Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
Exportação

JBS amplia unidades já autorizadas a vender à China
São Paulo, SP, 16 de Agosto de 2019 - A ansiedade de donos de frigoríficos com a demora de Pequim em liberar mais abatedouros do Brasil a exportar carne bovina ao país asiático passa ao largo da JBS.

Ao contrário de seus concorrentes, que contam com as novas habilitações para ampliar a exportação e se beneficiar da demanda aquecida do país asiático, a JBS adotou uma estratégia diferente.

Em teleconferência com analistas, Wesley Batista Filho, executivo responsável pelas operações da JBS na América do Sul, afirmou que a companhia concentrou os investimentos no Brasil na ampliação da capacidade dos frigoríficos de bovinos já autorizados por Pequim.

No ano passado, a JBS investiu R$ 45 milhões para elevar a capacidade dos abatedouros de Ituiutaba e Iturama, em Minas Gerais. Ambas estão aprovadas pelos chineses. A unidade de Barra do Garças (MT), igualmente habilitada, também foi ampliada no ano passado. Em junho deste ano, a companhia voltou a anunciar investimentos para aumentar a capacidade em Ituiutaba.

A analistas, Batista Filho afirmou que os aportes em curso devem ser concluídos entre o fim do terceiro trimestre e o início do quarto. Esses investimentos devem permitir uma ampliação de 15% a 20% do potencial de exportação da JBS à China, de acordo com o executivo do grupo.

Com isso, a companhia consolida a liderança que já possui no mercado chinês - a JBS também exporta o produto a partir da Austrália. "Temos todas as condições de ser um fornecedor preferencial da China", disse o CEO da JBS, Gilberto Tomazoni, durante a teleconferência.

Questionado sobre o processo de habilitação de novas plantas, Tomazoni indicou dar menor importância ao tema. "Abertura de planta não é processo que controlamos. O que temos certeza é que nossas instalações estão em nível excelente", disse.

Nos bastidores, há quem diga que novas habilitações podem não ser necessariamente boas para a empresa. A avaliação é que, como a JBS é a empresa que possui mais plantas autorizadas pela China - seis de 15 -, a liberação de dezenas de abatedouros poderia pressionar a cotação da carne exportada pela JBS.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 26/02
Terça-Feira, 25/02
Segunda-Feira, 24/02
Estados Unidos reabrem mercado para carne in natura do Brasil (15:05)
Sexta-Feira, 21/02
Unidade brasileira da Vetanco realiza Convenção de Vendas 2020 (15:07)
Cadeia de frango da China se abre em meio ao caos das medidas de vírus (13:58)
Frango: apesar da fraca demanda, custo de produção elevado faz com que avicultor aumente preço (13:40)
Cotações do milho no mercado físico tem perdido força (13:30)
Milho: cotações registram leves altas em Chicago (13:25)
Soja: à espera de novas compras da China, mercado em Chicago segue estável (13:22)
Programa Ovos RS promove curso de Boas Práticas de Fabricação para Fábricas de Ração (09:33)
Boi: preços de balcão em SP giram ao redor de R$200,00/@ (09:15)
Praticamente metade da safra do milho já está colhida no RS (08:38)
Surto de vírus não mudará compromissos da China de comprar produtos dos EUA (08:37)
CNA diz que MP do Agro dá mais alternativas de financiamento e simplifica acesso ao crédito (08:26)
Suíno: animal vivo segue valorizado nas principais praças (07:55)
Mercado do boi gordo está firme (07:53)
Oferta restrita dá sustentação ao mercado de carne bovina no atacado (07:52)
Milho fecha a 5ª feira desvalorizado em Chicago após encontro do USDA (07:51)
Soja mais barata no Brasil do que nos EUA pressiona Chicago mais uma vez (07:48)
Quinta-Feira, 20/02
Exportações de genética avícola decrescem em janeiro (11:03)
Suínos: poder de compra frente ao milho é o mais baixo desde Fev/19 (10:22)
Boi: abate cai no final de 2019 e confirma baixa oferta (10:21)
Milho: Vendedores tem mostrado interesse em negociar, enquanto o comprador se abastece para os próximos dias (09:20)
Boi: A queda das cotações no mercado atacadista influenciou as tentativas de compra (09:16)
Vetanco participa do Show Rural Coopavel 2020 (09:01)
Milho abre a 5ª feira com baixas em Chicago à espera de números do USDA (09:00)
Soja recua em Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Suíno: cotações estáveis em São Paulo; animal vivo segue valorizado nas principais praças produtoras (07:16)
APA divulga programa definitivo do Congresso de Ovos 2020 (07:01)
CNA discute impactos da reforma tributária para o Agro (06:59)
Pouco boi provoca alta significativa no Norte do país (06:55)
Milho cai em Chicago nesta 4ª feira (06:51)
Poucos negócios novos com a soja brasileira (06:48)