Terça-feira, 02 de Junho de 2020
Matérias-Primas

Milho sobe 3% na Bolsa de Chicago após novos relatórios do USDA
Campinas, SP, 12 de Julho de 2019 - A quinta-feira (11) chegou ao final com grandes altas para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram valorizações entre 8,25 e 13,50 pontos, um aumento de 3% no contrato mais recente.

O vencimento julho/19 foi cotado à US$ 4,47, o setembro/19 valeu US$ 4,44 e o dezembro/19 foi negociado por US$ 4,48.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho movimentaram-se significativamente mais altos na quinta-feira, com base nos dados de apoio do último relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) sobre estimativas mundiais de oferta e demanda agrícola.

Nesta quinta-feira o USDA revisou para cima áreas plantada e colhida, produção e estoques finais do cereal. A estimativa da área plantada ficou em 37,11 milhões de hectares, contra 36,34 milhões em junho. Assim, a colhida passou de 33,35 para 33,83 milhões de hectares. Já o rendimento do milho permaneceu nas 173,64 sacas por hectare.

Com esse aumento da área, o USDA estima ainda um aumento na produção de milho de 347,49 para 352,44 milhões de toneladas, e os estoques finais devem ficar em 51,06 milhões de toneladas, contra o número de junho de 42,55 milhões. Sobre as exportações norte-americanas, o número de 54,61 milhões de toneladas foi mantido.

“O USDA fez o que eu esperava com sua estimativa de produção de milho, mas isso surpreendeu algumas pessoas no mercado. Depois de fazer uma redução de rendimento em junho, não houve base estatisticamente significativa para novos cortes em julho”, diz Bryce Knorr, analista sênior do mercado de grãos da Farm Futures.

“A demanda de milho continua a diminuir. No entanto, a safra de milho 2019 ainda está em questão. É preciso acompanhar a previsão do tempo para ver quanto tempo durará o clima quente e seco do Centro-Oeste americano. Se as previsões de tempo quente e seco persistirem por mais de 10 ou 14 dias, isso deve dar algum apoio ao mercado de milho”, disse a Kluis Advisors aos clientes em uma nota diária.

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o diretor geral do Grupo Labhoro, Ginaldo de Sousa, comentou que as cotações subiram mesmo com os números demonstrando mais área cultivada e produção, uma vez que o mercado acredita que esses números ainda serão ajustados no dia 12 de agosto, quando o USDA irá divulgar seu trabalho de campo que está sendo realizado.

O analista ainda destaca que a atenção do mercado deverá ficar voltado para as definições de produtividade para o milho, uma vez que a polinização do milho, que deveria estar acontecendo neste momento, vai acontecer somente durante agosto.

“Esse relatório não expressa a realidade das lavouras. Se essa fosse realidade, as cotações do milho teriam caído até 20 centavos hoje”, diz Ginaldo.

Mercado interno

No mercado físico brasileiro, a quinta-feira acaba com as cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, as desvalorizações foram percebidas apenas nas praça de Campinas/SP (1,30% e preço de R$ 37,92) e Dourados/MS (1,61% e preço de R$ 30,50).

Já as valorizações apareceram apenas em Castro/PR (2,78% e preço de R$ 37,00) e Brasília/DF (3,45% e preço de R$ 30,00).

Para a XP Investimentos, o mercado físico de milho seguiu sem fluxo, aguardando o desenrolar dos números mensais.

Pela manhã, a CONAB revisou a produção de milho para 98,50 MT (+1,50 MT). Já o USDA, manteve as produções do Brasil para 101 MT no milho.

