Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Exportação

Exportação de suínos cresce 73% no Paraná e pode aumentar no 2º semestre
Curitiba, PR, 07 de Junho de 2019 - O Paraná exportou mais de 11 mil toneladas de suínos para o mundo em abril, com valor de 23 milhões de dólares. Esse volume representa crescimento de 73% em peso acumulado, em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo o Deral, Departamento de Economia Rural. De acordo com o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o Paraná é o segundo maior produtor e o terceiro maior exportador de suínos do Brasil.

Esse salto no mercado internacional em abril ajudou a engordar também os índices nacionais. Em abril deste ano, em comparação com o mesmo período de 2018, o Brasil exportou 57 mil toneladas, crescimento de quase 45%.
Foram 118 milhões de dólares exportados, aumento de 48%. O saldo acumulado das exportações do ano no Estado também é superior em relação ao primeiro quadrimestre de 2018, com crescimento de 10%, salto de cerca de 3 milhões e 400 mil toneladas.

Os maiores compradores do ano foram Hong Kong, Uruguai, Cingapura, Argentina e África do Sul. Os países asiáticos consomem mais de 50% da cadeia produtiva da suinocultura paranaense. O secretário Norberto Ortigara ressalta que há um esforço da indústria paranaense em aumentar a produção de frangos e suínos nos próximos meses.

Ortigara disse que o setor de frango pode crescer em torno de 10% no Paraná e o setor de suínos em torno de 20% neste ano. O secretário ainda ressaltou que o Paraná tem a possibilidade de ampliar a produção e presença no mundo a partir do selo de área livre de febre aftosa. O Estado e o setor privado fazem esse movimento para encerrar a vacinação contra febre aftosa nos bovinos e búfalos. Ortigara vislumbra a possibilidade de incremento de 80% da produção suína nos próximos cinco a sete anos com o fim da vacinação, com ganho de preço e volume. O reconhecimento junto à Organização Mundial de Saúde Animal deve acontecer em 2021.
(Agência Estadual de Notícias do Paraná) (Amanda Laynes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 07/07
Teste rápido é inútil para conter a covid-19 dentro de frigoríficos (09:25)
Falha em busca ativa justifica testes de anticorpos, diz MPT (09:23)
Preços mais firmes para o farelo de soja (08:47)
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a utilização da tecnologia NIR para análises rápidas e eficientes na alimentação animal (08:02)
Segunda-Feira, 06/07
Hisex apresenta novo gestor da linhagem de poedeiras (17:33)
China suspende exportações de mais duas unidades brasileiras (09:47)
Terceirização em frigoríficos da Alemanha na berlinda (09:45)
Ovos/CEPEA: cotações encerram junho em queda (09:43)
Milho/CEPEA: movimento de alta continua, e indicador se aproxima dos R$50/sc (09:41)
Soja sobe forte nesta 2ª feira (08:28)
JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:28)
Saúde pública JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:25)
Sexta-Feira, 03/07
China absorve 10% de toda carne bovina produzida no Brasil (08:46)
Frangos, pintainhos e até ovos: caminhoneiro conta como carrega carga viva (08:44)
Inspeções na China devem atrasar fluxo nos portos (08:43)
Quinta-Feira, 02/07
Suínos: cotações encerram junho em alta (09:35)
Boi: vantagem da carne sobre boi se reduz em junho (09:30)
Milho fecha 1º dia do mês subindo no mercado brasileiro (07:37)
Apesar de safra recorde de soja, país deve fechar ano com menor estoque da história (07:27)
Soja: Brasil fecha semestre com embarques de mais de 63 mi de t, 43% a mais na comparação anual (07:19)
Quarta-Feira, 01/07
Plano Safra 2020/2021 entra em vigor nesta 4ª feira (09:52)
Frigoríficos: Paim quer anular portarias com medidas de prevenção que ele considera ineficazes (09:45)
Surpresa no relatório de área plantada eleva preços de soja e milho em Chicago (08:00)