Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
Matérias-Primas

Soja inicia dezembro com leves altas em Chicago
Campinas, SP, 02 de Dezembro de 2019 - Os preços da soja sobem levemente na Bolsa de Chicago nesta segunda-feira (2). Um novo mês começa para o mercado internacional e as cotações da oleaginosa ainda têm dificuldade para definir uma direção diante da falta de notícias sobre as relações entre China e Estados Unidos.

Por volta de 8h30 (horário de Brasília), as cotações subiam entre 1,75 e 2,25 pontos nos principais vencimentos, levando o janeiro a US$ 8,78 e o maio/20, importante referência para a safra do Brasil, a US$ 9,07 por bushel.

Ao lado das informações da guerra comercial, os traders se dividem entre a conclusão da safra dos EUA, com a colheita praticamente finalizada, e o desenvolvimento da nova safra da América do Sul. As condições de clima, ao menos até este momento, são favoráveis na maior parte das regiões produtoras.

"Com o pessimismo na falta de anúncio de novo acordo, traders impressionados com as compras pesadas de soja americana pela China nas últimas semanas. No entanto, não se emocionam com isso e o mercado segue na defensiva, entendendo que uma vez que começa a entrar a safra brasileira, estes volumes devem despencar", explica Steve Cachia, consultor de mercado da AgroCulte e da Cerealpar.

NO BRASIL

O foco dos negócios no Brasil segue sobre o dólar. A moeda americana tem tido dias de altas intensas, motivando a formação de preços melhores no mercado nacional, bons negócios e compensando as baixas observadas na Bolsa de Chicago.

A moeda americana segue atuando acima dos R$ 4,20 e especialistas ainda esperam uma volatilidade intensa para a conclusão de 2019. "A pergunta que o mercado está fazendo é se o Banco Central vai intervir de forma mais energética ou se vamos ver novas máximas", diz Cachia.

No Brasil, como explica o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, atenção também à demanda interna, onde as indústrias seguem ainda atuantes nas compras e pagando melhor do que as exportações em algumas localidades.

"As indústrias devem vir a campo para se abastecer, mas os portos seguirão firmes em função da guerra comercial entre os EUA e China, a qual deve manter boa presença de compradores nos portos brasileiros. Como estamos no pico da entressafra e com pouca soja para ser negociada, há um apelo para manutenção e até apelo para alguns ajustes positivos nos preços. O mercado interno segue firme nesta semana que entra", diz Brandalizze.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 05/08
Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos (08:22)
Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho (08:19)
Milho sobe no físico nesta 3ªfeira, mas sente pressão de Chicago na B3 (08:07)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 10% nesta 3ª feira (08:00)
Terça-Feira, 04/08
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a microbiota intestinal (16:16)
Ovotrack lança novo site (10:22)
Armazenamento de ovos é tema do segundo episódio do podcast da Ceva para o setor avícola (08:35)
Milho: retração vendedora sustenta cotações no Brasil (08:05)
Soja 2020/21: ARC Mercosul estima aumento de 3,81% na área e 65% da safra já comercializada (08:00)
Segunda-Feira, 03/08
Aurora Alimentos é a marca que mais conquistou consumidores em 2020 (08:17)
OVOS/CEPEA: preços recuam pelo 3º mês consecutivo (08:15)
MILHO/CEPEA: preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita (08:14)
Milho segue se valorizando no Brasil (08:11)
Soja registra novos recordes de preço (08:00)
Coopeavi realiza primeira assembleia em ambiente virtual e renova Conselho Fiscal (07:48)
Sexta-Feira, 31/07
Preço do milho segue valorizado no mercado físico (08:06)
Soja tem altas pontuais no Brasil e acompanha leve avanço em Chicago (08:04)
Quinta-Feira, 30/07
ABPA apresenta cuidados tomados nos frigoríficos durante a Pandemia (15:16)
Doença de Gumboro: do surto a 100% de imunização (08:26)
Produção de soja no Brasil pode crescer 6% em 2020/21 (08:05)
Prêmios da soja têm novo dia de altas e sobem mais de 3% (08:00)