Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020
Matérias-Primas

China abre mercado para farelo de soja argentino
Buenos Aires, Argentina, 11 de Setembro de 2019 - O governo da Argentina anunciou nesta terça-feira que a China aprovou exportações de farelo de soja argentino ao seu mercado, cuja demanda pela proteína para consumo animal é a maior do mundo.

O anúncio põe fim às negociações entre os dois países sobre o tema, que se estenderam por 20 anos, e estreita o vínculo comercial entre a Argentina e o gigante asiático.

"Este acordo histórico para a Argentina representa uma grande oportunidade de acesso ao maior mercado consumidor mundial de proteína vegetal para alimentação de animais", disse a presidência da Argentina em um comunicado, no qual informou que o acordo será formalizado na quarta-feira.

A Argentina é a principal exportadora mundial de farelo de soja, enquanto a China é a maior compradora dos grãos de soja não processados do país sul-americano.

No entanto, até o momento a China --que não é um player relevante no comércio global do derivado da oleaginosa-- não autorizava o ingresso de embarques do farelo argentino.

O presidente da Câmara da Indústria de Óleos Vegetais da Argentina (Ciara, na sigla em espanhol), Gustavo Idígoras, disse à Reuters que o anúncio é um feito histórico para o setor, ainda que tenha ressaltado que o início do fluxo de exportações para a China não será imediato.

"A partir desse importante passo dado, ficam pendentes mais duas etapas: a habilitação das plantas agroindustriais, que poderá ser anunciada no próximo mês de outubro, e o registro do produto, que vai demorar mais vários meses, e por isso não é possível esperar embarques imediatos no momento", explicou.

A Ciara engloba gigantes do agronegócio que operam na Argentina, como Cargill, Bunge e Louis Dreyfus.

"É uma excelente e oportuna notícia. A Argentina precisa agregar valor às suas exportações para a China e para o mundo", disse à Reuters Luis Zubizarreta, presidente da Acsoja, câmara que representa a cadeia produtiva da oleaginosa no país, desde o setor primário até a agroindústria.

Nos primeiros oito meses deste ano, a Argentina exportou 16,3 milhões de toneladas de farelo de soja, com receita de 5,2 bilhões de dólares. No ano passado, a Argentina somou embarques de 24,2 milhões de toneladas do derivado, com receita total de 9,19 bilhões de dólares, sendo Vietnã e Indonésia os principais destinos.
(Reuters) (Maximilian Heath e Hugh Bronstein)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 28/02
Quinta-Feira, 27/02
Boi: China deve começar a retomar as importações com mais força na segunda quinzena de Abril (12:25)
Importações de carne bovina na China devem ser lentas, mas recuperação vem no segundo semestre (11:28)
Em um ano, avicultura de Apucarana tem crescimento de 9% (10:33)
Milho abre a quinta-feira ainda em queda na Bolsa de Chicago (09:21)
Soja volta a recuar em Chicago nesta 5ª feira (09:20)
Conab realiza leilões para a venda e contratação do transporte de milho destinado a criadores de animais (09:15)
Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina (07:55)
Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos (07:51)
Pecuarista segura gado aguardando preços melhores (07:49)
Milho: 4ª feira se encerra com pequenas perdas em Chicago (07:48)
Soja nos portos sobe R$ 1,50/saca com altas do dólar e de Chicago (07:45)
Quarta-Feira, 26/02
Ovos: cotações mensais atingem recorde nominal (13:37)
Milho: cotações continuam em alta em praticamente todas as regiões (13:32)
Soja: apesar do avanço da colheita, preços seguem firmes (13:30)
Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA (11:02)
Milho abre a 4ª feira estável em Chicago (09:40)
Soja tem estabilidade e leve recuo em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Empresa avícola paranaense monitora qualidade de água gerada em suas operações por meio de bioindicadores (07:37)
Commodities agrícolas registram alta mesmo em novo dia de aversão com o coronavírus (07:34)
Terça-Feira, 25/02
Segunda-Feira, 24/02
Estados Unidos reabrem mercado para carne in natura do Brasil (15:05)