Sábado, 04 de Abril de 2020
Saúde Animal

Rigor total para manter as doenças longe dos planteis catarinenses
Florianópolis , 15 de Agosto de 2019 - Um pesadelo espreita as cadeias produtivas da proteína animal, no mundo: a ocorrência de doenças nos rebanhos de aves, suínos e bovinos. Rigor total nos controles é a principal orientação do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (ICASA).

A preocupação é pertinente porque o mundo está vivendo o drama da peste suína africana (PSA), da qual o Brasil está imune (não tem a doença), mas precisa tomar todas as medidas de segurança. A peste suína africana é uma doença viral, mas não oferece risco à saúde humana. Pode, contudo, dizimar planteis de suínos, sendo altamente infecciosa, o que exige o sacrifício dos animais, conforme determina a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Uma das principais medidas de segurança é restringir a entrada de pessoas nos estabelecimentos rurais para evitar o contágio. Simultaneamente, é necessária a adoção de algumas medidas, como a cerca de isolamento e a troca de roupa e calçados antes de entrar na unidade produtiva de animas. Isso ajuda a manter a saúde dos animais e reduz riscos de contaminação e disseminação de doenças.
O conselheiro técnico do ICASA Gerson Catalan destaca que “essas e outras medidas são fundamentais no controle de enfermidades e na obtenção de alimento seguro para os humanos.” O controle prevê medidas de biosseguridade que evitam a propagação de doenças para a criação dos animais. Essas medidas dependem do tipo de criação - bovinos, suínos, aves etc.

A pessoa que necessitar fazer uma visita à unidade de produção animal, a trabalho ou não, deverá estar em vazio sanitário (sem contato com suínos de outra propriedade rural, abatedouro ou laboratório que trabalha com agentes infecciosos) por no mínimo 24 horas. Se o visitante for estrangeiro ou brasileiro em retorno de viagem internacional, independente de ter ou não visitado uma unidade de produção de animais, abatedouro ou laboratório com agentes infecciosos, deverá estar em vazio sanitário por pelo menos 72 horas.

Visita de técnicos autônomos ou de empresa integradora (técnicos de assistência técnica e vacinadores) que assistem apenas granjas da mesma integração (mesma agroindústria) deverá seguir os procedimentos de troca de roupas e calçados, além de higienização das mãos. No caso de granjas de material genético há necessidade de banho e troca de roupa independente se é ou não funcionário da empresa integradora.

O acesso de pessoas as unidades de produção deverá ser feito obrigatoriamente pelo vestiário, com troca de roupas e calçados de uso exclusivo da unidade de produção e lavagem das mãos com detergente/sabão. As visitas devem ser documentadas, mantendo no escritório um caderno de registro com informações mínimas de data, identificação da pessoa, objetivo da visita e identificação da última visita por ele feita em outra unidade de produção, abatedouro ou laboratório que trabalha com agentes infecciosos.
Outras medidas imprescindíveis são cerca de isolamento (barreira física que impede pessoas estranhas, veículos e animais como cães, gatos, javalis, galinhas, bovinos, entre outros, entrar no estabelecimento e manter contato com os suínos alojados) e cuidados de higienização na entrada (acesso de funcionários, proprietários e visitantes ao interior da unidade produtiva só poderá ser feito após os procedimentos de troca de roupas e calçados e lavagem das mãos).

Catalan reforça que as visitas nas propriedades rurais com criação de animais devem ser restritas e quando ocorrer observar todas as medidas de biosseguridade. “O status sanitário que Santa Catarina conquistou representa nosso maior patrimônio, porque é um atestado de seriedade e de qualidades de nossa agropecuária”, encerra o dirigente.

