Sábado, 06 de Junho de 2020
Empresas

A importância da nutrição precoce no desempenho e na saúde de frangos de corte e a relevância do plasma spray dried nesse contexto

Dr. Steve Leeson, Professor Emérito da Universidade de Guelph, Ontario, Canadá, aborda em entrevista o uso do plasma spray dried.
Polônia, 16 de Setembro de 2019 - A necessidade de promover o desenvolvimento precoce dos sistemas do imune e digestivos em pintinhos jovens via nutrição, a experiência anterior do Dr. Steve Leeson, Professor Emérito da Universidade de Guelph, Ontario, Canadá, sobre o uso de plasma secado para alcançar estas metas em aves, e a disponibilidade de novas informações demonstrando como o uso deste ingrediente funcional na nutrição de frangos pode ser rentável.

O pintinho necessita fazer de uma transição do ovos para uma nutrição a base de cereais. durante esse processo, entre muitos desafios, está sujeito a um período restrição de alimentação e água e é colocado em um ambiente de carga microbiana muito elevada quando comparado com o ovo quase estéril.
Uma das principais prioridades deste pintinho é desenvolver rapidamente e eficientemente seu sistema imune e digestivo no novo ambiente para enfrentar com sucesso possíveis estressores e patógenos, utilizar eficientemente os ingredientes e nutrientes da dieta para ter um bom desempenho e estar pronto para processamento no tempo desejado.

Na sequência, acompanhe uma entrevista que discute como a alimentação do plasma nos primeiros dias de vida se apresenta como uma ferramenta valiosa para alcançar estes objetivos de forma lucrativa.

No contexto do desenvolvimento da imunidade e da saúde intestinal de frangos de corte, o que o senhor considera um bom começo?

Existem três principais fatores que influenciam a imunidade precoce e a saúde intestinal em frangos de corte. O primeiro deles é o pintinho em si e o fato de provir de criadores bem protegidos em relação a vacinas, higiene geral e criação na granja. O segundo é a biosseguridade na própria granja de frangos, obviamente isso vem se tornando cada vez mais crítico. O terceiro é o papel que a nutrição pode desempenhar no suporte ao sistema imunológico, no desenvolvimento inicial do intestino e na limitação da possível incubação de patógenos no próprio intestino.

Como ocorreu o seu interesse pelo uso de plasma em dietas de frangos de corte?

Há cerca de 15 a 16 anos, um estudante de pós-graduação, da área de nutrição de suínos, veio até mim com a intenção de testar o que seria equivalente a uma dieta de desmame precoce em suínos para leitões jovens, o que realmente se tornou realmente hoje conhecido como dietas pré-iniciais especializadas. Como parte dessa dieta, havia uma dose bastante grande de plasma sanguíneo e os resultados foram bastante expressivos e, desde então, eu tive sempre um interesse em verificar o papel do plasma sanguíneo em nutrição inicial e no ganho econômico para uma melhor produção avícola.

Qual a sua opinião sobre os efeitos do plasma como modulador do sistema imunológico de frangos de corte?

Definitivamente parece ser um modulador imunológico, o que é algo muito difícil de medir. Nas granjas, existe uma maneira muito prática de medir indiretamente, em termos de conversão alimentar. Quando utilizamos plasma, observamos uma melhora de cerca de 5 pontos de conversão alimentar e estou bastante convencido de que há uma modulação no estado imunológico da ave – ou um não super excesso de estimulo da resposta imune das aves frente a patógenos ou vacinas. Hoje se observa uma grande amplitude de conversão alimentar no campo, em diferentes regiões, a nível global, e muito disso se deve ao status imunológico e à ave ter que produzir anticorpos frente a vários desafios. Parece que o plasma pode ajudar a reduzir esse custo energético, que é direcionado para melhorar o desempenho, ao invés de manter uma resposta imune exacerbada. Então, como foi dito, é muito difícil medir em termos diretos, mas um sinal externo, indireto, de 5 pontos de conversão alimentar, é um parâmetro obviamente muito importante para a produção avícola.

Na sua opinião, que benefícios o plasma pode trazer para a nutrição de frangos, além de ser uma fonte de proteína altamente digerível?

É uma fonte altamente digerível de proteínas e aminoácidos, por isso tem um papel na substituição do farelo de soja em aves com menos de 10 dias de idade, o que é um fator importante atualmente. A resposta que se vê no plasma vai muito além de ser uma simples melhoria em aminoácidos digeríveis. Então é isso - são as proteínas funcionais presentes no plasma que estão dando a resposta subjacente que vemos. Embora apenas alimentemos plasma entre quatro e dez dias, ou talvez entre quatro e quatorze dias, a resposta é vista ao longo da vida da ave. É aí que entra a economia em energia de mantença.

Quais parâmetros de produção, na sua opinião, poderiam ser impactados em frangos de corte quando alimentados com plasma nos primeiros dias de vida?

A principal delas em aves saudáveis ​​será a eficiência alimentar. Em todas as aves será a eficiência alimentar, mas em aves em termos gerais saudáveis ​​e com bom estado imunológico e boa saúde intestinal, ainda vemos uma resposta em termos de conversão. Se você tem um grande desafio por doença - e é aí que o plasma se torna realmente interessante - porque os resultados são bastante expressivos em termos de redução da mortalidade que as aves enfrentam frente a desafios bacterianos ou virais. Há resultados muito substancias quando há um desafio natural de doenças, mas sempre existe essa economia subjacente na conversão e creio que o setor esteja muito interessado.

Quão bem estabelecido é o uso de plasma na nutrição animal?

