Domingo, 16 de Fevereiro de 2020
Matérias-Primas

Santa Catarina quer investir na produção de cereais de inverno para alimentação animal
Florianópolis , 22 de Agosto de 2019 - Santa Catarina quer incluir cereais de inverno na alimentação de suínos e aves, diminuindo a demanda por milho. O plantio de trigo, aveia, cevada e centeio pode representar uma alternativa importante de renda para os produtores e também trazem um novo fôlego para o setor produtivo de carnes e leite. Governo do Estado, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), iniciativa privada e representantes dos produtores rurais estudam a inclusão dos cereais de inverno na alimentação animal como forma de diminuir a dependência de milho.
Todos os anos, cerca de quatro milhões de toneladas de milho saem do Centro Oeste ou de outros países para abastecer as cadeias produtivas de suínos, aves e leite em Santa Catarina. Segundo o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, a produção de outros cereais para complementar a ração animal pode ser um passo importante para garantir a competitividade do agronegócio catarinense em longo prazo. “Além disso, os produtores rurais terão uma renda extra, aproveitando as lavouras também no período de inverno”, ressalta.
O uso de cereais de inverno, como o trigo, cevada e aveia, para alimentação animal não é novidade, essa já é uma prática comum em outros países e que pode ser aplicada também em Santa Catarina. Embora no Brasil não existam cultivares desenvolvidas especificamente para produção de ração, os agricultores poderão utilizar algumas sementes já disponíveis para outras finalidades.
No caso da cevada, por exemplo, quando o cereal não obtiver o padrão para produção de malte pode ser utilizado para compor a ração. O mesmo acontece com o trigo, que pode ser usado tanto para a panificação ou para alimentação animal. “Existem terras que não são aproveitadas no inverno em Santa Catarina e os produtores estão ansiosos para obter uma alternativa de renda. São áreas ociosas que podem ser aproveitadas para plantação de cereais de inverno”, destaca o presidente da Coocam, João Carlos Di Domenico (Paco).
O secretário Ricardo de Gouvêa explica ainda que este é um programa com resultados a longo prazo e que envolve vários elos da cadeia produtiva. “Estamos trabalhando com representantes de vários setores para analisarmos o cultivo dos cereais de inverno e a conversão alimentar. Há um entendimento das agroindústrias e das cooperativas de que esse é um plano viável para Santa Catarina. É importante aproveitarmos essas discussões envolvendo representantes de produtores, cooperativas, iniciativa privada e técnicos da área para evoluirmos e fomentarmos novas culturas no estado. O que pode ser rentável tanto para o produtor quanto para a cadeia produtiva de carnes e leite”, afirma.
O incentivo para produção de cereais de inverno vem complementar as outras ações desenvolvidas pelo Estado para aumentar o fornecimento de insumos. Santa Catarina trabalha para viabilizar a Rota do Milho, trazendo o grão do Paraguai diretamente para o Oeste, além de executar o Programa Terra-Boa, que apoia a produção de milho de alta qualidade.
Milho em Santa Catarina
O milho é fundamental para abastecer as cadeias produtivas de proteína animal instaladas em Santa Catarina. O estado é o maior produtor nacional de suínos, segundo maior produtor de aves e se destaca também na produção de leite. Isso levou o agronegócio catarinense a um consumo de 7 milhões de toneladas de milho por ano, com uma produção média de 3 milhões de toneladas.
(Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca ) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 16/02
Sexta-Feira, 14/02
Sasso e Gramado Avicultura estabelecem parceria (12:29)
Agroqualitá realiza curso sobre HACCP para fábricas de ração em Chapecó (12:01)
Programa Ovos RS apresenta resultados ao Serviço Oficial (11:59)
Frango: valorização das concorrentes eleva competitividade da carne de frango (11:48)
Suíno: estabilidade nos preços nesta quinta-feira (06:24)
Valor da Produção Agropecuária para 2020 é estimado em R$ 674,10 bilhões (06:22)
Produção de ovos sobe 4,3% no 4º tri de 2019 ante 4º tri de 2018, diz IBGE (06:21)
Depois de pagar R$ 205,00/@ em SP, frigoríficos alongam escalas e reduzem ritmo de compras (06:18)
Milho fecha com mais de 1% de alta nesta 5ª feira (06:17)
Soja sobe até 2,6% no interior do Brasil com demanda e dólar ainda forte frente ao real (06:15)
CNA vai mostrar que tabelamento obrigatório do frete prejudica o setor (06:06)
Quinta-Feira, 13/02
CNA e Caixa Econômica discutem renegociação de dívidas e Crédito Rural (15:30)
FAESC apoia campanha de proteção ao agronegócio catarinense (15:27)
SBSA 2020: em debate, a inovação e o futuro da avicultura (12:54)
Luiz Carlos Giongo assume a presidência do Nucleovet (12:50)
Suínos: exportações firmes elevam preço do suíno no Brasil (12:26)
Boi: apesar da queda de 36% em janeiro, embarques à china seguem elevados (12:25)
Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre (12:22)
Abate de bovinos cai 1,8% no 4º trimestre de 2019 ante o 4º tri de 2018, diz IBGE (12:11)
ABPA e Apex-Brasil levam 14 agroindústrias para a Gulfood 2020 (08:45)
Soja: otimismo diminui em Chicago nesta 5ª feira com anúncio de novas mortes pelo Corona; BR mantém foco no dólar (08:12)
Exportações do agronegócio totalizam US$ 5,8 bilhões em janeiro (08:07)
Suíno: preço da arroba permanece estável acima dos R$ 100 em SP (08:00)
Milho: 4ª feira termina com altas em Chicago e no Brasil (07:55)
Soja sobe forte no Brasil com dólar em recorde histórico e 4ª feira de altas em Chicago (07:50)
Quarta-Feira, 12/02
Adisseo apresenta pesquisa sobre micotoxinas em milho (14:49)
Mercado árabe é foco de ação de promoção da carne brasileira (12:24)
ABPA promove SIAVS durante IPPE 2020 (10:10)
Vai e vem da carne bovina no varejo (09:26)
BRDE reabre frigorífico em Umuarama (09:17)
Soja: mercado em Chicago mantém estabilidade nesta 4ª com foco nas relações China x EUA (09:10)
Estão abertas as inscrições online para o Congresso de Ovos 2020 (07:16)
PIB-Agro/CEPEA: Ramo pecuário cresce e mantém elevação do PIB (07:12)
Santa Catarina cria campanha de proteção ao agronegócio (07:07)
Suínos: dia de valorização nos preços (07:00)
MAPA prevê mais um recorde histórico para a safra de grãos: 251 milhões de toneladas (06:58)
Preços do milho brasileiro atingem maior patamar em 4 anos com demanda aquecida (06:57)
Soja no Brasil pode passar dos R$ 90 nos portos a partir do dia 15/02 (06:55)
USDA sobe safra de soja do Brasil para 125 mi de t e reduz estoques finais dos EUA; estoques de milho mantidos (06:50)
Terça-Feira, 11/02
Milho: ofertas do cereal ficaram mais restritas nos últimos dias no mercado paulista (14:43)
Boi: chuvas reforçam o poder de retenção do pecuarista (14:41)
Preço do ovo subiu 24,2% em uma semana nas granjas em São Paulo (12:28)
Soja caminha de lado na Bolsa de Chicago nesta 3ª feira (12:24)
PIB do agronegócio cresce 2,4% de janeiro a novembro de 2019 (12:22)
Conab apresenta novo recorde de grãos que chega a 251 milhões de toneladas (09:19)
Campanha na Europa defende a cobrança de nova taxa sobre carnes (08:59)
Ministério da Agricultura cria o ‘Núcleo China’ (08:52)
Desempenho do crédito rural na atual safra atinge R$ 116,7 bilhões em sete meses (08:38)
Suíno: semana começa com cotações positivas (07:08)
Alta demanda interna de ovos diminui exportações em janeiro (07:07)
Boi Gordo: cotação da arroba sobe em quinze praças pecuárias (07:04)
Milho: mercado tem altas pontuais no interior do Brasil de até 2,5% nesta 2ª feira (07:00)
Soja: preços no Brasil tem até R$ 1,50 a mais por saca com pequenas altas da CBOT e do dólar (06:58)
USDA pode reduzir estoques finais dos EUA e aumentar safra de soja do Brasil (06:55)