ICASA
O Instituto – por meio do seu corpo técnico formado por veterinários, auxiliares, pessoal administrativo, com apoio de veículos e equipamentos – realiza um trabalho constante de controle para evitar a entrada de doenças em território catarinense. O apoio do ICASA aos órgãos oficiais foi fundamental para a obtenção do atual status sanitário pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).
(ICASA ) (Assessoria de imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 04/04
Sexta-Feira, 03/04
Suíno: quedas acentuadas para o mercado independente (16:44)
CNA destaca ações para reduzir impactos na comercialização de alimentos (15:57)
Soja pode registrar semana de maior alta da história no Brasil (14:18)
Milho abre a sexta-feira subindo em Chicago e na B3 (10:03)
Milho está acima de R$60 a saca em Campinas-SP (09:32)
Demanda por carne desaba no país (08:24)
Frigoríficos conseguiram alongar as escalas de abate (08:17)
Aviões cheios de suínos chegam à China para reconstruir o maior rebanho do mundo (08:16)
Milho: demanda segue aquecida e cotações no mercado interno permanecem sustentadas (08:05)
Soja segue operando com estabilidade nesta 6ª feira em Chicago (08:00)
Milho segunda safra mostra amplo desenvolvimento (07:16)
Quinta-Feira, 02/04
Preço do suíno independente baixa até para patamares vistos há dez meses (16:24)
Boi: demanda da China e ciclo pecuário de alta nos preços vão minimizar impactos de uma retração da demanda interna por carnes (16:13)
Petróleo dispara e puxa commodities agrícolas (16:07)
Adiamento de tributos ajudará agroindústria na crise, diz CNA (15:44)
Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19 (15:14)
Aurora manterá quadro de empregados e não cogita redução de sua força de trabalho (14:50)
Faturamento com exportação de carne suína em março é 61% maior do que em março/19 (13:24)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro do esperado (13:22)
Milho: B3 segue caindo na maioria dos contratos e Chicago contabiliza ganhos (13:21)
Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19 (11:37)
As empresas têm que agir com responsabilidade’, defende BRF (09:30)
Supermercado pode viver ‘nova onda’ de consumo (09:26)
Justiça do DF desobriga empresa de apresentar CND em financiamento (09:25)
Milho abre a 5ª feira subindo em Chicago e em campo misto na B3 (09:04)
Suínos: preços do vivo e da carne caem com mais força no final de março (09:03)
Boi: mercado pecuário apresenta instabilidade no correr de março (09:00)
Marca Tecnologia Embrapa chega às gôndolas dos supermercados em ovos da Korin (08:39)
Cobb-Vantress substitui frota para entregar mais eficiência produtiva e ambiental (08:19)
Mercado do boi está em alerta (08:02)
Milho no Brasil segue em alta enquanto safrinha se desenvolveu bem com chuvas de março (08:00)
Após queda intensa, soja tem estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (07:58)
Quarta-Feira, 01/04
Suíno: preços seguem com queda acentuada quebra na demanda (16:41)
Frigoríficos reduzem ritmo de compras após alongarem escalas (16:16)
Exportações brasileiras de milho em março ficam menores do que mesmo mês de 2019, mas sobem em relação a fevereiro (16:09)
Para incentivar a população a não sair de casa, Grupo Mantiqueira expande operação de delivery com clube de assinantes do ovo (15:58)
Soja cai mais de 2% em Chicago, em dia de perdas generalizadas (14:42)
Setores de aves e suínos do ES colocam em prática as orientações de prevenção e se organizam para continuar o abastecimento de alimentos (14:39)
Milho: alta do dólar pressiona cotações na B3 e Chicago aprofunda perdas (13:12)
BRF anuncia doações de R$ 50 milhões (13:09)
Com falta de ovos nos EUA, venda de pintos aumentam (12:25)
Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea (11:29)
BRF contrata R$ 1,4 bi em linhas de crédito para reforçar liquidez (10:14)
Milho abre o mês ainda em queda na Bolsa de Chicago e na B3 (10:12)
SIF garante a manutenção do abastecimento de produtos de origem animal (09:15)
Governo estuda pacote de R$ 2 bi para o campo (09:14)
Frigoríficos dos EUA oferecem bônus contra absenteísmo (09:12)
Embrapa faz parceria com Korin e se aproxima do consumidor (09:11)
Soja: mercado começa abril com perdas de mais de 1% em Chicago (08:15)
Milho: poucas movimentações no Brasil e queda de 7% em março em Chicago (08:11)
Mapa institui comitê de crise para monitorar impactos do Coronavírus (08:10)
Suíno: principais praças produtoras do vivo têm desvalorização (08:06)
Boi gordo encerra março com preços firmes (08:00)
Habilitação de novos frigoríficos pela China está paralisada (07:28)
Terça-Feira, 31/03
PIB AGRO SP/CEPEA: Pecuária eleva PIB agro de SP em 1,5% em 2019 (13:47)
Cobb debateu mudanças de manejo para o frango moderno com jovens avicultores (13:39)
Milho segue caindo em Chicago, mas sobe 2% na B3 (12:27)
Início da crise puxa o preço dos alimentos, mas alta é passageira (09:50)
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA (09:19)
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo (08:18)
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho (08:13)
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico (08:12)
Quarentena reduz drasticamente demanda por suínos nas principais praças produtoras (08:05)
Soja tem leves baixas nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Retomada de preço no mercado do boi gordo (07:45)