Domingo, 05 de Abril de 2020
Exportação

"Nosso investimento deve ser feito na marca Brasil", diz presidente da ACAV
Florianópolis , 07 de Janeiro de 2020 - Após dois anos de crise em função da Operação Carne Fraca de março de 2017, que derrubou as exportações brasileiras da avicultura, o setor recuperou um pouco o espaço no cenário internacional em 2019 devido ao problema sanitário enfrentado pela China. Contudo, essa situação, que é passageira, não é motivo para o setor ampliar investimentos com foco no mercado internacional de baixos preços, alerta o presidente da Associação Catarinense de Avicultura (Acav), José Antônio Ribas Júnior.

Segundo ele, o investimento deve ser feito na marca Brasil porque o país detém as melhores condições para produzir frango de alto padrão. Em Santa Catarina, a carne de ave foi o principal produto de exportação novamente no ano passado, respondeu por 21,57% do total de receita e cresceu 2,12% frente ao ano anterior. O setor começa 2020 com cenário promissor porque o país seguirá como gigante na agropecuária, mas essa participação pode ser mais estratégica, sinaliza Ribas Júnior.

- Temos que olhar o longo prazo, entender a dinâmica deste mercado e saber exatamente o papel que queremos exercer no cenário mundial. Somos competitivos em custo, temos competências ambientais inquestionáveis, somos uma avicultura livre dos problemas sanitários que afetam nossos concorrentes e sabemos produzir com qualidade. Dados estes fatos, nosso investimento deve ser feito na marca Brasil e no valor agregado dos produtos – avalia o presidente da Acav.

Segundo ele, Santa Catarina e o país têm condições de oferecer um mix de maior valor agregado para os clientes mundiais. É preciso aumentar a rentabilidade e crescer em faturamento. O Brasil precisa de um crescimento sustentável e, para isso, é preciso uma estratégia produtiva de longo prazo.

- Temos que fazer aqui o melhor frango do mundo. Isso abre portas e gera retornos sustentáveis- defende ele.

A propósito, essa proposta de investir na marca Brasil é importante e deveria ser executada porque o país tem as condições necessárias para isso. Um passo importante é não fazer algo errado na sanidade, o que implica diretamente na qualidade. Outro, é destacar as condições naturais diferenciadas e também criar produtos de nicho. Essa estratégia de marketing de produto de origem dá certo e alguns exemplos de valorização são notórios no mundo: café de Colômbia, vinhos de Bordeaux e leite da Nova Zelândia. Aliás, o agronegócio oferece inúmeras oportunidades para o Brasil deixar de ser um país sem marcas fortes no mercado mundial.

Efeito China continua

A China enfrentou ano passado o surto de peste suína africana e também gripe aviária. Mesmo assim, conseguiu ampliar a sua produção de frangos e superou o Brasil entre os produtores globais, alcançando a segunda posição, atrás dos EUA. Mas como o consumidor chinês, ao invés de substituir a escassa carne suína por frango, optou por carne bovina, isso impediu um salto na demanda global de frango, o que não era esperado pela agroindústria brasileira.

Para Ribas Júnior, os problemas sanitários da China ainda vão impactar o mercado mundial de carnes neste ano e em 2021, mas depois não. Por isso os investimentos do agronegócio brasileiro devem ser pensados focando o longo prazo e qualidade, com o propósito de conseguir uma diferenciação.

Apoio do setor público

Embora se desenvolva com tecnologia, crescente produtividade e competitividade, o agronegócio é um setor que depende de ações e da parceria do setor público. Atualmente, segundo Ribas Júnior, o setor está satisfeito com a atuação da ministra da Agricultura, Teresa Cristina. Ela conhece e fala com o setor em alto nível e isso tem ajudado na conquista de novos mercados externos.

