Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Mercado

Boi desce dos R$ 150 (SP) e permanência da frente fria joga a favor das indústrias
Campinas, SP , 07 de Junho de 2019 - Os frigoríficos devem voltar a abrir o balcão na semana que vem, mesmo sem a equação China-vaca louca provavelmente resolvida, contando seu favor a continuidade da frente fria soprando firme sobre os pastos do Sudeste e do Centro-Oeste como mandam os mapas climáticos desta quinta (6). Depois que o boi vazou os R$ 150 em São Paulo, já se imagina como serão as ofertas, abaixo certamente das tentadas hoje, com média em R$149, e das poucas igualmente que podem ser propostas na sexta.

Poucos frigoríficos compraram bois na primeira parte desta quinta, especialmente os médios e pequenos, embora algumas unidades no eixo Araçutaba-Presidente Prudente cancelaram embarques na última hora. Os grandes ficaram novamente de fora em São Paulo.

O Minerva de Barretos era um deles, segundo algumas informações de pecuaristas da região. O JBS Lins compraria se tivesse vendedor a R$ 145/8 dias, mas Caio Junqueira, do app AgroBrazil, não viu negócios.

O Marfrig Promissão matou. Bois de manhã e vacas a tarde, de um grande lote trazido do Mato Grosso Sul, em negócios informado por Marcos Chuí, a R$ 143 no boi China. Boi Europa foi a R$ 145 e vaca a R$ 135.

A Scot, que registrou alguma atividade paulista perfazendo média de R$ 149,50 - e a Agrifatto marcou R$ 150,23 -, já viu o boi descer em Três Lagoas em R$ 131. A seta da tabela da consultoria ficou para baixo em 14 praças importantes.

Dos R$ 136 a R$ 132, entre Sudeste e Norte do Mato Grosso, ao R$ 136 de Goiás.

As chuvas do final de semana em volume razoável e bem espalhadas deram algum respiro aos produtores, como lembrou Francisco Brandão, vice do Siran, na Alta Noroeste, mas por pouco tempo.

"Muito poucos conseguirão segurar por mais tempo com compromissos batendo nas costas", disse. Lembrando ainda que além da oferta de pasto, animais que foram confinados antecipadamente em janeiro estão saindo.

Os frigoríficos sabem disso.

A partir da próxima quinta o tempo melhora, mas meio tarde se não vier alguma chuvinha antes.
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 07/07
Preços mais firmes para o farelo de soja (08:47)
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a utilização da tecnologia NIR para análises rápidas e eficientes na alimentação animal (08:02)
Segunda-Feira, 06/07
Hisex apresenta novo gestor da linhagem de poedeiras (17:33)
China suspende exportações de mais duas unidades brasileiras (09:47)
Terceirização em frigoríficos da Alemanha na berlinda (09:45)
Ovos/CEPEA: cotações encerram junho em queda (09:43)
Milho/CEPEA: movimento de alta continua, e indicador se aproxima dos R$50/sc (09:41)
Soja sobe forte nesta 2ª feira (08:28)
JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:28)
Saúde pública JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:25)
Sexta-Feira, 03/07
China absorve 10% de toda carne bovina produzida no Brasil (08:46)
Frangos, pintainhos e até ovos: caminhoneiro conta como carrega carga viva (08:44)
Inspeções na China devem atrasar fluxo nos portos (08:43)
Quinta-Feira, 02/07
Suínos: cotações encerram junho em alta (09:35)
Boi: vantagem da carne sobre boi se reduz em junho (09:30)
Milho fecha 1º dia do mês subindo no mercado brasileiro (07:37)
Apesar de safra recorde de soja, país deve fechar ano com menor estoque da história (07:27)
Soja: Brasil fecha semestre com embarques de mais de 63 mi de t, 43% a mais na comparação anual (07:19)
Quarta-Feira, 01/07
Plano Safra 2020/2021 entra em vigor nesta 4ª feira (09:52)
Frigoríficos: Paim quer anular portarias com medidas de prevenção que ele considera ineficazes (09:45)
Surpresa no relatório de área plantada eleva preços de soja e milho em Chicago (08:00)