Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020
Agronegócios

Índice de preços de alimentos da FAO caiu 1,1% em agosto
São Paulo, SP, 06 de Setembro de 2019 - O Índice de Preços dos Alimentos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) caiu 2 pontos (1,1%) em agosto na comparação com julho, para 169,8 pontos. Foi a terceira queda mensal consecutiva, determinada por recuos observados nos mercados de açúcar e cereais.

O subíndice dos cereais teve média de 157,6 pontos em agosto, queda de 10,8 pontos (6,4%) em relação ao mês anterior. “Os valores do milho caíram acentuadamente devido às expectativas de uma colheita muito maior do que a prevista anteriormente nos Estados Unidos. Os preços do trigo também permaneceram sob pressão descendente, refletindo amplas disponibilidades de exportação”, disse a FAO no texto de divulgação do indicador.

O índice para açúcar ficou em 174,8 pontos em agosto, com queda mensal de 7,3 pontos (4%). "O último declínio mensal dos preços internacionais do açúcar é justificado em grande parte pelo enfraquecimento do real ante o dólar, que tende a incentivar as exportações brasileiras do adoçante", disse a organização.

Em contrapartida, os preços dos óleos vegetais subiram 7,5 pontos (5,9%) entre julho e agosto. O indicador ficou em 133,9 pontos, devido ao aumento nos preços do óleo de palma - que, por sua vez, subiu com maior demanda internacional e menor estoque na Malásia.

A FAO também indicou que os preços do óleo de soja avançaram acompanhando a demanda robusta dos setores de alimentos e biodiesel e o menor volume de esmagamento nos Estados Unidos. Do mesmo modo, a crescente demanda dos produtores de biodiesel da União Europeia (UE) forneceu suporte para o aumento dos preços internacionais do óleo de canola.

O subíndice da carne registrou 179,8 pontos em agosto, avanço de quase 1 ponto (0,5%) em relação a julho, "continuando com os moderados aumentos de preços registrados nos últimos sete meses". Conforme a FAO, as cotações internacionais da carne suína se fortaleceram ainda mais, sustentadas pela proliferação da peste suína africana na Ásia e na Europa, enquanto as cotações de carne ovina e de frango permaneceram estáveis. "O comércio internacional de carne bovina permaneceu robusto”, destacou a FAO.

O índice para lácteos ficou em 194,5 pontos, com alta de 1 ponto (0,5%), "indicando uma reversão das quedas acentuadas registradas nos dois meses anteriores”.

(Valor) (Fernanda Pressinott )
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 28/02
APA atualiza programa do Congresso de Ovos 2020 (15:25)
Frango: poder de compra do avicultor paulista se eleva no mês (11:17)
Suínos: menor oferta continua sustentando cotações do suíno vivo (11:10)
Boi: baixa oferta de animais mantém preços do boi firmes em fevereiro (11:00)
Milho abre a sexta-feira com leves baixas em Chicago (09:00)
Encerra hoje, sexta-feira, a primeira etapa inscrições para o SBSA 2020 (06:56)
Katayama Alimentos conquista Certificação Halal (06:54)
Grupo Mantiqueira ganha certificado do Great Place To Work (GPTW) (06:53)
Suínos: valorização no preço do animal vivo na maioria das praças produtoras (06:52)
Frigoríficos enfrentam demanda reduzida da China em meio ao coronavírus (06:51)
Soja desaba nesta 6ª feira (06:48)
Milho cai até 1,62% nesta 5ª feira na Bolsa de Chicago (06:46)
Emater define safra de soja 2019/20 no RS como irregular e já verifica perdas consolidadas (06:33)
Quinta-Feira, 27/02
Boi: China deve começar a retomar as importações com mais força na segunda quinzena de Abril (12:25)
Importações de carne bovina na China devem ser lentas, mas recuperação vem no segundo semestre (11:28)
Em um ano, avicultura de Apucarana tem crescimento de 9% (10:33)
Milho abre a quinta-feira ainda em queda na Bolsa de Chicago (09:21)
Soja volta a recuar em Chicago nesta 5ª feira (09:20)
Conab realiza leilões para a venda e contratação do transporte de milho destinado a criadores de animais (09:15)
Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina (07:55)
Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos (07:51)
Pecuarista segura gado aguardando preços melhores (07:49)
Milho: 4ª feira se encerra com pequenas perdas em Chicago (07:48)
Soja nos portos sobe R$ 1,50/saca com altas do dólar e de Chicago (07:45)
Quarta-Feira, 26/02
Ovos: cotações mensais atingem recorde nominal (13:37)
Milho: cotações continuam em alta em praticamente todas as regiões (13:32)
Soja: apesar do avanço da colheita, preços seguem firmes (13:30)
Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA (11:02)
Milho abre a 4ª feira estável em Chicago (09:40)
Soja tem estabilidade e leve recuo em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Empresa avícola paranaense monitora qualidade de água gerada em suas operações por meio de bioindicadores (07:37)
Commodities agrícolas registram alta mesmo em novo dia de aversão com o coronavírus (07:34)
Terça-Feira, 25/02
Segunda-Feira, 24/02
Estados Unidos reabrem mercado para carne in natura do Brasil (15:05)