Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
Empresas

BRF teve lucro líquido de R$ 293,9 milhões no 3º trimestre
São Paulo, SP, 08 de Novembro de 2019 - Impulsionada pela recuperação dos preços das carnes de frango e suína nos mercados doméstico e internacional, a BRF reportou hoje um lucro líquido (atribuído aos sócios da controladora) de R$ 293,9 milhões no terceiro trimestre.

Trata-se de um desempenho bastante superior ao registrado no mesmo intervalo de 2018, quando a dona das marcas Sadia e Perdigão teve um prejuízo de R$ 798,9 milhões. No ano passado, a BRF sofria com efeitos da excesso de oferta de carne de frango e do embargo da União Europeia, que vetou os produtos da empresa depois da terceira fase da Operação Carne Fraca.

Nesse cenário de retomada, a BRF teve uma receita líquida de R$ 8,5 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 8,4% na comparação com os R$ 7,8 bilhões do mesmo período do ano passado. No Brasil, a receita líquida aumentou 6,3%, totalizando R$ 4,4 bilhões.

Na mesma base de comparação, o preço médio dos produtos vendidos pela BRF em todo o mundo aumentou 10%. Em contrapartida, o volume vendido globalmente caiu 1,4%. No Brasil, principal mercado da companhia, a queda do volume comercializado foi de 1,7%. O preço médio dos produtos da Sadia e Perdigão no mercado nacional aumentou 8,1%.

Com a redução do volume vendido no país, a BRF voltou a perder participação no mercado brasileiro. De acordo com dados da consultoria Nielsen, a participação de mercado consolidada da empresa no país atingiu 43,3%, ante 44,2% no segundo trimestre.

É a menor participação de mercado da BRF em pelo menos dois anos, o que indica o desafio da empresa de manter a fatia de mercado em momentos de reajustes de preços. Essa dificuldade já havia aparecido na gestão de Pedro Faria — na era Abilio Diniz.

Em termos de rentabilidade, porém, o aumento dos preços teve resultados. No terceiro trimestre, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado da BRF totalizou R$ 1,6 bilhão, incremento de 178,1% ante os R$ 579 milhões do mesmo período do ano passado. Excluindo os ganhos com ICMS, que não devem se repetir em 2020, o Ebitda ajustado quase dobrou, atingindo R$ 1,1 bilhão.

A margem Ebitda ajustada atingiu 19% no terceiro trimestre, aumento de 11,6 pontos percentuais na comparação anual. Sem os ganhos de ICMS, a margem aumentou 6,1 pontos, atingindo 13,5% no terceiro trimestre. Na comparação com o segundo trimestre, porém, a margem Ebitda ajustada piorou. Entre março e junho, esse indicador alcançou 14,6%.

Financeiramente, a melhora dos resultados — o grupo gerou R$ 1,3 bilhão em caixa livre no trimestre — ajudou a BRF a reduzir rapidamente o índice de alavancagem. A relação entre o Ebitda ajustado e a dívida líquida da companhia encerrou o terceiro trimestre em 2,9 vezes, ante 3,74 vezes no fim de junho deste ano. Para o fim de 2019, a companhia prevê que o índice de alavancagem atinja 2,75 vezes, o que significa uma melhora ante a meta anterior. Até agosto, a companhia tinha como meta fechar o ano com 3,15 vezes.

Em comunicado assinado pelo presidente-executivo Lorival Luz, a BRF argumentou que, mesmo sem o efeito positivo do IFRS16 — norma que mudou o tratamento contábil sobre os arrendamento, aumentando o Ebitda da BRF ao reduzir despesas operacionais —, o índice de alavancagem teria atingido 3,21 vezes, ante 6,74 vezes de um ano atrás. A empresa não divulgou o cálculo combinado da alavancagem sem os ganhos de ICMS e o IFRS16.

