Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
Mercado

Para CNA, não vai faltar produto e preços da carne vão se normalizar
Brasília, DF, 05 de Dezembro de 2019 - O superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, avaliou, no evento promovido pela entidade em Brasília, que o preço da carne bovina deverá se normalizar no início de 2020 com um maior equilíbrio entre oferta e demanda. Ele ressaltou que a alta da proteína se deve a um “momento único”, devido a fatores como crise da peste suína africana na China, oferta reprimida no Brasil e demanda em recuperação. E reforçou a posição divulgada na terça-feira pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, de que não vai faltar produto para o abastecimento do mercado interno.

Lucchi afirmou que, apesar de o preço da carne ter atingido patamares recorde, o poder de compra do consumidor brasileiro aumentou. Segundo ele, em 2004 o quilo da picanha valia R$ 28 e correspondia a 11% do salário mínimo, de R$ 260. Atualmente, com salário de R$ 998 e picanha a R$ 66, o peso da proteína é de cerca de 6%. “O poder de compra do brasileiro não diminuiu”, disse.

A avaliação da CNA é que o estímulo dos preços pagos ao produtor vai alavancar investimentos no segmento. “Não vai faltar carne, o produtor vai reagir. Faltava o estímulo dos preços para melhorar investimentos em tecnologia. A pecuária não vai ser a mesma”. Segundo Lucchi, na análise dos dados de acesso ao crédito, já é possível identificar a busca por investimentos da pecuária nacional. “O acesso ao Inovagro [linha de crédito] aumentou 98% até outubro, ao ABC aumentou 91%. O produtor já está se preparando. Está ciente do momento e vai investir em tecnologia. É um caminho sem volta”.

O presidente da CNA, João Martins, afirmou que os preços da carne bovina estavam achatados há dois ou três anos e que o custo de produção aumentou muito. “Mas não vamos retornar ao preço de anos atrás, vamos ajustar o valor de mercado. Se o consumidor deixar de comprar, o preço vai se ajustar”, afirmou o dirigente.
(Valor) (Rafael Walendorff)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 05/08
Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos (08:22)
Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho (08:19)
Milho sobe no físico nesta 3ªfeira, mas sente pressão de Chicago na B3 (08:07)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 10% nesta 3ª feira (08:00)
Terça-Feira, 04/08
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a microbiota intestinal (16:16)
Ovotrack lança novo site (10:22)
Armazenamento de ovos é tema do segundo episódio do podcast da Ceva para o setor avícola (08:35)
Milho: retração vendedora sustenta cotações no Brasil (08:05)
Soja 2020/21: ARC Mercosul estima aumento de 3,81% na área e 65% da safra já comercializada (08:00)
Segunda-Feira, 03/08
Aurora Alimentos é a marca que mais conquistou consumidores em 2020 (08:17)
OVOS/CEPEA: preços recuam pelo 3º mês consecutivo (08:15)
MILHO/CEPEA: preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita (08:14)
Milho segue se valorizando no Brasil (08:11)
Soja registra novos recordes de preço (08:00)
Coopeavi realiza primeira assembleia em ambiente virtual e renova Conselho Fiscal (07:48)
Sexta-Feira, 31/07
Preço do milho segue valorizado no mercado físico (08:06)
Soja tem altas pontuais no Brasil e acompanha leve avanço em Chicago (08:04)
Quinta-Feira, 30/07
ABPA apresenta cuidados tomados nos frigoríficos durante a Pandemia (15:16)
Doença de Gumboro: do surto a 100% de imunização (08:26)
Produção de soja no Brasil pode crescer 6% em 2020/21 (08:05)
Prêmios da soja têm novo dia de altas e sobem mais de 3% (08:00)