Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
Matérias-Primas

Soja sobe em Chicago pela terceira sessão consecutiva
Campinas, SP, 06 de Dezembro de 2019 - Referências no mercado interno têm suporte ainda da demanda presente e dos bons prêmios. Preços sobem também no interior do Brasil. Em Chicago, guerra comercial traz fragilidade aos movimentos de alta.

O mercado da soja encerrou o pregão desta quinta-feira (5) em alta na Bolsa de Chicago, registrando o terceiro avanço consecutivo. Os preços terminaram a sessão subindo entre 6,50 e 7 pontos nos principais vencimentos, levando o contrato janeiro a US$ 8,84 e o março a US$ 8,98 por bushel. O mercado estava bastante baixo e vem se recuperando tecnicamente.

Os ganhos, porém, são frágeis, como explica o chefe do setor de grãos da Datagro, Flávio França Junior, em entrevista ao Notícias Agrícolas. Segundo ele, até que se encontre uma solução efetiva para o desalinho comercial entre China e EUA, o mercado tende a manter-se pressionado.

França explica que os chineses até têm comprado volumes consideráveis de soja no mercado norte-americano, no entanto, ainda insuficientes para trazer normalidade ao ritmo visto em anos anteriores. "A China já comprou quase 10 milhões de toneladas nos EUA este ano, enquanto no ano passado, nesse mesma época, eram cerca de 500 mil apenas", diz.

O mercado também observa o comportamento do clima na América do Sul, porém, com o fator tendo pouco espaço no radar dos traders. No Brasil, as condições melhoraram e trouxeram alívio para os produtores na maior parte das regiões. Já na Argentina, as condições atuais são um pouco mais severas, com o boa parte das regiões sofrendo com um tempo seco.

"Mas, para as próximas semanas de dezembro as previsões para a Argentina são melhores e, com isso, o mercado já não dá tanta bola para esse fator", diz o especialista.

Ainda nesta quinta, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou a venda de 245 mil toneladas de soja para destinos não revelados nesta quinta-feira (5) e a notícia contribuiu para os ganhos. Do total, são 120 mil toneladas da safra 2016/20 e 125 mil da 2020/21.

NEGÓCIOS NO BRASIL

O dia foi de poucos negócios no Brasil. Há pouca disponibilidade da soja da safra velha ainda para ser comercializada e o produtor brasileiro já tem boa parte da safra nova vendida - cerca de 35% - e observa o mercado com mais cautela neste momento.

Como relata o representante da Datagro, os preços apresentam, principalmente em função da recente desvalorização do dólar, indicativos menores na casa de R$ 1,00 a R$ 1,50 por saca, a depender da região, mas ainda próximos dos picos da semana passada.

"Os preços agora são bons, então se o produtor precisar fechar agora será bom. Porque o espaço para novas altas até o final do ano é limitado, tendo que esperar para voltar ao mercado em janeiro", orienta França. O analista alerta ainda para uma liquidez diminuindo até o final de 2019 e para o câmbio, que pode 'esfriar' um pouco nas próximas semanas.

Sobre os prêmios, as referências seguem firmes, e já são mais expressivas para os primeiros meses de 2020, onde variam de 30 a 50 cents de dólar acima dos valores de Chicago. "Afinal, os chineses estão no mercado brasileiro comprando enquanto negociam com os americanos", conclui.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 05/08
Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos (08:22)
Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho (08:19)
Milho sobe no físico nesta 3ªfeira, mas sente pressão de Chicago na B3 (08:07)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 10% nesta 3ª feira (08:00)
Terça-Feira, 04/08
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a microbiota intestinal (16:16)
Ovotrack lança novo site (10:22)
Armazenamento de ovos é tema do segundo episódio do podcast da Ceva para o setor avícola (08:35)
Milho: retração vendedora sustenta cotações no Brasil (08:05)
Soja 2020/21: ARC Mercosul estima aumento de 3,81% na área e 65% da safra já comercializada (08:00)
Segunda-Feira, 03/08
Aurora Alimentos é a marca que mais conquistou consumidores em 2020 (08:17)
OVOS/CEPEA: preços recuam pelo 3º mês consecutivo (08:15)
MILHO/CEPEA: preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita (08:14)
Milho segue se valorizando no Brasil (08:11)
Soja registra novos recordes de preço (08:00)
Coopeavi realiza primeira assembleia em ambiente virtual e renova Conselho Fiscal (07:48)
Sexta-Feira, 31/07
Preço do milho segue valorizado no mercado físico (08:06)
Soja tem altas pontuais no Brasil e acompanha leve avanço em Chicago (08:04)
Quinta-Feira, 30/07
ABPA apresenta cuidados tomados nos frigoríficos durante a Pandemia (15:16)
Doença de Gumboro: do surto a 100% de imunização (08:26)
Produção de soja no Brasil pode crescer 6% em 2020/21 (08:05)
Prêmios da soja têm novo dia de altas e sobem mais de 3% (08:00)