Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020
Matérias-Primas

Soja: mercado recua forte em Chicago, mas prêmios ajudam na manutenção dos preços no Brasil
Campinas, SP, 06 de Setembro de 2019 - Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago terminaram o pregão desta quinta-feira (5) com baixas de mais de 12 pontos entre os principais contratos. O vencimento novembro/19 foi a US$ 8,61 e o março, a US$ 8,88 por bushel, caindo 14 e 13 pontos, respectivamente. O mercado, segundo explicou Mário Mariano, reagiu a um acumulado de fatores já conhecidos, mas ainda muito negativos.

De acordo com o analista de mercado da Novo Rumo Corretora, a ausência da demanda chinesa por soja no mercado norte-americana ainda exerce muita pressão sobre as cotações na CBOT. Um acordo entre os dois países se mostra ainda muito distante e improvável.

Ainda assim, foi anunciado um novo encontro entre as duas delegações, pessoalmente, em Washington, para outubro. Os traders, porém, não apostam em grandes evoluções das negociações e, por isso, tampouco em uma volta das compras de soja da China nos EUA. De setembro (2018) a julho (2019), os americanos venderam apenas pouco mais de 10 milhões de toneladas da oleaginosa à nação asiática.

"Esse é um volume tão pequeno que pode ser comparado a números de 2005", explica Mariano, em entrevista ao Notícias Agrícolas nesta quinta-feira.

Mais do que isso, apesar dos problemas climáticos já sofridos e do atrasado conhecido nas lavouras norte-americanas, as condições climáticas esperadas para as próximas semanas também não trazem grandes ameaças e, dessa forma, também limitam o espaço de recuperação das cotações.

MERCADO BRASILEIRO

No Brasil, pela volatilidade de Chicago e pelas baixas consecutivas do dólar, os preços recuaram, mas ainda são mantidos por prêmios fortes. A demanda forte - e as baixas da CBOT - ajudam na manutenção.

Os negócios, porém, são menos intensos nesta semana em relação às anteriores, com essas baixas. Nos portos, os indicativos cederam consideravelmente, recuando entre 1,67% e 1,69% nas principais posições, que agora variam entre R$ 87,50 e R$ 88,50 por saca.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 28/02
APA atualiza programa do Congresso de Ovos 2020 (15:25)
Frango: poder de compra do avicultor paulista se eleva no mês (11:17)
Suínos: menor oferta continua sustentando cotações do suíno vivo (11:10)
Boi: baixa oferta de animais mantém preços do boi firmes em fevereiro (11:00)
Milho abre a sexta-feira com leves baixas em Chicago (09:00)
Encerra hoje, sexta-feira, a primeira etapa inscrições para o SBSA 2020 (06:56)
Katayama Alimentos conquista Certificação Halal (06:54)
Grupo Mantiqueira ganha certificado do Great Place To Work (GPTW) (06:53)
Suínos: valorização no preço do animal vivo na maioria das praças produtoras (06:52)
Frigoríficos enfrentam demanda reduzida da China em meio ao coronavírus (06:51)
Soja desaba nesta 6ª feira (06:48)
Milho cai até 1,62% nesta 5ª feira na Bolsa de Chicago (06:46)
Emater define safra de soja 2019/20 no RS como irregular e já verifica perdas consolidadas (06:33)
Quinta-Feira, 27/02
Boi: China deve começar a retomar as importações com mais força na segunda quinzena de Abril (12:25)
Importações de carne bovina na China devem ser lentas, mas recuperação vem no segundo semestre (11:28)
Em um ano, avicultura de Apucarana tem crescimento de 9% (10:33)
Milho abre a quinta-feira ainda em queda na Bolsa de Chicago (09:21)
Soja volta a recuar em Chicago nesta 5ª feira (09:20)
Conab realiza leilões para a venda e contratação do transporte de milho destinado a criadores de animais (09:15)
Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina (07:55)
Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos (07:51)
Pecuarista segura gado aguardando preços melhores (07:49)
Milho: 4ª feira se encerra com pequenas perdas em Chicago (07:48)
Soja nos portos sobe R$ 1,50/saca com altas do dólar e de Chicago (07:45)
Quarta-Feira, 26/02
Ovos: cotações mensais atingem recorde nominal (13:37)
Milho: cotações continuam em alta em praticamente todas as regiões (13:32)
Soja: apesar do avanço da colheita, preços seguem firmes (13:30)
Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA (11:02)
Milho abre a 4ª feira estável em Chicago (09:40)
Soja tem estabilidade e leve recuo em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Empresa avícola paranaense monitora qualidade de água gerada em suas operações por meio de bioindicadores (07:37)
Commodities agrícolas registram alta mesmo em novo dia de aversão com o coronavírus (07:34)
Terça-Feira, 25/02
Segunda-Feira, 24/02
Estados Unidos reabrem mercado para carne in natura do Brasil (15:05)