Quinta-feira, 02 de Abril de 2020
Bem-estar Animal

R$0,25 a mais no preço de lanche pode reduzir sofrimento de milhões de animais, diz ONG
São Paulo, SP, 16 de Outubro de 2019 - Basta uma moeda a mais para que milhões de animais de produção tenham uma vida melhor antes de virarem alimento em redes de fast food do Brasil, defende campanha lançada nesta quarta-feira pela organização internacional Proteção Animal Mundial, que toma como base estudo comparativo de custos de criação de frangos no país.

Segundo a entidade, ONG anteriormente conhecida como Sociedade Mundial de Proteção Animal, um sanduíche de uma rede de fast food no Brasil que usa frango criado com alto nível de bem-estar sai 25 centavos de real mais caro que aquele que contém carne de um animal criado em condições que estimulam crescimento acelerado e alta concentração de animais por metro quadrado.

A pesquisa, realizada em parceria com a consultoria internacional IHS Markit, analisou custos fixos e variáveis de diferentes sanduíches de carne de frango e outros produtos de frango como nuggets. Segundo o levantamento, a carne de frango representa entre 8% e 11% do custo total do produto.

“O Brasil não tem legislação específica sobre bem-estar de animais de produção e aí ficamos à mercê de quem compra os produtos. Quem impulsionará a mudança é quem consome”, afirmou à Reuters a coordenadora de bem-estar animal na Proteção Animal Mundial no Brasil, Paola Rueda.

A campanha da Proteção Animal Mundial é lançada em um momento de crescimento no número de consumidores que se declaram como vegetarianos ou que têm interesse em produtos alternativos à carne animal. Empresas como Fazendo Futuro, Superbom, Seara e Marfrig lançaram este ano produtos à base de plantas alternativos a itens como hambúrgueres de carne de boi e bife de frango, de olho em um mercado que está movimentando bilhões de dólares nos Estados Unidos.

“Nenhuma rede fast food hoje no Brasil tem compromissos de aquisição de produtos que zelam pelo bem-estar dos animais. Estamos procurando comprometimentos no Brasil das grandes redes internacionais, que lá fora têm compromissos firmados”, acrescentou ela, referindo-se a frango de corte e citando como exemplos redes como KFC, Burguer King e Subway.

Rueda comentou que atualmente o tempo médio de crescimento dos frangos no Brasil até o abate é de 42 dias, ganhando 65 gramas de peso por dia. Segundo ela, essa velocidade causa uma série de problemas aos animais e prejuízo às próprias granjas, uma vez que o desenvolvimento acelerado dos frangos gera dores crônicas e até fraturas, o que leva ao descarte.

“Hoje, o frango cresce muito rapidamente por causa de melhoramentos genéticos, mas as articulações não aguentam essa velocidade de crescimento muscular. Um dos nossos pontos é que esses animais tenham um crescimento saudável, um pouco mais lento, passando de 42 para 52 dias antes do abate”, disse Rueda.

Além do crescimento acelerado, a entidade também cita um quadro de aumento na densidade das granjas, que podem chegar a destinar um espaço menor que uma folha de papel A4 para cada frango viver. O pedido da Proteção Animal Mundial é para uma redução na média de animais por metro quadrado de 11 para 8,5. Essa redução, além de dar mais espaço às aves, ajudaria, junto com a desaceleração no crescimento, a reduzir o nível de estresse dos frangos, fortalecendo o sistema imunológico dos animais, disse Rueda.

“Animal sem estresse crônico fica menos sujeito a ficar imunossuprimido e a possibilidade das bactérias se reproduzirem é menor”, disse ela, citando a salmonella como exemplo.

A rede Subway afirmou em comunicado que dá preferência de compra a fornecedores que compartilham do compromisso do grupo com o bem-estar animal e que todo frango servido nas lojas no país vem de aves livres de confinamento em gaiolas.

“Nós já iniciamos uma transição para trabalharmos apenas com fornecedores que utilizam ovos de galinhas não confinadas em gaiolas. Nos comprometemos que até 2025 ou antes, 100% dos ovos utilizados nas fórmulas dos produtos nos restaurantes da Subway Brasil, serão de galinhas não submetidas a confinamento.”

Representantes de Burguer King Brasil e da KFC não se manifestaram até a publicação da reportagem.

