Quinta-feira, 04 de Junho de 2020
Mercado Externo

China condiciona compras agrícolas à redução de tarifas dos EUA

Veto chinês ao frango norte-americano pode cair por terra
São Paulo, 16 de Outubro de 2019 - Pequim quer que as tarifas em sua guerra comercial com os Estados Unidos sejam reduzidas antes de a China concordar em comprar até US$ 50 bilhões em produtos agrícolas norte-americanos que, segundo o presidente Donald Trump, fazem parte de um acordo inicial, disseram pessoas a par do assunto.

As autoridades chinesas estão dispostas a começar a comprar mais produtos agrícolas dos EUA como parte da “primeira fase” do acordo comercial. Mas essas compras não devem ficar na faixa entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões anunciados por Trump nas circunstâncias atuais, disseram as pessoas, que falaram sob a condição de anonimato.

A condição destaca a distância entre Washington e Pequim, mesmo depois do acordo de “aperto de mão” anunciado pelos EUA na semana passada. Washington havia dito que a China, que importou cerca de US$ 20 bilhões em produtos agrícolas dos EUA em 2017, concordou em fazer grandes compras agrícolas em troca de um alívio nas próximas tarifas. A posição de Pequim torna um acordo mais complexo do que o inicialmente descrito.

Sob os termos do acordo comercial parcial, os gastos chineses em produtos agrícolas dos EUA devem somar um valor anual entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões em dois anos, segundo informação anterior do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin.

Pequim já concedeu isenções para que suas empresas possam comprar produtos agrícolas dos EUA sem pagar tarifas. Isso poderia ser repetido para iniciar as compras, disseram as pessoas. No entanto, as isenções são consideradas impraticáveis para volumes de até US$ 50 bilhões por ano, disse uma das pessoas.

As empresas chinesas compraram produtos agrícolas dos EUA, incluindo 20 milhões de toneladas de soja e 700 mil toneladas de carne suína até agora este ano e vão acelerar as compras, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, a repórteres na terça-feira.

Questionado sobre o acordo comercial da “primeira fase”, ele afirmou que o governo americano foi “preciso” sobre o que disse, e que EUA e China têm o mesmo entendimento sobre a situação.

Os dois lados trabalham para que um acordo possa ser assinado na cúpula de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico no próximo mês, no Chile. A China quer novas reuniões até o final de outubro para acertar os detalhes, disseram outras pessoas a par do assunto anteriormente.

A China está considerando comprar uma ampla variedade de itens para aumentar as importações, o que inclui soja, cereais, algodão, etanol, fertilizantes, suco, café e carne, disseram as pessoas. Também pode eliminar barreiras aos grãos secos de destiladores e a proibição de importação de frango.

Máquinas, madeira e pesticidas também podem ser adicionados, disseram as fontes. Essas compras somariam mais de US$ 40 bilhões, mas, segundo as pessoas, a China não decidiu valores específicos para os itens.

