Sábado, 29 de Fevereiro de 2020
Matérias-Primas

Soja sobe mais de 1% nos portos do BR nesta 4ª feira e dia é de fortes negócios
Campinas, SP, 15 de Agosto de 2019 - Os preços da soja subiram mais de 1% nos portos do Brasil nesta quarta-feira (14) e o dia foi de bons negócios no mercado nacional. As cotações subiram em Paranaguá e Rio Grande entre 1,18% e 1,80% com os indicativos variando de R$ 83,60 a R$ 85,50 por saca. Nos terminais de Santa Catarina, a referência já chegou aos R$ 86,00.

A alta forte do dólar foi o principal combustível para o avanço das cotações, uma vez que a moeda americana chegou a seu mais elevado patamar desde março, segundo a agência de notícias Reuters, e ficou acima dos R$ 4,00. O ganho foi de 1,86%.

"A causa é externa, com uma 'ajuda' da Argentina", disse Thiago Silencio, operador de câmbio da CM Capital Markets, à Reuters, citando a turbulência no mercado vizinho. "Mas, diferentemente de altas recentes do dólar, o movimento está ocorrendo sem pressão na liquidez, e isso indica que o Banco Central deve se manter afastado por enquanto", ponderou.

Já no interior do país, depois de dias consecutivos de boas altas, os preços se mantiveram estáveis, com altas apenas pontuais. Os indicativos de preços ainda trabalham no intervalo de R$ 67,00 a R$ 82,00 por saca entre as principais praças de comercialização.

BOLSA DE CHICAGO

E foi essa alta no câmbio que anulou parte da pressão trazida pelas baixas fortes registradas entre os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago. Os preços encerraram o dia perdendo mais de 10 pontos em um dia de intensa aversão ao risco no cenário externo. Entenda como foi o dia:

Assim, o novembro encerrou o pregão sendo cotado a US$ 8,78 por bushel. E este é o contrato mais negociado neste momento, além de ser a referência para a nova safra norte-americana.

O mercado internacional busca agora redefinir seu caminho. Depois da divulgação dos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), os traders seguem acompanhando de perto o desenvolvimento da nova safra do país para entender se os dados serão confirmados efetivamente.

Mais do que isso, o mercado se atenta também aos dados de área, aos números do Prevent Plant e à percepção dos produtores norte-americanos diante da produção de soja e milho.

Ao mesmo tempo, atenção redobrada às questões ligadas à guerra comercial entre China e Estados Unidos. O presidente Donald Trump adiou as novas tarifas sobre produtos chineses de setembro para dezembro, o que animou o mercado e o que provoca especulações de que a China poderia sinalizar um novo gesto de boa vontade, talvez até mesmo com algumas compras de produtos agrícolas dos EUA.

E com a proximidade do início da nova safra da América do Sul, atenção também à crise na Argentina, segundo explicam analistas e consultores de mercado.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 29/02
Sexta-Feira, 28/02
APA atualiza programa do Congresso de Ovos 2020 (15:25)
Frango: poder de compra do avicultor paulista se eleva no mês (11:17)
Suínos: menor oferta continua sustentando cotações do suíno vivo (11:10)
Boi: baixa oferta de animais mantém preços do boi firmes em fevereiro (11:00)
Milho abre a sexta-feira com leves baixas em Chicago (09:00)
Encerra hoje, sexta-feira, a primeira etapa inscrições para o SBSA 2020 (06:56)
Katayama Alimentos conquista Certificação Halal (06:54)
Grupo Mantiqueira ganha certificado do Great Place To Work (GPTW) (06:53)
Suínos: valorização no preço do animal vivo na maioria das praças produtoras (06:52)
Frigoríficos enfrentam demanda reduzida da China em meio ao coronavírus (06:51)
Soja desaba nesta 6ª feira (06:48)
Milho cai até 1,62% nesta 5ª feira na Bolsa de Chicago (06:46)
Emater define safra de soja 2019/20 no RS como irregular e já verifica perdas consolidadas (06:33)
Quinta-Feira, 27/02
Boi: China deve começar a retomar as importações com mais força na segunda quinzena de Abril (12:25)
Importações de carne bovina na China devem ser lentas, mas recuperação vem no segundo semestre (11:28)
Em um ano, avicultura de Apucarana tem crescimento de 9% (10:33)
Milho abre a quinta-feira ainda em queda na Bolsa de Chicago (09:21)
Soja volta a recuar em Chicago nesta 5ª feira (09:20)
Conab realiza leilões para a venda e contratação do transporte de milho destinado a criadores de animais (09:15)
Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina (07:55)
Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos (07:51)
Pecuarista segura gado aguardando preços melhores (07:49)
Milho: 4ª feira se encerra com pequenas perdas em Chicago (07:48)
Soja nos portos sobe R$ 1,50/saca com altas do dólar e de Chicago (07:45)
Quarta-Feira, 26/02
Ovos: cotações mensais atingem recorde nominal (13:37)
Milho: cotações continuam em alta em praticamente todas as regiões (13:32)
Soja: apesar do avanço da colheita, preços seguem firmes (13:30)
Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA (11:02)
Milho abre a 4ª feira estável em Chicago (09:40)
Soja tem estabilidade e leve recuo em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Empresa avícola paranaense monitora qualidade de água gerada em suas operações por meio de bioindicadores (07:37)
Commodities agrícolas registram alta mesmo em novo dia de aversão com o coronavírus (07:34)
Terça-Feira, 25/02