Sábado, 29 de Fevereiro de 2020
Exportação

ABPA projeta forte aumento da exportação de carne de frango e suína em 2019

Exportações de carne de frango devem crescer entre 4% e 5% no ano, enquanto a suína pode chegar a 12% de aumento.
São Paulo, SP, 21 de Agosto de 2019 - Depois de um 2018 marcado por desafios e dificuldades para produtores brasileiros de aves e suínos, os primeiros sete meses de 2019 voltaram a apresentar forte retomada nas exportações e indicam o ritmo do ano. Números apresentados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (21), revelam aumento na produção e apontam o fechamento em alta para o setor.

A expansão das exportações para a Ásia, em especial à China, é vista com entusiasmo. O país é responsável pela importação de 28,2% da carne suína brasileira e 13% de frango. “Os números são extremamente positivos. O comportamento dos mercados interno e externo acenam positivamente para os setores de avicultura e suinocultura. Temos como principal driver de todos esses eventos a Ásia”, destacou o presidente da ABPA, Francisco Turra.

De acordo com Turra, a capacidade de produção animal brasileira coloca o país entre os maiores fornecedores de aves e suínos do mundo. “Hoje, somos o quarto maior produtor mundial de suínos. O Brasil tem elasticidade de ter um grande consumo interno e densidade de volume e adensamento de animais. Os produtores não estão fazendo movimentos exacerbados de expectativas e, sim, aguardando demanda externa”, explicou o presidente.

A expectativa da associação, em relação à carne de frango, é fechar o ano com aumento de 1% na produção, passando de 12,8 milhões de toneladas, em 2018, para 13 milhões de toneladas, em 2019. As exportações devem alcançar 4,3 milhões de toneladas – volume de 4% a 5% superior em relação às 4,1 milhões de toneladas do último ano. Já o consumo per capita, por sua vez, retrairá 2% em relação a 2018, mas manterá o patamar de 41 quilos.

Para a carne suína, o crescimento deverá chegar entre 1% e 2,5%. As previsões, de acordo com a associação, é atingir 4,1 milhões de toneladas em produção neste ano e superar as 3,97 milhões de toneladas do ano passado. Diferentemente do que se projeta com relação à carne de frango, o consumo per capita tem perspectiva de crescimento de 1% a 2% em comparação ao ano anterior, ampliando para 16 quilos.

Em relação à produção de ovos, a perspectiva é de avanço, devendo apresentar elevação da produção em até 10% neste ano. Em 2018, 44,4 bilhões de unidades foram produzidas. Para 2019, a projeção é concluir o ano com 49 bilhões de unidades. As exportações devem alcançar 12 mil toneladas – 3% acima do desempenho do ano passado. “O Brasil está tomando um novo rumo na economia”, finalizou Turra.

Primeiros sete meses apresentam aumento nas exportações
Os primeiros sete meses do ano apresentaram ampliação de 5,8% na exportação de frangos, em relação ao ano anterior. A comercialização de 2,34 milhões de toneladas geraram receitas de 4 bilhões de dólares no período – saldo 10,8% superior ao ano anterior. Da mesma forma, a carne suína atingiu a marca de 414,4 mil toneladas exportadas, o que representa um aumento de 19,6% no volume de vendas para o mercado externo.

A exportação de ovos seguiu a linha da avicultura e da suinocultura. Durante os sete meses, foram embarcadas 5,89 mil toneladas e gerados 7,72 milhões de dólares em receita. Se, por uma lado o volume de vendas aumentou 2,5%, as receitas caíram em relação ao mesmo período do último ano. De janeiro a julho de 2018, o mercado externo injetou 9,33 milhões de dólares na economia brasileira.

A variação nas exportações foi diretamente influenciada pela queda nos rebanhos de suínos chineses – cerca de 30% em relação ao último ano em função da peste suína africana, que proporcionou um incremento de 31% nas vendas do Brasil para a Ásia. Outros fatores – como a reabertura de mercado de suinocultura para a Rússia, o primeiro embarque de carne de frango para a Índia e a retomada do comércio com a União Europeia – também contribuíram para a alta.

Mais de 15 mil visitantes esperados em feira

Maior feira brasileira e uma das maiores do mundo do setor, o Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (SIAVS) foi pauta da coletiva de imprensa. O evento inicia na próxima semana, em São Paulo, e trará mais de 100 painelistas para discutir o futuro do segmento. Mais de 15 mil visitantes, de 30 países diferentes, 1,6 mil produtores e 1,7 mil congressistas são esperados para esta edição. “A feira cresceu 18% em relação ao ano passado e chegamos à quinta edição neste formato”, sintetizou o presidente. Será entre os dias 26 e 29 de agosto, no Parque Anhembi.
(ABPA) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 29/02
Sexta-Feira, 28/02
APA atualiza programa do Congresso de Ovos 2020 (15:25)
Frango: poder de compra do avicultor paulista se eleva no mês (11:17)
Suínos: menor oferta continua sustentando cotações do suíno vivo (11:10)
Boi: baixa oferta de animais mantém preços do boi firmes em fevereiro (11:00)
Milho abre a sexta-feira com leves baixas em Chicago (09:00)
Encerra hoje, sexta-feira, a primeira etapa inscrições para o SBSA 2020 (06:56)
Katayama Alimentos conquista Certificação Halal (06:54)
Grupo Mantiqueira ganha certificado do Great Place To Work (GPTW) (06:53)
Suínos: valorização no preço do animal vivo na maioria das praças produtoras (06:52)
Frigoríficos enfrentam demanda reduzida da China em meio ao coronavírus (06:51)
Soja desaba nesta 6ª feira (06:48)
Milho cai até 1,62% nesta 5ª feira na Bolsa de Chicago (06:46)
Emater define safra de soja 2019/20 no RS como irregular e já verifica perdas consolidadas (06:33)
Quinta-Feira, 27/02
Boi: China deve começar a retomar as importações com mais força na segunda quinzena de Abril (12:25)
Importações de carne bovina na China devem ser lentas, mas recuperação vem no segundo semestre (11:28)
Em um ano, avicultura de Apucarana tem crescimento de 9% (10:33)
Milho abre a quinta-feira ainda em queda na Bolsa de Chicago (09:21)
Soja volta a recuar em Chicago nesta 5ª feira (09:20)
Conab realiza leilões para a venda e contratação do transporte de milho destinado a criadores de animais (09:15)
Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina (07:55)
Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos (07:51)
Pecuarista segura gado aguardando preços melhores (07:49)
Milho: 4ª feira se encerra com pequenas perdas em Chicago (07:48)
Soja nos portos sobe R$ 1,50/saca com altas do dólar e de Chicago (07:45)
Quarta-Feira, 26/02
Ovos: cotações mensais atingem recorde nominal (13:37)
Milho: cotações continuam em alta em praticamente todas as regiões (13:32)
Soja: apesar do avanço da colheita, preços seguem firmes (13:30)
Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA (11:02)
Milho abre a 4ª feira estável em Chicago (09:40)
Soja tem estabilidade e leve recuo em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Empresa avícola paranaense monitora qualidade de água gerada em suas operações por meio de bioindicadores (07:37)
Commodities agrícolas registram alta mesmo em novo dia de aversão com o coronavírus (07:34)
Terça-Feira, 25/02