Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
Matérias-Primas

USDA vê oferta global de milho ainda mais confortável
São Paulo, SP, 10 de Abril de 2019 - Com a safra americana de 2018/19 já encerrada, as novas projeções de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) não trouxeram grandes surpresas ontem, confirmando um cenário mais confortável para a oferta de milho.

O USDA elevou em 6,2 milhões de toneladas a estimativa para a produção global de milho, para 1,107 bilhão de toneladas. O aumento reflete, principalmente, a maior produção calculada para o Brasil - cuja estimativa subiu em 1,5 milhão, para 96 milhões de toneladas - e a Argentina - estimada em 47 milhões de toneladas, 1 milhão de toneladas a mais do que previsto em março. Na Argentina, a colheita do cereal ainda engatinha, enquanto, no Brasil, a safra de inverno acabou de ser semeada.



A perspectiva para o consumo global de milho permaneceu praticamente estável, em 1,1 bilhão de toneladas, e a estimativa para os estoques finais aumentou 5,5 milhões, a 314 milhões de toneladas. A relação entre estoques e consumo de milho está estimada em 27,7% ao fim de 2018/19. Na safra 2017/18, a relação estava em 31,3%.

Embora a relação entre estoque e consumo de milho no mundo esteja caindo, resultado de consumo maior, os números confirmaram o que já está sendo notado na bolsa de Chicago: a competição ficou mais acirrada para o exportador de milho americano. Os EUA, maior produtor mundial do cereal, têm enfrentado uma forte rivalidade com a produção vinda da América do Sul e da Ucrânia.

A estimativa combinada de exportação da Argentina, Brasil e Ucrânia representa 54% das exportações esperadas para a temporada 2018/19. Na safra 2017/18, a proporção desses países era de 44%.

E essa competição tem pressionado as cotações em Chicago. No ano, segundo o Valor Data, os contratos de segunda posição acumulam queda de 3,8%.

O USDA não trouxe alterações significativas para a soja. Analistas esperavam um aumento nos estoques americanos, mas o órgão ajustou para baixo a estimativa, que passou de 24,49 milhões para 24,37 milhões de toneladas. Para o Brasil, segundo maior produtor e maior exportador da oleaginosa, o USDA projetou safra de 117 milhões de toneladas, 500 mil toneladas a mais do que em março.

Para o trigo, o USDA surpreendeu com um corte de 2,94 milhões de toneladas na projeção para a demanda mundial. O número projetado para a temporada agora é de 739,15 milhões de toneladas. Segundo o USDA, a queda no consumo ocorrerá, principalmente, no Irã e na União Europeia, em virtude da queda das cotações do milho - matéria-prima concorrente na produção de ração animal.

As previsões de oferta e demanda de algodão nos EUA em 2018/19 também surpreenderam, mostrando menor consumo e estoques finais maiores em relação às estimativas de março. Com 674 mil toneladas estimadas, o consumo americano de algodão deve atingir o menor nível em muitas décadas. Os estoques finais agora estão previstos em 958 mil toneladas, aumento de 2,3% frente a projeção anterior.