No fim de setembro, a dívida bruta da BRF somava R$ 21,4 bilhões, redução de 5,4% na comparação anual. A companhia não considera em seus cálculos de dívida o IFRS16, que neste caso teria efeito negativo, já que os arrendamentos contariam como dívidas.
(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 03/04
Quinta-Feira, 02/04
Preço do suíno independente baixa até para patamares vistos há dez meses (16:24)
Boi: demanda da China e ciclo pecuário de alta nos preços vão minimizar impactos de uma retração da demanda interna por carnes (16:13)
Petróleo dispara e puxa commodities agrícolas (16:07)
Adiamento de tributos ajudará agroindústria na crise, diz CNA (15:44)
Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19 (15:14)
Aurora manterá quadro de empregados e não cogita redução de sua força de trabalho (14:50)
Faturamento com exportação de carne suína em março é 61% maior do que em março/19 (13:24)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro do esperado (13:22)
Milho: B3 segue caindo na maioria dos contratos e Chicago contabiliza ganhos (13:21)
Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19 (11:37)
As empresas têm que agir com responsabilidade’, defende BRF (09:30)
Supermercado pode viver ‘nova onda’ de consumo (09:26)
Justiça do DF desobriga empresa de apresentar CND em financiamento (09:25)
Milho abre a 5ª feira subindo em Chicago e em campo misto na B3 (09:04)
Suínos: preços do vivo e da carne caem com mais força no final de março (09:03)
Boi: mercado pecuário apresenta instabilidade no correr de março (09:00)
Marca Tecnologia Embrapa chega às gôndolas dos supermercados em ovos da Korin (08:39)
Cobb-Vantress substitui frota para entregar mais eficiência produtiva e ambiental (08:19)
Mercado do boi está em alerta (08:02)
Milho no Brasil segue em alta enquanto safrinha se desenvolveu bem com chuvas de março (08:00)
Após queda intensa, soja tem estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (07:58)
Quarta-Feira, 01/04
Suíno: preços seguem com queda acentuada quebra na demanda (16:41)
Frigoríficos reduzem ritmo de compras após alongarem escalas (16:16)
Exportações brasileiras de milho em março ficam menores do que mesmo mês de 2019, mas sobem em relação a fevereiro (16:09)
Para incentivar a população a não sair de casa, Grupo Mantiqueira expande operação de delivery com clube de assinantes do ovo (15:58)
Soja cai mais de 2% em Chicago, em dia de perdas generalizadas (14:42)
Setores de aves e suínos do ES colocam em prática as orientações de prevenção e se organizam para continuar o abastecimento de alimentos (14:39)
Milho: alta do dólar pressiona cotações na B3 e Chicago aprofunda perdas (13:12)
BRF anuncia doações de R$ 50 milhões (13:09)
Com falta de ovos nos EUA, venda de pintos aumentam (12:25)
Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea (11:29)
BRF contrata R$ 1,4 bi em linhas de crédito para reforçar liquidez (10:14)
Milho abre o mês ainda em queda na Bolsa de Chicago e na B3 (10:12)
SIF garante a manutenção do abastecimento de produtos de origem animal (09:15)
Governo estuda pacote de R$ 2 bi para o campo (09:14)
Frigoríficos dos EUA oferecem bônus contra absenteísmo (09:12)
Embrapa faz parceria com Korin e se aproxima do consumidor (09:11)
Soja: mercado começa abril com perdas de mais de 1% em Chicago (08:15)
Milho: poucas movimentações no Brasil e queda de 7% em março em Chicago (08:11)
Mapa institui comitê de crise para monitorar impactos do Coronavírus (08:10)
Suíno: principais praças produtoras do vivo têm desvalorização (08:06)
Boi gordo encerra março com preços firmes (08:00)
Habilitação de novos frigoríficos pela China está paralisada (07:28)
Terça-Feira, 31/03
PIB AGRO SP/CEPEA: Pecuária eleva PIB agro de SP em 1,5% em 2019 (13:47)
Cobb debateu mudanças de manejo para o frango moderno com jovens avicultores (13:39)
Milho segue caindo em Chicago, mas sobe 2% na B3 (12:27)
Início da crise puxa o preço dos alimentos, mas alta é passageira (09:50)
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA (09:19)
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo (08:18)
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho (08:13)
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico (08:12)
Quarentena reduz drasticamente demanda por suínos nas principais praças produtoras (08:05)
Soja tem leves baixas nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Retomada de preço no mercado do boi gordo (07:45)
Segunda-Feira, 30/03
Suíno: mercado continua com preços caindo nesta segunda-feira (16:27)
Presidente da ACSURS frisa cuidados com a saúde para que produção suinícola possa continuar (16:01)
Soja & Milho: negócios começam semana no BR com um pouco mais de calma (15:59)
Demanda externa por carne brasileira melhora com retorno da China às compras (15:58)
Milho amplia perdas em Chicago, mas sobe na B3 (12:14)
Aviagen e Bachoco se unem para realizar seminário no México (10:06)
Varejo acusa indústria de altas abusivas (09:32)
CNA divulga boletim sobre os impactos do Coronavírus (08:20)
Ministério da Infraestrutura atende demandas encaminhadas pela CNA (08:18)
Ovos: demanda de atacados e varejos aumenta (08:11)
Milho: vendedor retraído mantém preços em alta (08:05)
Soja começa 2ª feira com altas em Chicago (08:01)
Soja: demanda, altas externa e do dólar e logística restrita na Argentina elevam preços (08:00)
Soja tem semana de preços históricos e portos com capacidade esgotada no Brasil até maio (07:50)
Mercado do boi está em recuperação (07:45)
BRF mantém embarques ao exterior (07:26)
Tyson Foods doa US$ 13 mi a comunidades no entorno de suas unidades nos EUA (07:25)
Em Goiás, FCO Rural tem R$ 17 milhões para investimentos na produção de alimentos (07:25)
Impactos da pandemia ainda não são graves nas exportações do agronegócio, diz CNA (07:24)
Devido à estiagem, município gaúcho de Westfália decreta situação de emergência (07:23)