Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
Matérias-Primas

Milho encerra quinta-feira em baixa na Bolsa de Chicago

Mercado físico segue firme e com poucos negócios.
Campinas, SP, 06 de Dezembro de 2019 - Ontem, a quinta-feira (05) terminou com leves desvalorizações para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram quedas entre 1,75 e 3,25 pontos ao longo do dia.

O vencimento dezembro/19 foi cotado à US$ 3,65 com desvalorização de 2,75 pontos, o março/20 valeu US$ 3,76 com perda de 1,75 pontos, o maio/20 foi negociado por US$ 3,82 com baixa de 2 pontos e o julho/20 teve valor de US$ 3,87 com queda de 2,25 pontos.

Esses índices representaram perdas, com relação ao fechamento da última quarta-feira, de 0,82% para o dezembro/19, de 0,53% para o março/20, de 0,52% para o maio/20 e de 0,51% para o julho/20.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou seu reporte semanal de vendas para exportação dando conta de que 546,1 mil toneladas de milho foram vendidas, contra expectativas de 500 mil a 900 mil toneladas. O total ficou dentro do esperado e recua 32% em relação à semana anterior e 18% contra a média das últimas quatro semanas.

“As vendas de exportação de milho americano ficaram perto do limite mais baixo das estimativas”, comentou Mark Weinraub da Reuters Chicago.

Mercado interno

No mercado físico brasileiro, a quinta-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, foram registradas desvalorizações apenas nas praças de Campinas/SP (0,99% e preço de 48,76), Brasília/DF (2,38% e preço de R$ 41,00) e São Gabriel do Oeste/MS (2,50% e preço de R$ 39,00).

Já as valorizações foram percebidas em Assis/SP (1,22% e preço de R$ 41,50), Rondonópolis/MT (4,35% e preço de R$ 36,00), Itiquira/MT (5,88% e preço de R$ 36,00), Alto Garças/MT (5,88% e preço de R$ 36,00), Oeste da Bahia (5,88% e preço de R$ 45,00) e Primavera do Leste/MT (7,94% e preço de R$ 34,00).

Em sua nota diária, a Radar Investimentos apontou que o mercado físico segue relativamente firme, mas com poucos negócios nos últimos dias.

“O produtor está saindo aos poucos dos negócios e as granja/indústrias que possuem alguma necessidade urgente precisam pagar valores maiores para se abastecer”, dizem os analistas.
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 05/08
Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos (08:22)
Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho (08:19)
Milho sobe no físico nesta 3ªfeira, mas sente pressão de Chicago na B3 (08:07)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 10% nesta 3ª feira (08:00)
Terça-Feira, 04/08
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a microbiota intestinal (16:16)
Ovotrack lança novo site (10:22)
Armazenamento de ovos é tema do segundo episódio do podcast da Ceva para o setor avícola (08:35)
Milho: retração vendedora sustenta cotações no Brasil (08:05)
Soja 2020/21: ARC Mercosul estima aumento de 3,81% na área e 65% da safra já comercializada (08:00)
Segunda-Feira, 03/08
Aurora Alimentos é a marca que mais conquistou consumidores em 2020 (08:17)
OVOS/CEPEA: preços recuam pelo 3º mês consecutivo (08:15)
MILHO/CEPEA: preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita (08:14)
Milho segue se valorizando no Brasil (08:11)
Soja registra novos recordes de preço (08:00)
Coopeavi realiza primeira assembleia em ambiente virtual e renova Conselho Fiscal (07:48)
Sexta-Feira, 31/07
Preço do milho segue valorizado no mercado físico (08:06)
Soja tem altas pontuais no Brasil e acompanha leve avanço em Chicago (08:04)
Quinta-Feira, 30/07
ABPA apresenta cuidados tomados nos frigoríficos durante a Pandemia (15:16)
Doença de Gumboro: do surto a 100% de imunização (08:26)
Produção de soja no Brasil pode crescer 6% em 2020/21 (08:05)
Prêmios da soja têm novo dia de altas e sobem mais de 3% (08:00)