Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
Matérias-Primas

Soja opera estável nesta 3ª em Chicago

Traders se mantém cautelosos à espera de novidades.
Campinas, SP, 15 de Outubro de 2019 - Novo dia de estabilidade para as cotações da soja na Bolsa de Chicago. Os futuros da oleaginosa, por volta de 7h25 (horário de Brasília), subiam entre 0,25 e 0,50 ponto, com o mercado aparentando bastante tranquilidade e cautela.

"O mercado continua relutando em reagir com mais força, entendendo que o acordo parcial (firmado entre China e EUA na última sexta-feira e ainda sem muitos detalhes) é muito fragil", diz Steve Cachia, consultor da Cerealpar e AgroCulte.

Assim, o novembro/19 tinha US$ 9,40 e o maio/20, US$ 9,72 por bushel.

Ainda assim, segundo analistas e consultores, o viés dos preços na CBOT segue positivo, com clima muito ruim para a conclusão da nova safra americana e uma perspectiva melhor da demanda chinesa no mercado dos EUA, embora o acordo ainda não tenha ainda sido efetivado.

O atraso na safra do Brasil, com a falta de chuvas preocupando os produtores, também começa a ganhar mais espaço entre os traders.

Nesta terça-feira, o mercado recebe também o boletim semanal de embarques de grãos do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e o de acompanhamento de safras. As expectativas são de que a área de soja já colhida venha em 25%, contra 5% da semana anterior, 38% de 2018 e 36% da média dos últimos cinco anos.

Ainda hoje, chega também o boletim mensal de esmagamento de soja nos EUA pela NOPA (Associação Nacional dos Processadores de Oleaginosas dos EUA). O mercado espera um aumento do processamento em relação ao mês anterior.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 26/02
Terça-Feira, 25/02
Segunda-Feira, 24/02
Estados Unidos reabrem mercado para carne in natura do Brasil (15:05)
Sexta-Feira, 21/02
Unidade brasileira da Vetanco realiza Convenção de Vendas 2020 (15:07)
Cadeia de frango da China se abre em meio ao caos das medidas de vírus (13:58)
Frango: apesar da fraca demanda, custo de produção elevado faz com que avicultor aumente preço (13:40)
Cotações do milho no mercado físico tem perdido força (13:30)
Milho: cotações registram leves altas em Chicago (13:25)
Soja: à espera de novas compras da China, mercado em Chicago segue estável (13:22)
Programa Ovos RS promove curso de Boas Práticas de Fabricação para Fábricas de Ração (09:33)
Boi: preços de balcão em SP giram ao redor de R$200,00/@ (09:15)
Praticamente metade da safra do milho já está colhida no RS (08:38)
Surto de vírus não mudará compromissos da China de comprar produtos dos EUA (08:37)
CNA diz que MP do Agro dá mais alternativas de financiamento e simplifica acesso ao crédito (08:26)
Suíno: animal vivo segue valorizado nas principais praças (07:55)
Mercado do boi gordo está firme (07:53)
Oferta restrita dá sustentação ao mercado de carne bovina no atacado (07:52)
Milho fecha a 5ª feira desvalorizado em Chicago após encontro do USDA (07:51)
Soja mais barata no Brasil do que nos EUA pressiona Chicago mais uma vez (07:48)
Quinta-Feira, 20/02
Exportações de genética avícola decrescem em janeiro (11:03)
Suínos: poder de compra frente ao milho é o mais baixo desde Fev/19 (10:22)
Boi: abate cai no final de 2019 e confirma baixa oferta (10:21)
Milho: Vendedores tem mostrado interesse em negociar, enquanto o comprador se abastece para os próximos dias (09:20)
Boi: A queda das cotações no mercado atacadista influenciou as tentativas de compra (09:16)
Vetanco participa do Show Rural Coopavel 2020 (09:01)
Milho abre a 5ª feira com baixas em Chicago à espera de números do USDA (09:00)
Soja recua em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Suíno: cotações estáveis em São Paulo; animal vivo segue valorizado nas principais praças produtoras (07:16)
APA divulga programa definitivo do Congresso de Ovos 2020 (07:01)
CNA discute impactos da reforma tributária para o Agro (06:59)
Pouco boi provoca alta significativa no Norte do país (06:55)
Milho cai em Chicago nesta 4ª feira (06:51)
Poucos negócios novos com a soja brasileira (06:48)