“Mais uma vez, os números estimados para o milho surpreenderam o mercado, que esperava cortes de produção ao invés de avanços. A estabilidade lá fora somada ao avanço da colheita da 2ª safra no Brasil e a valorização do Real frente ao Dólar (queda do câmbio) mantém os preços de porto pressionados”, apontam os analistas.
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 02/06
JBS de Ipumirim volta às atividades: “outro ânimo para trabalhar”, diz produtor (09:10)
Soja: mercado em Chicago trabalha em campo positivo nesta 3ª feira (08:13)
ABPA afirma que o Brasil está pronto para exportar mais carnes para a China durante imbróglio com os EUA (07:39)
Embarques de carne suína batem recorde para um mês de maio (07:36)
Preço pago pelo quilo do suíno vivo no RS inicia junho estável (07:35)
Suíno: cotações estáveis ou em alta neste início de junho (07:34)
Boi: escalas de abate recuam e dão fortes indicações que a oferta de animais será menor neste final de safra (07:32)
Milho começa junho se desvalorizando no Brasil (07:29)
USDA: plantio do milho chega a 93% e 60% da soja está em boas/excelentes condições (07:27)
Soja em Chicago fica estável (07:24)
Segunda-Feira, 01/06
Governo de SC auxilia em processo de reabertura do frigorífico de Ipumirim (15:57)
FACTA lança podcast sobre avicultura (15:09)
Perspectivas dos preços de insumos e ração animal para aves e suínos para 2020 (13:45)
Webinar da Aviagen explora os meios para alcançar uma saúde intestinal ideal (09:51)
Milho começa a semana com leves quedas na B3 e em Chicago (09:46)
Soja inicia junho com estabilidade em Chicago (08:42)
China pede a estatais que parem compras de soja e carne suína dos EUA, dizem fontes (08:30)
Ministério da Agricultura recomenda que sacrifício de animais seja última opção (08:27)
‘É melhor abater no concorrente do que jogar a carne fora’ ,diz especialista em saúde animal (08:26)
Cooperativas do Sul discutem impactos da pandemia na indústria frigorífica (08:08)
Testes de salmonella acontecem antes, durante e após o abate dos frangos (08:07)
MAPA divulga consórcios municipais selecionados para participar do projeto de ampliação do mercado de Produtos de Origem Animal (08:02)
JBS tem aval da Justiça do trabalho para reabrir planta de Ipumirim, SC (08:00)
Em consulta pública, MAPA colhe sugestões sobre atos normativos da Defesa Agropecuária (07:58)
Ovos/CEPEA: menor demanda no fim de maio acentua desvalorização (07:43)
Milho: colheita da segunda safra avança e enfraquece preços (07:42)
Suíno: cotações ficam estáveis no fechamento de maio (07:33)
Embora calmo, o mercado do boi está firme (07:31)
BRF diz que contraprova de Covid-19 em fábricas em SC e RS confirma número baixo de positivos (07:19)
Sexta-Feira, 29/05
Semana teve poucas alterações nos preços físico do milho (09:59)
China deixará mercado de frango dos EUA durante recuperação (09:48)
Conselho do FCO aprova R$ 146,1 milhões em investimentos em MS (09:47)
Alojamento de pintos de corte caiu menos do que o esperado pela Apinco (09:46)
Soja: mercado ainda caminha de lado na Bolsa de Chicago nesta 6ª feira (08:02)
FRANGO/CEPEA: poder de compra frente ao farelo de soja é o mais baixo em dois anos (07:53)
Preço do boi gordo teve um ganho de 1,23% nesta semana no RS (07:44)
Suíno: cotação caiu 3,4% nas granjas paulistas em uma semana (07:41)
Preços para a suinocultura independente têm leve alta ou estabilidade nesta semana (07:40)
Suínos: mês se encaminha para o final com cotações mistas (07:37)
Milho cai no mercado físico com início da colheita, mas sobe na B3 (07:28)
Soja em Chicago pode mudar patamar de preços com influência do mercado climático nos EUA a partir de junho (07:21)
Produtores de soja tiveram 1º quadrimestre com resultado financeiro positivo (07:19)
Quinta-Feira, 28/05
Por um país mais cooperativo, por Francisco Turra (10:17)
Milho começa a 5ª feira subindo na B3 e em Chicago (09:35)
Frigoríficos temem perder mercado após interdições por Covid-19 (09:30)
BRF busca manter oferta ajustada às curvas da demanda (09:19)
Frango Americano projeta crescimento de 30% com apoio do Governo do Tocantins (09:18)
Pandemia já afeta produção de carne bovina (09:15)
Pela primeira vez, produção global de carne de frango deve ser maior que a de proteína suína (09:11)
Aviagen Brasil mostra espírito solidário com doações no interior de São Paulo (09:04)
Soja caminha de lado em Chicago nesta 5ª feira (08:32)
Suínos: vendas aumentam e elevam preços em maio (08:15)
Boi Gordo: mercado externo aquecido e menor oferta interna sustentam preços (08:13)
Indústrias estão oferecendo mais pela arroba do boi gordo (08:10)
Milho cai no mercado físico e na B3 seguindo baixa do dólar (08:03)
Soja brasileira está US$0,10/bushel mais cara que a americana (08:00)
Quarta-Feira, 27/05
Sindirações lança guia de boas práticas na indústria de alimentação animal para o enfrentamento da Covid-19 (15:23)
Milho: 4ª feira começa com resultados em campo misto na B3 (09:29)
PIB agropecuário crescerá até 2,5%,diz Ipea (09:13)
Mais proteína na cesta básica (09:12)
Soja em Chicago dá continuidade às últimas altas e segue em campo positivo nesta 4ª feira (08:50)
Agroindústrias de SC doam R$ 35 milhões para o combate à pandemia (08:24)
Ministra destaca trabalho do Mapa para garantir abastecimento durante a pandemia (08:21)
Suínos: cotações começam a ceder, principalmente para animal vivo (08:12)
Milho cai no mercado físico e na B3 nesta 3ª feira (08:10)
Boi: vencimentos futuros finalizam a 3ª feira com leves baixas na B3 (08:08)
Boi Gordo registra pouca oferta de boiadas e sem progresso nas escalas de abate (08:06)
Mercado climático pode fazer soja em Chicago buscar os US$ 9,00/bushel (08:00)
USDA: plantios de soja e milho avançam bem nos EUA e ficam dentro das expectativas (07:55)
Senado aprova prorrogação de vencimento de dívidas rurais (07:51)
Operações de embarque de grãos em berço de Paranaguá param após caso de Covid-19 (07:49)