Quinta-feira, 04 de Junho de 2020
Mercado

Boi: Futuro encerra 3ª feira com ganhos

Mercado físico em SP registra negócios ao redor de R$ 170,00/@
Campinas, SP, 16 de Outubro de 2019 - Nesta terça-feira (15), o fechamento do mercado futuro do boi gordo registrou valorizações nos principais contratos na Bolsa Brasileira (B3). O contrato Outubro/19 encerrou o dia com uma alta de 0,58%, cotado a R$ 163,85/@. No caso do vencimento Novembro/19, a valorização foi de 0,63% e está precificado a R$ 168,35/@. Já o dezembro/19, a alta foi de 0,65% e a arroba está em torno de R$ 171,50/@.

No aplicativo AgroBrasil, foram registradas negociações na tarde desta terça-feira de R$ 170,00/@, á vista nos municípios de Novo Horizonte/SP e Araçatuba/SP. O aplicativo informou que na região de Lutécia/SP os valores ficaram próximos de R$ 169,00/@, à vista.

O pecuarista da região de Cascavel/PR, Erni Erico Bublitz, informou em entrevista ao Notícias Agrícolas que a arroba está cotada a R$ 155,00/@ a R$ 158,00/@. “Nós últimos quinze dias, as referências tiveram um aumento significativo que pode ter sido motivada pela a suspensão da vacinação da febre aftosa e também do poder aquisitivo do consumidor”, conta Bublitz.

As notícias sobre o forte encurtamento dos estoques globais de proteínas animais mantém fortalecidos os contratos futuros para 2020, mas o alto grau de incertezas devido à falta de precedentes para a situação faz com que a liquidez siga limitada, informou a Agrifatto em seu boletim diário.

Segundo a análise de mercado Scot Consultoria, as escalas dos frigoríficos paulistas atendem, em média, seis dias, mas existem indústrias que saíram das compras por estarem com programações cheias até o final deste mês. “As ofertas de preços maiores não devem ser disseminadas, e, provavelmente, virão das indústrias com escalas menores, principalmente daquelas que têm bois escalados somente por três dias”, apontou a consultoria.

A Informa Economics FNP ressaltou que em diversas praças, as plantas frigoríficas não estão abatendo o máximo de animais que a estrutura produtiva suporta, a fim de evitar maiores altas nos preços da arroba e gerar uma inflação no mercado doméstico, que não tem uma demanda tão aquecida quanto o mercado externo.

A XP Investimentos destacou em seu acompanhamento de mercado que as recentes valorizações da carne em nível de atacado e varejo chamaram a atenção dos agentes. “O início do mês, período em que a demanda interna melhora, serviu para enxugar ainda mais os estoques das indústrias, que já vinham trabalhando com fortes volumes para exportação”, afirmou a consultoria.

Exportações

A Radar Investimentos apontou que as informações de exportações de carne bovina in natura vieram em linha com as expectativas de mercado. “Caso este ritmo persista, o volume embarcado neste mês deve ser recorde. Isto mantém a carne no mercado interno enxuta e também colabora com o apetite da indústria, principalmente daquelas que acessam o mercado asiático”, destacou.

