Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Empresas

BRF e Marfrig: uma fusão que suscita muitas interrogações
São Paulo, SP, 06 de Junho de 2019 - A possível união entre BRF e Marfrig, que criaria a quarta maior companhia de carnes do mundo, pode ser um acerto estratégico no mercado de proteínas, mas, de acordo com fontes ouvidas pelo nos últimos dias, do lado financeiro ainda são muitas as incertezas.

"Há, sem dúvida, uma diversificação de risco [ao se trabalhar com carnes bovina, suína e de frango], já que nesse cenário o componente cíclico é eliminado", afirmou Antonio Barreto, analista de alimentos, bebidas e agronegócio do Itaú BBA, durante evento ontem em São Paulo. Segundo ele, esse "componente cíclico" é da natureza do negócio de ambas companhias. A Marfrig é uma empresa de carne bovina e a BRF de aves e suínos, e enquanto uma vive o ciclo de baixa de preços, a outra normalmente está em alta.

Na semana passada, as empresas anunciaram que estão em negociações para a fusão. Os conselhos de administração de ambas já aprovaram o negócio e já iniciaram as conversas oficiais para delinear o acordo de fusão, como já informou o Valor. No momento, as duas companhias já analisam inclusive movimentos de longo prazo, como uma eventual abertura de capital nos EUA, onde a Marfrig controla a National Beef.

Embora a fusão seja bem vista estrategicamente, os últimos resultados das companhias suscitam questionamentos. "No caso da Marfrig, por exemplo, vimos uma queima de caixa. E isso traz uma dúvida com relação à trajetória de endividamento da companhia", afirmou Barreto.

No primeiro trimestre do ano, o clima chuvoso no Brasil, que melhorou a qualidade dos pastos e levou os pecuaristas a segurarem as vendas de gado, pressionou os resultados da Marfrig. Associado a isso, contou Marco Spada, vice-presidente de finanças e de relações com investidores da empresa na divulgação dos resultados do período, os negócios no país também foram responsáveis por uma queima de caixa - a companhia teve fluxo de caixa negativo de R$ 1,4 bilhão.

Ontem, a Marfrig comunicou o encerramento das atividades no frigorífico de Paranaíba, em Mato Grosso do Sul, e creditou a medida a uma "decisão estratégica". A companhia não confirma, mas estima-se que a capacidade de abate da planta seja de 700 bovinos por dia.

A companhia havia retomado as atividades no frigorífico em 2017, aproveitando o momento de inversão do ciclo da pecuária, com maior oferta de bois prontos para o abate.

(Valor) (Kauanna Navarro e Marcela Caetano)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 07/07
Preços mais firmes para o farelo de soja (08:47)
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a utilização da tecnologia NIR para análises rápidas e eficientes na alimentação animal (08:02)
Segunda-Feira, 06/07
Hisex apresenta novo gestor da linhagem de poedeiras (17:33)
China suspende exportações de mais duas unidades brasileiras (09:47)
Terceirização em frigoríficos da Alemanha na berlinda (09:45)
Ovos/CEPEA: cotações encerram junho em queda (09:43)
Milho/CEPEA: movimento de alta continua, e indicador se aproxima dos R$50/sc (09:41)
Soja sobe forte nesta 2ª feira (08:28)
JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:28)
Saúde pública JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:25)
Sexta-Feira, 03/07
China absorve 10% de toda carne bovina produzida no Brasil (08:46)
Frangos, pintainhos e até ovos: caminhoneiro conta como carrega carga viva (08:44)
Inspeções na China devem atrasar fluxo nos portos (08:43)
Quinta-Feira, 02/07
Suínos: cotações encerram junho em alta (09:35)
Boi: vantagem da carne sobre boi se reduz em junho (09:30)
Milho fecha 1º dia do mês subindo no mercado brasileiro (07:37)
Apesar de safra recorde de soja, país deve fechar ano com menor estoque da história (07:27)
Soja: Brasil fecha semestre com embarques de mais de 63 mi de t, 43% a mais na comparação anual (07:19)
Quarta-Feira, 01/07
Plano Safra 2020/2021 entra em vigor nesta 4ª feira (09:52)
Frigoríficos: Paim quer anular portarias com medidas de prevenção que ele considera ineficazes (09:45)
Surpresa no relatório de área plantada eleva preços de soja e milho em Chicago (08:00)