O Ministério do Comércio da China não respondeu imediatamente a um fax solicitando comentários sobre possíveis compras agrícolas dos EUA.
(Exame ) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 04/06
Quarta-Feira, 03/06
Covid-19: empresa pode responder por contágio (09:31)
Consumo de frango no Brasil é três vezes maior do que em 1990 (09:30)
Rumos do consumo pós-crise ainda estão indefinidos, diz JBS (09:28)
Soja dá continuidade às altas na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira (08:32)
Asgav e Programa Ovos RS realizam em julho atividades de qualificação em formato virtual (08:27)
Suíno: preços estáveis ou com leves altas nesta terça-feira (08:22)
Vietnã habilita 4 plantas de aves e 1 de suínos para importar carne do Brasil (08:21)
Milho: mercado físico brasileiro se movimenta pouco nesta terça-feira (08:08)
Soja: produtor brasileiro só deve voltar às vendas internacionais no segundo semestre (08:05)
Embarques de soja do BR devem desacelerar a partir de julho, após recorde de volume até maio (08:00)
Terça-Feira, 02/06
JBS de Ipumirim volta às atividades: “outro ânimo para trabalhar”, diz produtor (09:10)
Soja: mercado em Chicago trabalha em campo positivo nesta 3ª feira (08:13)
ABPA afirma que o Brasil está pronto para exportar mais carnes para a China durante imbróglio com os EUA (07:39)
Embarques de carne suína batem recorde para um mês de maio (07:36)
Preço pago pelo quilo do suíno vivo no RS inicia junho estável (07:35)
Suíno: cotações estáveis ou em alta neste início de junho (07:34)
Boi: escalas de abate recuam e dão fortes indicações que a oferta de animais será menor neste final de safra (07:32)
Milho começa junho se desvalorizando no Brasil (07:29)
USDA: plantio do milho chega a 93% e 60% da soja está em boas/excelentes condições (07:27)
Soja em Chicago fica estável (07:24)
Segunda-Feira, 01/06
Governo de SC auxilia em processo de reabertura do frigorífico de Ipumirim (15:57)
FACTA lança podcast sobre avicultura (15:09)
Perspectivas dos preços de insumos e ração animal para aves e suínos para 2020 (13:45)
Webinar da Aviagen explora os meios para alcançar uma saúde intestinal ideal (09:51)
Milho começa a semana com leves quedas na B3 e em Chicago (09:46)
Soja inicia junho com estabilidade em Chicago (08:42)
China pede a estatais que parem compras de soja e carne suína dos EUA, dizem fontes (08:30)
Ministério da Agricultura recomenda que sacrifício de animais seja última opção (08:27)
‘É melhor abater no concorrente do que jogar a carne fora’ ,diz especialista em saúde animal (08:26)
Cooperativas do Sul discutem impactos da pandemia na indústria frigorífica (08:08)
Testes de salmonella acontecem antes, durante e após o abate dos frangos (08:07)
MAPA divulga consórcios municipais selecionados para participar do projeto de ampliação do mercado de Produtos de Origem Animal (08:02)
JBS tem aval da Justiça do trabalho para reabrir planta de Ipumirim, SC (08:00)
Em consulta pública, MAPA colhe sugestões sobre atos normativos da Defesa Agropecuária (07:58)
Ovos/CEPEA: menor demanda no fim de maio acentua desvalorização (07:43)
Milho: colheita da segunda safra avança e enfraquece preços (07:42)
Suíno: cotações ficam estáveis no fechamento de maio (07:33)
Embora calmo, o mercado do boi está firme (07:31)
BRF diz que contraprova de Covid-19 em fábricas em SC e RS confirma número baixo de positivos (07:19)
Sexta-Feira, 29/05
Semana teve poucas alterações nos preços físico do milho (09:59)
China deixará mercado de frango dos EUA durante recuperação (09:48)
Conselho do FCO aprova R$ 146,1 milhões em investimentos em MS (09:47)
Alojamento de pintos de corte caiu menos do que o esperado pela Apinco (09:46)
Soja: mercado ainda caminha de lado na Bolsa de Chicago nesta 6ª feira (08:02)
FRANGO/CEPEA: poder de compra frente ao farelo de soja é o mais baixo em dois anos (07:53)
Preço do boi gordo teve um ganho de 1,23% nesta semana no RS (07:44)
Suíno: cotação caiu 3,4% nas granjas paulistas em uma semana (07:41)
Preços para a suinocultura independente têm leve alta ou estabilidade nesta semana (07:40)
Suínos: mês se encaminha para o final com cotações mistas (07:37)
Milho cai no mercado físico com início da colheita, mas sobe na B3 (07:28)
Soja em Chicago pode mudar patamar de preços com influência do mercado climático nos EUA a partir de junho (07:21)
Produtores de soja tiveram 1º quadrimestre com resultado financeiro positivo (07:19)