Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
Mercado

Preços globais da carne bovina devem permanecer sustentados em 2020, reafirma o Rabobank
São Paulo, SP, 06 de Dezembro de 2019 - A alta demanda da China e de outros países da Ásia por carne bovina, em decorrência dos casos de peste suína africana na região, deve manter os preços globais da proteína sustentados no ano que vem, segundo o Rabobank. Em relatório trimestral divulgado há pouco pelo Rabobank. O gigante asiático deve absorver o aumento da produção na América do Sul, em especial Brasil e Argentina.

A China deve ter demanda "extremamente forte" pela carne bovina no ano que vem, de acordo com o boletim, mesmo com o avanço nos preços locais. Isso porque, apesar de ter subido expressivamente nos últimos meses, a carne suína - principal concorrente - avançou ainda mais. "Em outubro de 2018, o preço da carne bovina era 2,8 vezes a da suína; mas em outubro de 2019 é apenas 0,6 vez mais alta", informa o relatório. O país também deve continuar importando volumes consideráveis de carne bovina, como indicam as habilitações recentes de plantas - desde agosto, o Brasil teve 22 frigoríficos habilitados e a Argentina, oito.

Para suprir a demanda chinesa, a América do Sul deve aumentar a produção. O Rabobank reiterou a projeção para produção brasileira - aumento de 3,5% em 2020 - divulgada em evento na semana passada. O banco também projeta que as exportações brasileiras aumentem em 10,65% no próximo ano. Com as novas habilitações, o banco acredita que o Brasil aumentará as exportações para a China nos próximos meses.

Em setembro, o País já retomou o posto de maior exportador de carne bovina para a nação asiática, que era da Argentina. No vizinho sul-americano, a vitória de Alberto Fernández nas eleições presidenciais causa "incerteza" por falta de propostas para o setor e "maiores chances de tarifas mais altas para exportações de carne bovina", que hoje estão na casa dos 5%. Mesmo assim, o Rabobank estima que os altos preços globais e a depreciação da moeda argentina possam compensar as eventuais tarifas. O avanço na produção argentina deve ser motivado tanto pela desvalorização da moeda quanto pelos preços recordes de bovinos vivos.

Nos Estados Unidos, a demanda doméstica é considerada boa. A preocupação da indústria seria o aumento de preços da carne que o país importa para processar. Os preços locais da proteína podem ser sustentados no ano que vem com a demanda de redes de fast-food, entre outras, por carne local para substituir a estrangeira.
(Agência Estado) (Augusto Decker)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 05/08
Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos (08:22)
Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho (08:19)
Milho sobe no físico nesta 3ªfeira, mas sente pressão de Chicago na B3 (08:07)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 10% nesta 3ª feira (08:00)
Terça-Feira, 04/08
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a microbiota intestinal (16:16)
Ovotrack lança novo site (10:22)
Armazenamento de ovos é tema do segundo episódio do podcast da Ceva para o setor avícola (08:35)
Milho: retração vendedora sustenta cotações no Brasil (08:05)
Soja 2020/21: ARC Mercosul estima aumento de 3,81% na área e 65% da safra já comercializada (08:00)
Segunda-Feira, 03/08
Aurora Alimentos é a marca que mais conquistou consumidores em 2020 (08:17)
OVOS/CEPEA: preços recuam pelo 3º mês consecutivo (08:15)
MILHO/CEPEA: preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita (08:14)
Milho segue se valorizando no Brasil (08:11)
Soja registra novos recordes de preço (08:00)
Coopeavi realiza primeira assembleia em ambiente virtual e renova Conselho Fiscal (07:48)
Sexta-Feira, 31/07
Preço do milho segue valorizado no mercado físico (08:06)
Soja tem altas pontuais no Brasil e acompanha leve avanço em Chicago (08:04)
Quinta-Feira, 30/07
ABPA apresenta cuidados tomados nos frigoríficos durante a Pandemia (15:16)
Doença de Gumboro: do surto a 100% de imunização (08:26)
Produção de soja no Brasil pode crescer 6% em 2020/21 (08:05)
Prêmios da soja têm novo dia de altas e sobem mais de 3% (08:00)