Quarta-feira, 15 de Julho de 2020
Matérias-Primas

Milho: disputa comercial e pressão da colheita mantêm quedas em Chicago
Campinas, SP, 21 de Novembro de 2019 - Ontem, quarta-feira (20), o dia chegou ao final com desvalorizações para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram quedas entre 3,25 e 3,75 pontos.

O vencimento dezembro/19 foi cotado à US$ 3,66 com baixa de 3,25 pontos, o março/20 valeu US$ 3,77 com desvalorização de 3,50 pontos, o maio/20 foi negociado por US$ 3,83 com perda de 3,75 pontos e o julho/20 teve valor de US$ 3,89 com queda de 3,25 pontos.

Esses índices representaram baixas, com relação ao fechamento da última terça-feira, de 1,08% para o dezembro/19, 1,05% para o março/20, de 0,78% para o maio/20 e de 0,77% para o julho/20.

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho nos Estados Unidos caíram para o menor nível em dois meses em consequência das fracas expectativas para um acordo comercial EUA-China antes do final do ano.

“Os contratos soja caíram depois de relatório dizer que um acordo comercial da "primeira fase" entre Washington e Pequim pode não ser concluído este ano. A conclusão de um acordo comercial inicial pode cair no próximo ano”, disse Julie Ingwersen da Reuters Chicago.

Além disso, os futuros do milho CBOT caíram pressionados pela pressão sazonal da colheita e liquidação dos EUA em andamento antes da fase de entrega do contrato de dezembro, que começa na próxima semana.

“Não parece que o agricultor esteja vendendo muito, mas sempre há alguma venda na colheita”, disse Dan Cekander, presidente da DC Analysis.

As previsões do tempo para chuvas benéficas em áreas de cultivo do Brasil e da Argentina aumentaram a pressão, reforçando as perspectivas da produção sul-americana de milho e soja.

“As chuvas generalizadas na próxima semana devem levar a melhorias significativas na umidade do solo e provavelmente facilitarão a maior parte das áreas remanescentes de secura no centro e no sul do Brasil, favorecendo o crescimento de milho e soja”, disse a empresa de tecnologia espacial Maxar em nota meteorológica diária.

Mercado interno

No mercado físico brasileiro, a quarta-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram registradas desvalorizações durante o dia.

Já as valorizações foram percebidas apenas em Rio do Sul/RS (5,56% e preço de R$ 38,00).
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 15/07
Terça-Feira, 14/07
Agências da ONU recomendam mudança na área de alimentos (10:16)
Crise? Que crise? Setor de alimentos está bombando na Bolsa (10:12)
Ajuste da oferta faz frango subir no país (08:38)
Governador do Tocantins reafirma compromisso com a iniciativa privada visando a geração de empregos (08:25)
Sistema de compartimentação abre portas para a avicultura catarinense em mercados exigentes (08:20)
Brasil importa mais que o triplo de soja nos primeiros 8 dias úteis de julho do que em todo mesmo mês de 2019 (07:39)
Apenas em 2 semanas de julho Brasil já exportou 132% a mais de milho do que todo o mês de junho (07:30)
Segunda-Feira, 13/07
Doença de Gumboro é tema do novo podcast FACTA (14:59)
Frigoríficos avícolas gaúchos investem no combate a pandemia (14:58)
OVOS/CEPEA: maior demanda e oferta limitada elevam preços (13:05)
Milho: indicador CEPEA volta a fechar acima de R$ 50/sc (13:02)
Soja: com baixo excedente, importação é a maior desde ju/16 (13:00)
PDSA desevolve cursos virtuais para garantir sanidade no RS (11:06)
Instituto Ovos Brasil e CEPEA criam ferramenta para consulta de preço de ovos (08:34)
Governo do Paraná e JBS discutem investimentos no Estado (08:00)
Uberlândia recebe anúncio de R$ 80 milhões em investimentos (07:59)
Secretaria de Saúde do Paraná acompanha atividades em frigoríficos (07:57)
Pandemia estimula consumo de frango no mercado interno e aquece exportações (07:57)
Sexta-Feira, 10/07
Com alta de 24,5%, exportações do agronegócio batem recorde para meses de junho e ultrapassam US$ 10 bilhões (13:53)
FRANGO/CEPEA: apesar de queda nos embarques, preço interno da carne está firme (07:31)
Agronegócio responde por 72% das exportações catarinenses no primeiro semestre de 2020 (07:26)
Com recordes de valores de soja e milho, VBP de 2020 é estimado em R$ 716,6 bilhões (07:25)
Comercialização de soja 2019/20 e da safra nova em junho foi mais lenta (07:10)
Quinta-Feira, 09/07
SUÍNOS/CEPEA: preços do vivo sobem em quase todas as regiões; exportações estão aquecidas (09:47)
BOI/CEPEA: indicador volta a fechar acima de R$ 220 (09:46)
Dicas para inovar no agronegócio e vender mais (08:15)
C.Vale e Pluma Agroavícola colocam em funcionamento frigorífico da Plusval (08:14)
Brasil retoma posto de maior produtor de soja do planeta (07:53)