O uso de plasma está muito bem estabelecido em nutrição animal. Se você comprar ração para cães e gatos, principalmente para gatos, provavelmente haverá plasma nela. É uma proteína altamente digestível para alimentos de animais de estimação, uma das principais áreas de utilização. Obviamente, foi adotada pela indústria suína há cerca de 20 a 25 anos e eu suspeitaria que 90 a 95% dos suínos no mundo são alimentados com plasma assim que são desmamados e recebem ração sólida. Está, então, bem estabelecido na indústria animal. Para aves, é uma ideia ou uma nova tecnologia e a indústria é relativamente conservadora em termos gerais, por isso leva alguns anos para que novas idéias sejam aceitas. Porém estamos vendo mais aceitação agora. Portanto, acredito que há cada vez mais oportunidades para uso de plasma em aves, pois temos cada vez menos acesso a antibióticos e outros fármacos para dar apoio à saúde de frangos de corte.

Na sua opinião, como o plasma pode ser usado como uma ferramenta para reduzir a dependência nos antibióticos?

Não acho que ocorra uma substituição total. Não é que em algum momento haverá um único fator que substitua os antibióticos. Será uma abordagem multifacetada, obviamente. Acredito que o plasma, nos primeiros 10 dias, você sabe, têm efeitos bastante expressivos na saúde intestinal, porém junto com outros fatores, e é interessante que eles sejam sinérgicos. Assim, utilizando probióticos, por exemplo, óleos essenciais ou betaína, ácido butírico - todos são sinérgicos ao uso de plasma. Portanto, não será um fator de substituição único, mas certamente o plasma será uma ferramenta importante em nosso arsenal para substituir antibióticos.

Acompanhe também o vídeo com a entrevista completa do Dr. Steve Leeson:

https://www.youtube.com/watch?v=vr3e9FYeekw
(APC) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 06/06
Sexta-Feira, 05/06
FRANGO/CEPEA: mesmo com exportação aquecida, preços internos registram queda em maio (09:41)
Soja: com demanda, Chicago acumula altas de mais de 3% na semana e tem máximas em dois meses (08:59)
Nova safra de grãos deve bater recorde (08:50)
Mais de 700 estabelecimentos já foram habilitados a exportar para 24 países (08:10)
Governo capixaba anuncia diferimento do ICMS nas importações de milho (08:01)
Setor privado identifica 17 novas barreiras comerciais entre março e maio, mostra CNI (07:59)
Milho cai no mercado físico, mas sobe nas bolsas nesta 5ª feira (07:55)
Soja: Brasil tem 5ª feira de preços em alta com ganhos no dólar (07:48)
Suíno: cotações subiram na primeira semana de junho (07:43)
Suíno: cotações mistas e com perspectiva de retomada lenta do mercado (07:42)
Boi gordo: mercado firme e sustentado (07:41)
Cotações do Boi Gordo registram novos ajustes de preços em São Paulo (07:40)
Quinta-Feira, 04/06
Milho: B3 abre a quinta-feira com poucas movimentações e de olho na colheita (10:19)
Suínos: demanda chinesa elevada faz com que exportações brasileira atinjam recorde (09:24)
Boi Gordo/CEPEA: média mensal da arroba é a terceira maior da série (09:22)
Soja opera estável na Bolsa de Chicago nesta 5ª feira (08:10)
ACAV Conecta aborda o agronegócio após a Covid-19 (06:50)
Justiça americana indicia ceo da Pilgrim's por suposta fixação de preço de frango (06:48)
Boi Gordo: transição safra – entressafra ficou para trás (06:37)
Suíno: cotações mistas marcaram a 4ª feira (06:35)
Milho termina a 4ª feira desvalorizado no Brasil (06:33)
Valorização do real fez soja brasileira perder competitividade frente a americana (06:30)
China cancela embarques de compras de produtos agrícolas dos EUA, afirma The Wall Street Journal (06:27)
Quarta-Feira, 03/06
Covid-19: empresa pode responder por contágio (09:31)
Consumo de frango no Brasil é três vezes maior do que em 1990 (09:30)
Rumos do consumo pós-crise ainda estão indefinidos, diz JBS (09:28)
Soja dá continuidade às altas na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira (08:32)
Asgav e Programa Ovos RS realizam em julho atividades de qualificação em formato virtual (08:27)
Suíno: preços estáveis ou com leves altas nesta terça-feira (08:22)
Vietnã habilita 4 plantas de aves e 1 de suínos para importar carne do Brasil (08:21)
Milho: mercado físico brasileiro se movimenta pouco nesta terça-feira (08:08)
Soja: produtor brasileiro só deve voltar às vendas internacionais no segundo semestre (08:05)
Embarques de soja do BR devem desacelerar a partir de julho, após recorde de volume até maio (08:00)
Terça-Feira, 02/06
JBS de Ipumirim volta às atividades: “outro ânimo para trabalhar”, diz produtor (09:10)
Soja: mercado em Chicago trabalha em campo positivo nesta 3ª feira (08:13)
ABPA afirma que o Brasil está pronto para exportar mais carnes para a China durante imbróglio com os EUA (07:39)
Embarques de carne suína batem recorde para um mês de maio (07:36)
Preço pago pelo quilo do suíno vivo no RS inicia junho estável (07:35)
Suíno: cotações estáveis ou em alta neste início de junho (07:34)
Boi: escalas de abate recuam e dão fortes indicações que a oferta de animais será menor neste final de safra (07:32)
Milho começa junho se desvalorizando no Brasil (07:29)
USDA: plantio do milho chega a 93% e 60% da soja está em boas/excelentes condições (07:27)
Soja em Chicago fica estável (07:24)