Apesar disso, o setor tem uma agenda interna a ser desenvolvida que inclui a modernização das normas e regulamentações, implementação de autocontrole, simplificações operacionais, melhorias logísticas e outras medidas.
(​NSC Total ) (Estela Benetti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 05/04
Sexta-Feira, 03/04
Suíno: quedas acentuadas para o mercado independente (16:44)
CNA destaca ações para reduzir impactos na comercialização de alimentos (15:57)
Soja pode registrar semana de maior alta da história no Brasil (14:18)
Milho abre a sexta-feira subindo em Chicago e na B3 (10:03)
Milho está acima de R$60 a saca em Campinas-SP (09:32)
Demanda por carne desaba no país (08:24)
Frigoríficos conseguiram alongar as escalas de abate (08:17)
Aviões cheios de suínos chegam à China para reconstruir o maior rebanho do mundo (08:16)
Milho: demanda segue aquecida e cotações no mercado interno permanecem sustentadas (08:05)
Soja segue operando com estabilidade nesta 6ª feira em Chicago (08:00)
Milho segunda safra mostra amplo desenvolvimento (07:16)
Quinta-Feira, 02/04
Preço do suíno independente baixa até para patamares vistos há dez meses (16:24)
Boi: demanda da China e ciclo pecuário de alta nos preços vão minimizar impactos de uma retração da demanda interna por carnes (16:13)
Petróleo dispara e puxa commodities agrícolas (16:07)
Adiamento de tributos ajudará agroindústria na crise, diz CNA (15:44)
Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19 (15:14)
Aurora manterá quadro de empregados e não cogita redução de sua força de trabalho (14:50)
Faturamento com exportação de carne suína em março é 61% maior do que em março/19 (13:24)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro do esperado (13:22)
Milho: B3 segue caindo na maioria dos contratos e Chicago contabiliza ganhos (13:21)
Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19 (11:37)
As empresas têm que agir com responsabilidade’, defende BRF (09:30)
Supermercado pode viver ‘nova onda’ de consumo (09:26)
Justiça do DF desobriga empresa de apresentar CND em financiamento (09:25)
Milho abre a 5ª feira subindo em Chicago e em campo misto na B3 (09:04)
Suínos: preços do vivo e da carne caem com mais força no final de março (09:03)
Boi: mercado pecuário apresenta instabilidade no correr de março (09:00)
Marca Tecnologia Embrapa chega às gôndolas dos supermercados em ovos da Korin (08:39)
Cobb-Vantress substitui frota para entregar mais eficiência produtiva e ambiental (08:19)
Mercado do boi está em alerta (08:02)
Milho no Brasil segue em alta enquanto safrinha se desenvolveu bem com chuvas de março (08:00)
Após queda intensa, soja tem estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (07:58)
Quarta-Feira, 01/04
Suíno: preços seguem com queda acentuada quebra na demanda (16:41)
Frigoríficos reduzem ritmo de compras após alongarem escalas (16:16)
Exportações brasileiras de milho em março ficam menores do que mesmo mês de 2019, mas sobem em relação a fevereiro (16:09)
Para incentivar a população a não sair de casa, Grupo Mantiqueira expande operação de delivery com clube de assinantes do ovo (15:58)
Soja cai mais de 2% em Chicago, em dia de perdas generalizadas (14:42)
Setores de aves e suínos do ES colocam em prática as orientações de prevenção e se organizam para continuar o abastecimento de alimentos (14:39)
Milho: alta do dólar pressiona cotações na B3 e Chicago aprofunda perdas (13:12)
BRF anuncia doações de R$ 50 milhões (13:09)
Com falta de ovos nos EUA, venda de pintos aumentam (12:25)
Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea (11:29)
BRF contrata R$ 1,4 bi em linhas de crédito para reforçar liquidez (10:14)
Milho abre o mês ainda em queda na Bolsa de Chicago e na B3 (10:12)
SIF garante a manutenção do abastecimento de produtos de origem animal (09:15)
Governo estuda pacote de R$ 2 bi para o campo (09:14)
Frigoríficos dos EUA oferecem bônus contra absenteísmo (09:12)
Embrapa faz parceria com Korin e se aproxima do consumidor (09:11)
Soja: mercado começa abril com perdas de mais de 1% em Chicago (08:15)
Milho: poucas movimentações no Brasil e queda de 7% em março em Chicago (08:11)
Mapa institui comitê de crise para monitorar impactos do Coronavírus (08:10)
Suíno: principais praças produtoras do vivo têm desvalorização (08:06)
Boi gordo encerra março com preços firmes (08:00)
Habilitação de novos frigoríficos pela China está paralisada (07:28)
Terça-Feira, 31/03
PIB AGRO SP/CEPEA: Pecuária eleva PIB agro de SP em 1,5% em 2019 (13:47)
Cobb debateu mudanças de manejo para o frango moderno com jovens avicultores (13:39)
Milho segue caindo em Chicago, mas sobe 2% na B3 (12:27)
Início da crise puxa o preço dos alimentos, mas alta é passageira (09:50)
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA (09:19)
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo (08:18)
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho (08:13)
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico (08:12)
Quarentena reduz drasticamente demanda por suínos nas principais praças produtoras (08:05)
Soja tem leves baixas nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Retomada de preço no mercado do boi gordo (07:45)