Segundo a Proteção Animal Mundial, que em novembro vai organizar um simpósio em São Paulo sobre o futuro dos sistemas de produção de alimentos, apesar de a maior parte dos grandes criadores de frango no país estar nos nívels 3 e 4 de uma escala de 1 a 6 do Farm Animal Welfare Report, que classifica o nível de bem estar dos animais, o sistema fechado de criação intensiva sem luz natural tem mostrado sinais de estar crescendo no país.

Nas contas da entidade, incluir cuidados como instalação de poleiros e fardos de feno nas granjas e garantir seis horas contínuas de escuro por dia para descanso adequado das aves, custariam 38 centavos de real a mais por quilo de ave viva.

“A ideia aqui não é defender a criação de frango solto, o que geraria um custo absurdo para os produtores... O que o estudo mostra é que se mexer em todos esses outros aspectos, o bem-estar dos animais melhora muito e o custo não é tão caro.”
(Reuters) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 02/04
Preço do suíno independente baixa até para patamares vistos há dez meses (16:24)
Boi: demanda da China e ciclo pecuário de alta nos preços vão minimizar impactos de uma retração da demanda interna por carnes (16:13)
Petróleo dispara e puxa commodities agrícolas (16:07)
Adiamento de tributos ajudará agroindústria na crise, diz CNA (15:44)
Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19 (15:14)
Aurora manterá quadro de empregados e não cogita redução de sua força de trabalho (14:50)
Faturamento com exportação de carne suína em março é 61% maior do que em março/19 (13:24)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro do esperado (13:22)
Milho: B3 segue caindo na maioria dos contratos e Chicago contabiliza ganhos (13:21)
Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19 (11:37)
As empresas têm que agir com responsabilidade’, defende BRF (09:30)
Supermercado pode viver ‘nova onda’ de consumo (09:26)
Justiça do DF desobriga empresa de apresentar CND em financiamento (09:25)
Milho abre a 5ª feira subindo em Chicago e em campo misto na B3 (09:04)
Suínos: preços do vivo e da carne caem com mais força no final de março (09:03)
Boi: mercado pecuário apresenta instabilidade no correr de março (09:00)
Marca Tecnologia Embrapa chega às gôndolas dos supermercados em ovos da Korin (08:39)
Cobb-Vantress substitui frota para entregar mais eficiência produtiva e ambiental (08:19)
Mercado do boi está em alerta (08:02)
Milho no Brasil segue em alta enquanto safrinha se desenvolveu bem com chuvas de março (08:00)
Após queda intensa, soja tem estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (07:58)
Quarta-Feira, 01/04
Suíno: preços seguem com queda acentuada quebra na demanda (16:41)
Frigoríficos reduzem ritmo de compras após alongarem escalas (16:16)
Exportações brasileiras de milho em março ficam menores do que mesmo mês de 2019, mas sobem em relação a fevereiro (16:09)
Para incentivar a população a não sair de casa, Grupo Mantiqueira expande operação de delivery com clube de assinantes do ovo (15:58)
Soja cai mais de 2% em Chicago, em dia de perdas generalizadas (14:42)
Setores de aves e suínos do ES colocam em prática as orientações de prevenção e se organizam para continuar o abastecimento de alimentos (14:39)
Milho: alta do dólar pressiona cotações na B3 e Chicago aprofunda perdas (13:12)
BRF anuncia doações de R$ 50 milhões (13:09)
Com falta de ovos nos EUA, venda de pintos aumentam (12:25)
Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea (11:29)
BRF contrata R$ 1,4 bi em linhas de crédito para reforçar liquidez (10:14)
Milho abre o mês ainda em queda na Bolsa de Chicago e na B3 (10:12)
SIF garante a manutenção do abastecimento de produtos de origem animal (09:15)
Governo estuda pacote de R$ 2 bi para o campo (09:14)
Frigoríficos dos EUA oferecem bônus contra absenteísmo (09:12)
Embrapa faz parceria com Korin e se aproxima do consumidor (09:11)
Soja: mercado começa abril com perdas de mais de 1% em Chicago (08:15)
Milho: poucas movimentações no Brasil e queda de 7% em março em Chicago (08:11)
Mapa institui comitê de crise para monitorar impactos do Coronavírus (08:10)
