Sábado, 29 de Fevereiro de 2020
Exportação

Santa Catarina responde por 58% das exportações brasileiras de carne suína
Florianópolis, SC, 13 de Agosto de 2019 - O status sanitário diferenciado e a qualidade permitiu a Santa Catarina se consolidar como o maior produtor e exportador de carne suína do Brasil. De janeiro a julho deste ano, foram 236,6 mil toneladas embarcadas – 58% do total nacional – gerando um faturamento de US$ 467,6 milhões. Ou seja, a cada 10 produtos de carne suína exportados pelo Brasil, 6 são produzidos em Santa Catarina.

Em julho, o estado exportou 35,1 mil toneladas de carne suína, com faturamento de US$ 75,2 milhões, 3,5% acima do mês anterior. Esse é o segundo melhor resultado do ano, atrás apenas dos embarques registrados em maio.

“Santa Catarina continua crescendo em exportações, tanto na venda de suínos quanto de aves. A China se tornou um grande mercado e vem aumentando as compras ao longo do ano, mas nós não podemos perder de vista outros mercados importantes. Nosso objetivo agora é abrir as exportações de carne suína para o México”, ressalta o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.

No acumulado do ano, Santa Catarina apresenta uma alta de 33,5% nas receitas com as exportações de carne suína e de 29,2% na quantidade embarcada. A maioria dos principais mercados aumentou de forma significativa suas compras ao longo do ano, com destaque para China, que ampliou em 49,9% as importações do produto catarinense em relação ao mesmo período de 2018.

Este ano, Santa Catarina também retomou as exportações para Rússia, que já foi o maior mercado e agora ocupa a 5ª colocação no ranking dos embarques de carne suína. O estado também aumentou muito as vendas para Vietnã e Coreia do Sul.

China

A China é o maior importador de carne suína do mundo, principal mercado para o produto catarinense e com um grande potencial de crescimento. O gigante asiático responde por 41% de tudo o que Santa Catarina já faturou com as exportações de carne suína este ano. Quando se contabiliza também os embarques para Hong Kong, região administrativa especial da China, a participação sobe para 55%.

Enquanto o estado comemora o aumento nas vendas, a China vive uma grave crise na suinocultura. O país já registrou mais de uma centena de focos de peste suína africana, o que pode causar queda de até 30% na sua produção em 2019, conforme apontam diversos especialistas.
Segundo o analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Alexandre Giehl, a suinocultura catarinense deve continuar sendo favorecida por esse cenário, já que há expectativa de que a China intensifique ainda mais suas importações de carne suína nos próximos meses. "Além do expressivo aumento dos embarques para a China, a carne suína catarinense tem ampliado sua inserção em mercados extremamente exigentes, como é o caso da Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos, o que demonstra a competitividade do setor", complementa.

Os problemas enfrentados pela China e outros países asiáticos podem também ter impacto positivo sobre as exportações de outras carnes, como é o caso do frango, que é um substituto tradicional da carne suína.
(Secret. de Estado da Agr. e da Pesca (SC)) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 29/02
Sexta-Feira, 28/02
APA atualiza programa do Congresso de Ovos 2020 (15:25)
Frango: poder de compra do avicultor paulista se eleva no mês (11:17)
Suínos: menor oferta continua sustentando cotações do suíno vivo (11:10)
Boi: baixa oferta de animais mantém preços do boi firmes em fevereiro (11:00)
Milho abre a sexta-feira com leves baixas em Chicago (09:00)
Encerra hoje, sexta-feira, a primeira etapa inscrições para o SBSA 2020 (06:56)
Katayama Alimentos conquista Certificação Halal (06:54)
Grupo Mantiqueira ganha certificado do Great Place To Work (GPTW) (06:53)
Suínos: valorização no preço do animal vivo na maioria das praças produtoras (06:52)
Frigoríficos enfrentam demanda reduzida da China em meio ao coronavírus (06:51)
Soja desaba nesta 6ª feira (06:48)
Milho cai até 1,62% nesta 5ª feira na Bolsa de Chicago (06:46)
Emater define safra de soja 2019/20 no RS como irregular e já verifica perdas consolidadas (06:33)
Quinta-Feira, 27/02
Boi: China deve começar a retomar as importações com mais força na segunda quinzena de Abril (12:25)
Importações de carne bovina na China devem ser lentas, mas recuperação vem no segundo semestre (11:28)
Em um ano, avicultura de Apucarana tem crescimento de 9% (10:33)
Milho abre a quinta-feira ainda em queda na Bolsa de Chicago (09:21)
Soja volta a recuar em Chicago nesta 5ª feira (09:20)
Conab realiza leilões para a venda e contratação do transporte de milho destinado a criadores de animais (09:15)
Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina (07:55)
Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos (07:51)
Pecuarista segura gado aguardando preços melhores (07:49)
Milho: 4ª feira se encerra com pequenas perdas em Chicago (07:48)
Soja nos portos sobe R$ 1,50/saca com altas do dólar e de Chicago (07:45)
Quarta-Feira, 26/02
Ovos: cotações mensais atingem recorde nominal (13:37)
Milho: cotações continuam em alta em praticamente todas as regiões (13:32)
Soja: apesar do avanço da colheita, preços seguem firmes (13:30)
Brasil deve produzir 10,5 mi de t de carne bovina em 2020, diz USDA (11:02)
Milho abre a 4ª feira estável em Chicago (09:40)
Soja tem estabilidade e leve recuo em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Empresa avícola paranaense monitora qualidade de água gerada em suas operações por meio de bioindicadores (07:37)
Commodities agrícolas registram alta mesmo em novo dia de aversão com o coronavírus (07:34)
Terça-Feira, 25/02