Sexta-feira, 29 de Maio de 2020
Empresas

Lucro da JBS dobra no 1º trimestre e supera R$ 1 bilhão
São Paulo, SP, 14 de Maio de 2019 - Impulsionada pela valorização do dólar, a JBS reportou ontem um lucro líquido de R$ 1,092 bilhão no primeiro trimestre, mais que o dobro na comparação com o ganho de R$ 506,5 milhões registrado no mesmo intervalo do ano passado.

Como a maior parte das vendas da JBS é gerada nas operações internacionais ou nas exportações - o mercado brasileiro representa menos de 15% do faturamento), a receita líquida é favorecida pela apreciação da moeda americana.

O dólar médio do primeiro trimestre foi de R$ 3,77, valorização de 14% ante a média de R$ 3,24 do mesmo intervalo do ano passado. Nesse contexto, a receita líquida da JBS aumentou 11,5%, passando de R$ 39,8 bilhões a R$ 44,3 bilhões.

Na mesma base de comparação, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) cresceu 14,4%, para R$ 3,2 bilhões. A margem Ebitda da JBS aumentou 0,2 ponto percentual, atingindo 7,2%.

Em entrevista ao Valor, o CEO da JBS, Gilberto Tomazoni, destacou o processo de alongamento do perfil da dívida feito pela companhia nos últimos meses. Segundo ele, o prazo médio de vencimento das dívidas passou de 4,3 anos para 6 anos. Com isso, a JBS não tem necessidade de ir ao mercado de dívida até 2025, ressaltou. "Isso nos coloca em uma sólida posição financeira para o crescimento", afirmou Tomazoni.

Mas a renegociação das dívidas continua. No Brasil, a JBS negocia com bancos a extensão de prazos, redução de juros e a liberação de garantias de algo entre R$ 7,5 bilhões e R$ 8 bilhões em dívidas que vencem em 2021.

Na área operacional, o executivo reafirmou a confiança na capacidade da JBS de aproveitar a oportunidade aberta pelo surto de peste suína africana na China, que já vem influenciado as exportações brasileiras (ver matéria abaixo). Sem mencionar concorrentes, Tomazoni argumentou que a JBS detém o "único parque fabril verdadeiramente global", com presença nas Américas, Europa e Oceania.

Além das boas perspectivas para a China, o CEO da JBS avaliou que o ciclo de produção é positivo para a três proteínas (bovinos, frango e suínos) produzidos pela empresa.

Nos EUA, a oferta de gado e a demanda por carne bovina permanecem positivas, apesar das adversidades climáticas do início do ano, disse Tomazoni. No primeiro trimestre, o inverno rigoroso atrapalhou a entrega de bois, pressionando a rentabilidade das operações americanas de carne bovina (JBS USA Beef), o negócio mais importante da empresa brasileira. No primeiro trimestre, a margem Ebitda dessa unidade de negócio recuou 0,9 ponto percentual na comparação anual, para 5%.

