, 23 de Janeiro de 2020 - O mercado da soja voltou a recuar na Bolsa de Chicago e terminou o pregão desta quarta-feira (22) com leves baixas. Os futuros da commodity perderam pouco mais de 2 pontos, levando o março a US$ 9,13 e mantendo o julho ainda abaixo dos US$ 9,50, fechando com US$ 9,41.

No mercado brasileiro, o dólar também recuou e fechou o dia com US$ 4,17, o que contribuiu para preços equilibrados da oleaginosa. Nos portos, os preços se mantiveram estáveis com indicativos de R$ 88,00 em Paranaguá e R$ 87,30 em Rio Grande, no disponível. Para março, as referências permaneceram em R$ 87,00 e R$ 86,00 por saca, respectivamente.

No interior, acompanhando as realidades regionais, algumas praças de comercialização registraram altas de mais de 1%, como foi o caso de Luís Eduardo Magalhães, na Bahia, para R$ 77,00, ou Brasília, para R$ 76,00. Boa parte das praças de Mato Grosso pesquisadas pelo Notícias Agrícolas também registraram altas, com os preços ainda oscilando entre R$ 73,00 e R$ 77,00 por saca.

O mercado no Brasil segue muito atento ao comportamento da demanda - que se mantém concentrada aqui e também pressiona as cotações na Bolsa de Chicago. Os novos negócios, no entanto, são pontuais.

"Os produtores vêm segurando as vendas à espera de um rumo que ainda não se definiu, mas dá sinais positivos em cima da demanda da China que deve voltar a crescer depois do feriado do Ano Novo Lunar do país que termina no final da semana", explica Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting.

MERCADO INTERNACIONAL

Na Bolsa de Chicago, as cotações terminaram o dia com pequenas baixas ainda pressionada pela falta de novidades sobre a demanda chinesa.

Os futuros da oleaginosa vieram acumulando baixas consideráveis desde a divulgação da fase um do acordo comercial entre chineses e americanos na semana passada. A falta das compras por parte da China nos EUA pressionaram as cotações, que agora tentam se recuperar.

Somente de 15 a 21 de janeiro, os futuros da soja acumularam uma baixa de mais de 1% em seus três primeiros vencimentos. O março foi a US$ 9,16 - caindo 1,29% - o maio a US$ 9,29 - perdendo 1,38% - e o julho a US$ 9,43 - com queda de 1,15%.

As notícias, no entanto, ainda não mudaram. E a proximidade do feriado do Ano Novo Lunar na nação asiática - o mais longo e importante do país - pode manter os negócios em um ritmo ainda limitado nos próximos dias, principalmente no mercado norte-americano.

