Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Matérias-Primas

Milho se recupera durante a 4ª feira e registra 8º dia seguido de cotações em alta na Bolsa de Chicago
Campinas, SP, 23 de Maio de 2019 - Os preços internacionais do milho futuro fecharam a quarta-feira (22) no campo positivo, mas próximos da estabilidade na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram ganhos entre 0,25 e 2,75 pontos.

O vencimento julho/19 foi cotado à US$ 3,94, o setembro/19 valeu US$ 4,03 e o dezembro/19 foi negociado por US$ 4,12.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho aumentaram os ganhos fracionários na quarta-feira, uma vez que os comerciantes tentaram equilibrar a obtenção de lucros com preocupações sobre atrasos de plantio.

“A última corrida de milho quase ficou sem gás na quarta-feira, mas conseguiu terminar a sessão um pouco mais alta. Os preços agora já somam oito sessões seguidas de valorizações”, aponta Potter.

Antes do relatório de exportação do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de quinta-feira, os analistas ofereceram uma série de suposições, esperando que a agência anunciasse vendas de milho entre 9,8 e 41,3 milhões de bushels (entre 248.933 e 1,049 milhões de toneladas) para a semana encerrada em 16 de maio.

A produção norte-americana de etanol também está em alta pela terceira semana consecutiva, atingindo a média diária de 1,071 milhão de barris na semana encerrada em 17 de maio. Isso também marca a maior produção semanal desde agosto do ano passado. Os futuros de etanol de junho caíram quase 2% após o relatório semanal da EIA.

Mercado interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, as únicas praças que apresentaram desvalorização foram Castro/PR (1,52% e preço de R$ 32,50), Dourados/MS (3,33% e preço de R$ 29,00) e Tangará da Serra/MT (4,17% e preço de R$ 23,00).

As valorizações foram percebidas em Pato Branco/PR (1,81% e preço de R$ 28,20), Ubiratã/PR e Londrina/PR (1,92% e preço de R$ 26,50), Campinas/SP (2,75% e preço de R$ 36,94), Oeste da Bahia (3,57% e preço de R$ 29,00), Porto Paranaguá/PR (6,06% e preço de R$ 35,00) e São Gabriel do Oeste/MS (6,52% e preço de R$ 24,50).

A Radar Investimentos aponta que o mercado segue em compasso de espera. De um lado, as expectativas são de uma safrinha volumosa no país, com condições quase que perfeitas para as lavouras. De outro, o dólar e as incertezas do plantio dos Estados Unidos trouxeram estresse para as cotações.
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 07/07
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a utilização da tecnologia NIR para análises rápidas e eficientes na alimentação animal (08:02)
Segunda-Feira, 06/07
Hisex apresenta novo gestor da linhagem de poedeiras (17:33)
China suspende exportações de mais duas unidades brasileiras (09:47)
Terceirização em frigoríficos da Alemanha na berlinda (09:45)
Ovos/CEPEA: cotações encerram junho em queda (09:43)
Milho/CEPEA: movimento de alta continua, e indicador se aproxima dos R$50/sc (09:41)
Soja sobe forte nesta 2ª feira (08:28)
JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:28)
Saúde pública JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:25)
Sexta-Feira, 03/07
China absorve 10% de toda carne bovina produzida no Brasil (08:46)
Frangos, pintainhos e até ovos: caminhoneiro conta como carrega carga viva (08:44)
Inspeções na China devem atrasar fluxo nos portos (08:43)
Quinta-Feira, 02/07
Suínos: cotações encerram junho em alta (09:35)
Boi: vantagem da carne sobre boi se reduz em junho (09:30)
Milho fecha 1º dia do mês subindo no mercado brasileiro (07:37)
Apesar de safra recorde de soja, país deve fechar ano com menor estoque da história (07:27)
Soja: Brasil fecha semestre com embarques de mais de 63 mi de t, 43% a mais na comparação anual (07:19)
Quarta-Feira, 01/07
Plano Safra 2020/2021 entra em vigor nesta 4ª feira (09:52)
Frigoríficos: Paim quer anular portarias com medidas de prevenção que ele considera ineficazes (09:45)
Surpresa no relatório de área plantada eleva preços de soja e milho em Chicago (08:00)