Para os negócios de frangos e suínos (Seara, no Brasil, e Pilgrim's Pride, nos EUA), o cenário também é positivo, avaliou Tomazoni. Segundo ele, a queda dos preços dos grãos usados na ração animal (milho e soja, basicamente) beneficiará as duas.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 29/05
Quinta-Feira, 28/05
Por um país mais cooperativo, por Francisco Turra (10:17)
Milho começa a 5ª feira subindo na B3 e em Chicago (09:35)
Frigoríficos temem perder mercado após interdições por Covid-19 (09:30)
BRF busca manter oferta ajustada às curvas da demanda (09:19)
Frango Americano projeta crescimento de 30% com apoio do Governo do Tocantins (09:18)
Pandemia já afeta produção de carne bovina (09:15)
Pela primeira vez, produção global de carne de frango deve ser maior que a de proteína suína (09:11)
Aviagen Brasil mostra espírito solidário com doações no interior de São Paulo (09:04)
Soja caminha de lado em Chicago nesta 5ª feira (08:32)
Suínos: vendas aumentam e elevam preços em maio (08:15)
Boi Gordo: mercado externo aquecido e menor oferta interna sustentam preços (08:13)
Indústrias estão oferecendo mais pela arroba do boi gordo (08:10)
Milho cai no mercado físico e na B3 seguindo baixa do dólar (08:03)
Soja brasileira está US$0,10/bushel mais cara que a americana (08:00)
Quarta-Feira, 27/05
Sindirações lança guia de boas práticas na indústria de alimentação animal para o enfrentamento da Covid-19 (15:23)
Milho: 4ª feira começa com resultados em campo misto na B3 (09:29)
PIB agropecuário crescerá até 2,5%,diz Ipea (09:13)
Mais proteína na cesta básica (09:12)
Soja em Chicago dá continuidade às últimas altas e segue em campo positivo nesta 4ª feira (08:50)
Agroindústrias de SC doam R$ 35 milhões para o combate à pandemia (08:24)
Ministra destaca trabalho do Mapa para garantir abastecimento durante a pandemia (08:21)
Suínos: cotações começam a ceder, principalmente para animal vivo (08:12)
Milho cai no mercado físico e na B3 nesta 3ª feira (08:10)
Boi: vencimentos futuros finalizam a 3ª feira com leves baixas na B3 (08:08)
Boi Gordo registra pouca oferta de boiadas e sem progresso nas escalas de abate (08:06)
Mercado climático pode fazer soja em Chicago buscar os US$ 9,00/bushel (08:00)
USDA: plantios de soja e milho avançam bem nos EUA e ficam dentro das expectativas (07:55)
Senado aprova prorrogação de vencimento de dívidas rurais (07:51)
Operações de embarque de grãos em berço de Paranaguá param após caso de Covid-19 (07:49)
Terça-Feira, 26/05
ACAV reitera compromisso firmado com o governo de SC em busca de soluções adequadas ao Estado (10:17)
Maioria dos funcionários da BRF volta ao trabalho em SC (08:49)
Empresários preveem que oferta de produtos agrícolas será mantida (08:48)
Preços do milho andam de lado no mercado brasileiro (08:37)
Soja sobe em Chicago nesta 3ª feira, retomando negócios pós feriado nos EUA em campo positivo (08:36)
CNA e FEBRABAN discutem medidas estruturantes para o Agro (08:31)
Suíno: cotações mistas e altas mais discretas nesta segunda-feira (08:26)
Exportação de suínos deve ser recorde em maio; no caso das aves, preços vêm caindo (08:24)
Mais de 93% dos trabalhadores da BRF em Concórdia/SC voltam ao trabalho (08:18)
Em SP, antecipação do feriado deixou mercado do boi calmo (08:09)
Contratos futuros do boi finalizam a sessão desta 2ª feira sem grandes movimentações na B3 (08:07)
Média diária exportada de carne bovina in natura teve um aumento de 34,54% frente ao ano passado (08:06)
Milho se movimenta pouco no mercado físico brasileiro (08:05)
Soja: semana começa com foco do produtor nos prêmios diante da pressão do dólar e de Chicago (08:00)
Exportação de soja do Brasil alcança 12,2 mi t no mês e já supera maio de 2019 (07:50)
Segunda-Feira, 25/05
Frigoríficos intensificam medidas em defesa dos trabalhadores (15:48)
Poedeira 051 e destinação de animais mortos são temas da Embrapa Suínos e Aves na Agrotins (10:38)
Poedeira 051 e destinação de animais mortos são temas da Embrapa Suínos e Aves na Agrotins (10:36)
Indústrias da Proteína Animal debatem conjuntura e situação de frigoríficos no RS (10:06)
Milho: com diferentes condições de mercado, preços são distintos dentre as regiões (10:04)
Soja: desvalorização internacional e queda do dólar pressionam valores no BR (10:02)
Investidores ampliam a pressão sobre as companhias do segmento nos EUA (09:47)
Ajustes em frigoríficos vieram para ficar, afirma especialista (09:46)
Milho: vendedor está mais cauteloso com as variações do dólar (09:35)
Vendas de carne ficaram sustentadas pelo abate enxuto (09:34)
Novo webinar da Aviagen aborda nutrição de reprodutoras (09:21)
Milho inicia a semana com leves perdas na B3 (09:04)
Poder de compra do pecuarista frente ao milho caiu 18,1% na comparação anual (08:14)
Preço do suíno subiu nas granjas paulistas (08:12)
Suíno: mercado esfria e cotações ficam, na maioria, estáveis (07:40)
Milho fecha semana de forma lenta no mercado físico (07:38)
Boi Gordo: fim de safra sólido (07:36)
Aurora firma acordo nacional com o MPT para combater Covid-19 nos frigoríficos (07:02)
Empresa alimentícia de Arapongas desmente demissão em massa (07:00)
Milho: confira o que vai influenciar os preços nesta semana (02:57)