Nesta segunda-feira (14), a Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) divulgou os volumes embarcados de carne bovina in natura até a segunda semana de outubro, na qual já foram vendidas 73,86 mil toneladas em 9 dias úteis. Até o final do mês, as projeções indicam que o total embarcado será entre 176,1 mil a 188,76 mil toneladas, caso se confirme será o maior volume exportado pelo o Brasil.
(Notícias Agrícolas) (Andressa Simão)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 04/06
Quarta-Feira, 03/06
Covid-19: empresa pode responder por contágio (09:31)
Consumo de frango no Brasil é três vezes maior do que em 1990 (09:30)
Rumos do consumo pós-crise ainda estão indefinidos, diz JBS (09:28)
Soja dá continuidade às altas na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira (08:32)
Asgav e Programa Ovos RS realizam em julho atividades de qualificação em formato virtual (08:27)
Suíno: preços estáveis ou com leves altas nesta terça-feira (08:22)
Vietnã habilita 4 plantas de aves e 1 de suínos para importar carne do Brasil (08:21)
Milho: mercado físico brasileiro se movimenta pouco nesta terça-feira (08:08)
Soja: produtor brasileiro só deve voltar às vendas internacionais no segundo semestre (08:05)
Embarques de soja do BR devem desacelerar a partir de julho, após recorde de volume até maio (08:00)
Terça-Feira, 02/06
JBS de Ipumirim volta às atividades: “outro ânimo para trabalhar”, diz produtor (09:10)
Soja: mercado em Chicago trabalha em campo positivo nesta 3ª feira (08:13)
ABPA afirma que o Brasil está pronto para exportar mais carnes para a China durante imbróglio com os EUA (07:39)
Embarques de carne suína batem recorde para um mês de maio (07:36)
Preço pago pelo quilo do suíno vivo no RS inicia junho estável (07:35)
Suíno: cotações estáveis ou em alta neste início de junho (07:34)
Boi: escalas de abate recuam e dão fortes indicações que a oferta de animais será menor neste final de safra (07:32)
Milho começa junho se desvalorizando no Brasil (07:29)
USDA: plantio do milho chega a 93% e 60% da soja está em boas/excelentes condições (07:27)
Soja em Chicago fica estável (07:24)
Segunda-Feira, 01/06
Governo de SC auxilia em processo de reabertura do frigorífico de Ipumirim (15:57)
FACTA lança podcast sobre avicultura (15:09)
Perspectivas dos preços de insumos e ração animal para aves e suínos para 2020 (13:45)
Webinar da Aviagen explora os meios para alcançar uma saúde intestinal ideal (09:51)
Milho começa a semana com leves quedas na B3 e em Chicago (09:46)
Soja inicia junho com estabilidade em Chicago (08:42)
China pede a estatais que parem compras de soja e carne suína dos EUA, dizem fontes (08:30)
Ministério da Agricultura recomenda que sacrifício de animais seja última opção (08:27)
‘É melhor abater no concorrente do que jogar a carne fora’ ,diz especialista em saúde animal (08:26)
Cooperativas do Sul discutem impactos da pandemia na indústria frigorífica (08:08)
Testes de salmonella acontecem antes, durante e após o abate dos frangos (08:07)
MAPA divulga consórcios municipais selecionados para participar do projeto de ampliação do mercado de Produtos de Origem Animal (08:02)
JBS tem aval da Justiça do trabalho para reabrir planta de Ipumirim, SC (08:00)
Em consulta pública, MAPA colhe sugestões sobre atos normativos da Defesa Agropecuária (07:58)
Ovos/CEPEA: menor demanda no fim de maio acentua desvalorização (07:43)
Milho: colheita da segunda safra avança e enfraquece preços (07:42)
Suíno: cotações ficam estáveis no fechamento de maio (07:33)
Embora calmo, o mercado do boi está firme (07:31)
BRF diz que contraprova de Covid-19 em fábricas em SC e RS confirma número baixo de positivos (07:19)
Sexta-Feira, 29/05
Semana teve poucas alterações nos preços físico do milho (09:59)
China deixará mercado de frango dos EUA durante recuperação (09:48)
Conselho do FCO aprova R$ 146,1 milhões em investimentos em MS (09:47)
Alojamento de pintos de corte caiu menos do que o esperado pela Apinco (09:46)
Soja: mercado ainda caminha de lado na Bolsa de Chicago nesta 6ª feira (08:02)
FRANGO/CEPEA: poder de compra frente ao farelo de soja é o mais baixo em dois anos (07:53)
Preço do boi gordo teve um ganho de 1,23% nesta semana no RS (07:44)
Suíno: cotação caiu 3,4% nas granjas paulistas em uma semana (07:41)
Preços para a suinocultura independente têm leve alta ou estabilidade nesta semana (07:40)
Suínos: mês se encaminha para o final com cotações mistas (07:37)
Milho cai no mercado físico com início da colheita, mas sobe na B3 (07:28)
Soja em Chicago pode mudar patamar de preços com influência do mercado climático nos EUA a partir de junho (07:21)
Produtores de soja tiveram 1º quadrimestre com resultado financeiro positivo (07:19)