(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 05/06
FRANGO/CEPEA: mesmo com exportação aquecida, preços internos registram queda em maio (09:41)
Soja: com demanda, Chicago acumula altas de mais de 3% na semana e tem máximas em dois meses (08:59)
Nova safra de grãos deve bater recorde (08:50)
Mais de 700 estabelecimentos já foram habilitados a exportar para 24 países (08:10)
Governo capixaba anuncia diferimento do ICMS nas importações de milho (08:01)
Setor privado identifica 17 novas barreiras comerciais entre março e maio, mostra CNI (07:59)
Milho cai no mercado físico, mas sobe nas bolsas nesta 5ª feira (07:55)
Soja: Brasil tem 5ª feira de preços em alta com ganhos no dólar (07:48)
Suíno: cotações subiram na primeira semana de junho (07:43)
Suíno: cotações mistas e com perspectiva de retomada lenta do mercado (07:42)
Boi gordo: mercado firme e sustentado (07:41)
Cotações do Boi Gordo registram novos ajustes de preços em São Paulo (07:40)
Quinta-Feira, 04/06
Milho: B3 abre a quinta-feira com poucas movimentações e de olho na colheita (10:19)
Suínos: demanda chinesa elevada faz com que exportações brasileira atinjam recorde (09:24)
Boi Gordo/CEPEA: média mensal da arroba é a terceira maior da série (09:22)
Soja opera estável na Bolsa de Chicago nesta 5ª feira (08:10)
ACAV Conecta aborda o agronegócio após a Covid-19 (06:50)
Justiça americana indicia ceo da Pilgrim's por suposta fixação de preço de frango (06:48)
Boi Gordo: transição safra – entressafra ficou para trás (06:37)
Suíno: cotações mistas marcaram a 4ª feira (06:35)
Milho termina a 4ª feira desvalorizado no Brasil (06:33)
Valorização do real fez soja brasileira perder competitividade frente a americana (06:30)
China cancela embarques de compras de produtos agrícolas dos EUA, afirma The Wall Street Journal (06:27)
Quarta-Feira, 03/06
Covid-19: empresa pode responder por contágio (09:31)
Consumo de frango no Brasil é três vezes maior do que em 1990 (09:30)
Rumos do consumo pós-crise ainda estão indefinidos, diz JBS (09:28)
Soja dá continuidade às altas na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira (08:32)
Asgav e Programa Ovos RS realizam em julho atividades de qualificação em formato virtual (08:27)
Suíno: preços estáveis ou com leves altas nesta terça-feira (08:22)
Vietnã habilita 4 plantas de aves e 1 de suínos para importar carne do Brasil (08:21)
Milho: mercado físico brasileiro se movimenta pouco nesta terça-feira (08:08)
Soja: produtor brasileiro só deve voltar às vendas internacionais no segundo semestre (08:05)
Embarques de soja do BR devem desacelerar a partir de julho, após recorde de volume até maio (08:00)
Terça-Feira, 02/06
JBS de Ipumirim volta às atividades: “outro ânimo para trabalhar”, diz produtor (09:10)
Soja: mercado em Chicago trabalha em campo positivo nesta 3ª feira (08:13)
ABPA afirma que o Brasil está pronto para exportar mais carnes para a China durante imbróglio com os EUA (07:39)
Embarques de carne suína batem recorde para um mês de maio (07:36)
Preço pago pelo quilo do suíno vivo no RS inicia junho estável (07:35)
Suíno: cotações estáveis ou em alta neste início de junho (07:34)
Boi: escalas de abate recuam e dão fortes indicações que a oferta de animais será menor neste final de safra (07:32)
Milho começa junho se desvalorizando no Brasil (07:29)
USDA: plantio do milho chega a 93% e 60% da soja está em boas/excelentes condições (07:27)
Soja em Chicago fica estável (07:24)
Segunda-Feira, 01/06
Governo de SC auxilia em processo de reabertura do frigorífico de Ipumirim (15:57)
FACTA lança podcast sobre avicultura (15:09)
Perspectivas dos preços de insumos e ração animal para aves e suínos para 2020 (13:45)
Webinar da Aviagen explora os meios para alcançar uma saúde intestinal ideal (09:51)
Milho começa a semana com leves quedas na B3 e em Chicago (09:46)
Soja inicia junho com estabilidade em Chicago (08:42)
China pede a estatais que parem compras de soja e carne suína dos EUA, dizem fontes (08:30)
Ministério da Agricultura recomenda que sacrifício de animais seja última opção (08:27)
‘É melhor abater no concorrente do que jogar a carne fora’ ,diz especialista em saúde animal (08:26)
Cooperativas do Sul discutem impactos da pandemia na indústria frigorífica (08:08)
Testes de salmonella acontecem antes, durante e após o abate dos frangos (08:07)
MAPA divulga consórcios municipais selecionados para participar do projeto de ampliação do mercado de Produtos de Origem Animal (08:02)
JBS tem aval da Justiça do trabalho para reabrir planta de Ipumirim, SC (08:00)
Em consulta pública, MAPA colhe sugestões sobre atos normativos da Defesa Agropecuária (07:58)
Ovos/CEPEA: menor demanda no fim de maio acentua desvalorização (07:43)
Milho: colheita da segunda safra avança e enfraquece preços (07:42)
Suíno: cotações ficam estáveis no fechamento de maio (07:33)
Embora calmo, o mercado do boi está firme (07:31)
BRF diz que contraprova de Covid-19 em fábricas em SC e RS confirma número baixo de positivos (07:19)