Embora o conflito esteja no centro das atenções, o início da chegada da oferta brasileira e o cenário político e econômico também responde por parte da pressão que é sentida pelas cotações.
"Pesam sobre o potencial de rally o atual quadro geopolítico/econômico mundial, a colheita da safra da América do Sul e o surto de um novo vírus mortal afetando humanos", explica o consultor de mercado Steve Cachia, da AgroCulte e Cerealpar. Assim, ainda segundo o executivo, "o mercado continua sendo muito afetado por ajustes técnicos provocados por fatores não tradicionais, que também são a razão pelo nível alto do dólar no Brasil".
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 21/02
Praticamente metade da safra do milho já está colhida no RS (08:38)
Surto de vírus não mudará compromissos da China de comprar produtos dos EUA (08:37)
CNA diz que MP do Agro dá mais alternativas de financiamento e simplifica acesso ao crédito (08:26)
Suíno: animal vivo segue valorizado nas principais praças (07:55)
Mercado do boi gordo está firme (07:53)
Oferta restrita dá sustentação ao mercado de carne bovina no atacado (07:52)
Milho fecha a 5ª feira desvalorizado em Chicago após encontro do USDA (07:51)
Soja mais barata no Brasil do que nos EUA pressiona Chicago mais uma vez (07:48)
Quinta-Feira, 20/02
Exportações de genética avícola decrescem em janeiro (11:03)
Suínos: poder de compra frente ao milho é o mais baixo desde Fev/19 (10:22)
Boi: abate cai no final de 2019 e confirma baixa oferta (10:21)
Milho: Vendedores tem mostrado interesse em negociar, enquanto o comprador se abastece para os próximos dias (09:20)
Boi: A queda das cotações no mercado atacadista influenciou as tentativas de compra (09:16)
Vetanco participa do Show Rural Coopavel 2020 (09:01)
Milho abre a 5ª feira com baixas em Chicago à espera de números do USDA (09:00)
Soja recua em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Suíno: cotações estáveis em São Paulo; animal vivo segue valorizado nas principais praças produtoras (07:16)
APA divulga programa definitivo do Congresso de Ovos 2020 (07:01)
CNA discute impactos da reforma tributária para o Agro (06:59)
Pouco boi provoca alta significativa no Norte do país (06:55)
Milho cai em Chicago nesta 4ª feira (06:51)
Poucos negócios novos com a soja brasileira (06:48)
Quarta-Feira, 19/02
Katayama Alimentos é a primeira indústria brasileira a produzir ovos em grande escala com o “Certificado Ovos Livres de Antibióticos” (14:38)
Avicultores conferem as tendências dos mercados de grãos e ovos no primeiro Qualificaves de 2020 (14:34)
Milho: aos poucos os vendedores tem ofertado mais volumes (10:36)
China garantirá mais fornecimento de aves em meio a epidemia (10:30)
ABPA vai propor criação de sistema de prevenção à gripe aviária no Cone Sul (10:01)
Tocantins registrou a maior alta para o boi gordo em fevereiro (09:32)
Milho abre a quarta-feira levemente em queda na Bolsa de Chicago (08:45)
Soja em Chicago segue caminhando de lado nesta 4ª feira, Brasil ainda tem preços firmes (08:30)
Embarque da China para Brasil cai 50% (08:07)
Suíno: cotações seguem subindo (07:14)
China alerta para impacto do coronavírus sobre suprimento de frango e ovos (07:12)
Turra projeta crescimento na produção de carne suína e de frangos (07:10)
Milho sobe em Chicago nesta terça-feira (07:05)
Isenção tarifária e a redução dos fretes marítimos abrem portas para demanda chinesa sobre a soja americana (07:00)
Terça-Feira, 18/02
ABPA apoia VI AVISULAT 2020 (14:46)
APA e CDA dão oportunidade de treinamento para a habilitação de emissão de GTA durante o Congresso de Ovos (12:38)
Milho abre a 3ª feira com altas em Chicago após feriado americano (09:25)
Brasil quer criar bloco continental para defesa sanitária (08:28)
Suíno: São Paulo começa a semana com aumento no preço da arroba suína (08:18)
Soja: mercado opera em alta na Bolsa de Chicago com volta do feriado dos EUA (08:15)
Sem movimentações em Chicago, milho sobe na B3 nesta 2ª feira (08:12)
Disponibilidade ainda limitada de soja no Brasil provoca altas comedidas nos fretes (08:00)
IPPA/CEPEA: índice inicia 2020 em queda (07:50)
Segunda-Feira, 17/02
VBP terá valor recorde em 2020 (11:06)
Milho: as cotações do milho subiram de maneira nítida em todo país (10:32)
Boi: a semana anterior foi de valorização dos preços de balcão (10:27)
Ovos: preços seguem em alta; diferença entre brancos e vermelhos é a maior em 10 meses (09:25)
Milho: cotações voltam a subir na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea (09:15)
Soja: aumento da oferta e dólar forte elevam liquidez no Brasil; preços sobem (09:00)
Suínos: preço do animal vivo mostra reação; produtor independente vê cotações subirem (08:06)
China anuncia retirada de proibição de importação de frango dos EUA (08:04)
Milho tem semana de preços firmes no mercado brasileiro (08:00)
Soja fecha semana com sustentação dos preços no Brasil (07:55)