Suíno: principais praças produtoras do vivo têm desvalorização (08:06)
Boi gordo encerra março com preços firmes (08:00)
Habilitação de novos frigoríficos pela China está paralisada (07:28)
Terça-Feira, 31/03
PIB AGRO SP/CEPEA: Pecuária eleva PIB agro de SP em 1,5% em 2019 (13:47)
Cobb debateu mudanças de manejo para o frango moderno com jovens avicultores (13:39)
Milho segue caindo em Chicago, mas sobe 2% na B3 (12:27)
Início da crise puxa o preço dos alimentos, mas alta é passageira (09:50)
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA (09:19)
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo (08:18)
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho (08:13)
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico (08:12)
Quarentena reduz drasticamente demanda por suínos nas principais praças produtoras (08:05)
Soja tem leves baixas nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Retomada de preço no mercado do boi gordo (07:45)
Segunda-Feira, 30/03
Suíno: mercado continua com preços caindo nesta segunda-feira (16:27)
Presidente da ACSURS frisa cuidados com a saúde para que produção suinícola possa continuar (16:01)
Soja & Milho: negócios começam semana no BR com um pouco mais de calma (15:59)
Demanda externa por carne brasileira melhora com retorno da China às compras (15:58)
Milho amplia perdas em Chicago, mas sobe na B3 (12:14)
Aviagen e Bachoco se unem para realizar seminário no México (10:06)
Varejo acusa indústria de altas abusivas (09:32)
CNA divulga boletim sobre os impactos do Coronavírus (08:20)
Ministério da Infraestrutura atende demandas encaminhadas pela CNA (08:18)
Ovos: demanda de atacados e varejos aumenta (08:11)
Milho: vendedor retraído mantém preços em alta (08:05)
Soja começa 2ª feira com altas em Chicago (08:01)
Soja: demanda, altas externa e do dólar e logística restrita na Argentina elevam preços (08:00)
Soja tem semana de preços históricos e portos com capacidade esgotada no Brasil até maio (07:50)
Mercado do boi está em recuperação (07:45)
BRF mantém embarques ao exterior (07:26)
Tyson Foods doa US$ 13 mi a comunidades no entorno de suas unidades nos EUA (07:25)
Em Goiás, FCO Rural tem R$ 17 milhões para investimentos na produção de alimentos (07:25)
Impactos da pandemia ainda não são graves nas exportações do agronegócio, diz CNA (07:24)
Devido à estiagem, município gaúcho de Westfália decreta situação de emergência (07:23)
Sexta-Feira, 27/03
Suíno: quedas fortes no mercado em meio à redução de demanda (16:37)
Bolsas de suínos fecham sem negociação por falta de demanda em meio a Covid-19 (16:35)
CNA pede ao Governo medidas de apoio à comercialização de alimentos (16:33)
Suinocultura em SC: falta demanda e frigoríficos ficam com câmaras cheias e granjas sem conseguir vender animais (14:12)
Cenário de sustentação do milho não teve alívio (13:09)
Milho opera em baixa nesta 6ª feira na Bolsa de Chicago e na B3 (13:07)
Boi Gordo: alta dos preços de balcão durante esta semana em SP (13:05)
Mapa publica portaria com atividades e serviços essenciais para garantir funcionamento do setor agropecuário e abastecimento (13:04)
Pedro Parente continuará no comando do conselho na BRF (09:17)
Coronavírus: Conselho Internacional de Avicultura reforça compromisso com a saúde dos trabalhadores (09:16)
JBS faz provisão para descontos a clientes chineses (09:15)
Frango: liquidez envolvendo carne congelada aumenta no atacado (08:06)
Mercado da soja volta a subir em Chicago nesta 6ª feira (08:03)
Boi Gordo: Coronavírus mantém o mercado de reposição com baixa movimentação (08:00)
Milho: Chicago registra leves ganhos após bons números do USDA (07:59)
Ministra da Agricultura pede apoio de secretários estaduais para garantir abastecimento (07:57)
Cotação da arroba do boi gordo em recuperação (07:56)
Consumo no Brasil preocupa todas as cadeias produtivas do agro brasileiro (07:51)
Processadores de soja da China temem escassez de oferta por medidas contra coronavírus (07:50)
Transporte de soja segue forte apesar de desafios por vírus, diz Sotran Logística (07:49)
Safra 2019/20 de soja tem uma das maiores margens brutas dos últimos 10 anos (07:47)
FAESC apoia medidas da CNA para produtor superar crise (07:43)