Quinta-feira, 28 de Maio de 2020
Bem-estar Animal

No Paraná, granja de postura investe R$ 50 mi na produção cage-free
Cascavel, 28 de Março de 2019 - O Paraná possui uma base sólida de produção de ovos no sistema convencional, como acontece em cidades do Norte do Estado. Em alguns supermercados da região, entretanto, já é possível ter acesso a ovos cage-free, basicamente oriundos de outros estados, como Minas Gerais. Mas é de olho nesse mercado que uma granja de Cascavel iniciou recentemente a produção de ovos de galinhas livres, já com certificação, e apresenta sua estrutura impressionante nesta edição da Folha Rural. Projeto é pioneiro no Estado.

Renato Festugato, dirigente da Granja Refem, explica que o projeto iniciou sua implementação no ano passado. No mesmo local, a granja trabalhava anteriormente – em parceria com outra empresa – na produção de pintainhos, ovos férteis que se tornavam frangos de mesa. “Com a crise do setor avícola, tivemos uma dificuldade financeira com o parceiro e o projeto estacionou. Então, buscamos uma alternativa para readequar os aviários. Líamos muito sobre o bem-estar animal, agricultura orgânica e já tínhamos uma tendência de que seguir nessa linha seria interessante”, explica o empresário do agro.

A granja impressiona por estar instalada numa área de 1,2 mil hectares, com 700 hectares de área reflorestada. A operação com as galinhas foi iniciada recentemente, e, nesta primeira fase do projeto, são 230 mil aves. Em outubro, o número salta para 630 mil aves. A postura das galinhas iniciou há cerca de 30 dias e – em mais 15 dias – a produção atingirá 220 mil ovos por dia. O investimento total para readequar os galpões para a realidade do cage-free foi de R$ 50 milhões.

O valor também inclui um entreposto com uma classificadora de ovos bem moderna e uma fábrica de ração, já que a produção não admite alimentos com antibióticos, o que é bem comum no setor. O empreendimento gera 140 postos de trabalho e os funcionários moram numa vila dentro da propriedade. “Hoje ainda estamos padronizando os ovos e muitas galinhas ainda não entraram em postura. Estamos comercializando nossos ovos com fornecedores, mas, em mais 15 dias, chegaremos ao consumidor final com a nossa marca, a Top Eggs.”

Para atender todas as normas da produção e certificação com as galinhas livres, a granja conta com três veterinários e dois técnicos com extensa bagagem no mercado. “Muitos já tinham experiência em ovos férteis, que é bem complexo. A própria certificadora também nos instrui, ou seja, temos uma cartilha a ser seguida.”

Festugato não nega que ficou com um pouco de receio de ingressar nesse mercado, que ainda tem uma base pequena comparada ao consumo do ovo produzido no sistema convencional. “Por outro lado, apostamos no início da postura na época da quaresma pensando numa boa absorção, demanda maior devido ao reinício das aulas, merenda escolar e chegada do novo governo. Acabou dando certo. É uma grata surpresa porque a procura está muito grande.”

Para a sequência do trabalho, a expectativa é a melhor possível, até pela característica da proteína. “Estamos muito confiantes porque se trata de uma proteína de baixo valor. Com as pessoas voltando a ter um melhor ganho mensal, pode absorver esse ovo”. Além do mercado interno, com fornecedores e grandes redes de supermercado, a expectativa é que a granja Refem também chegue ao mercado internacional.
(Victor Lopes) (Folha de Londrina)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 28/05
Quarta-Feira, 27/05
Sindirações lança guia de boas práticas na indústria de alimentação animal para o enfrentamento da Covid-19 (15:23)
Milho: 4ª feira começa com resultados em campo misto na B3 (09:29)
PIB agropecuário crescerá até 2,5%,diz Ipea (09:13)
Mais proteína na cesta básica (09:12)
Soja em Chicago dá continuidade às últimas altas e segue em campo positivo nesta 4ª feira (08:50)
Agroindústrias de SC doam R$ 35 milhões para o combate à pandemia (08:24)
Ministra destaca trabalho do Mapa para garantir abastecimento durante a pandemia (08:21)
Suínos: cotações começam a ceder, principalmente para animal vivo (08:12)
Milho cai no mercado físico e na B3 nesta 3ª feira (08:10)
Boi: vencimentos futuros finalizam a 3ª feira com leves baixas na B3 (08:08)
Boi Gordo registra pouca oferta de boiadas e sem progresso nas escalas de abate (08:06)
Mercado climático pode fazer soja em Chicago buscar os US$ 9,00/bushel (08:00)
USDA: plantios de soja e milho avançam bem nos EUA e ficam dentro das expectativas (07:55)
Senado aprova prorrogação de vencimento de dívidas rurais (07:51)
Operações de embarque de grãos em berço de Paranaguá param após caso de Covid-19 (07:49)
Terça-Feira, 26/05
ACAV reitera compromisso firmado com o governo de SC em busca de soluções adequadas ao Estado (10:17)
Maioria dos funcionários da BRF volta ao trabalho em SC (08:49)
Empresários preveem que oferta de produtos agrícolas será mantida (08:48)
Preços do milho andam de lado no mercado brasileiro (08:37)
Soja sobe em Chicago nesta 3ª feira, retomando negócios pós feriado nos EUA em campo positivo (08:36)
CNA e FEBRABAN discutem medidas estruturantes para o Agro (08:31)
Suíno: cotações mistas e altas mais discretas nesta segunda-feira (08:26)
Exportação de suínos deve ser recorde em maio; no caso das aves, preços vêm caindo (08:24)
Mais de 93% dos trabalhadores da BRF em Concórdia/SC voltam ao trabalho (08:18)
Em SP, antecipação do feriado deixou mercado do boi calmo (08:09)
Contratos futuros do boi finalizam a sessão desta 2ª feira sem grandes movimentações na B3 (08:07)
Média diária exportada de carne bovina in natura teve um aumento de 34,54% frente ao ano passado (08:06)
Milho se movimenta pouco no mercado físico brasileiro (08:05)
Soja: semana começa com foco do produtor nos prêmios diante da pressão do dólar e de Chicago (08:00)
Exportação de soja do Brasil alcança 12,2 mi t no mês e já supera maio de 2019 (07:50)
Segunda-Feira, 25/05
Frigoríficos intensificam medidas em defesa dos trabalhadores (15:48)
Poedeira 051 e destinação de animais mortos são temas da Embrapa Suínos e Aves na Agrotins (10:38)
Poedeira 051 e destinação de animais mortos são temas da Embrapa Suínos e Aves na Agrotins (10:36)
Indústrias da Proteína Animal debatem conjuntura e situação de frigoríficos no RS (10:06)
Milho: com diferentes condições de mercado, preços são distintos dentre as regiões (10:04)
Soja: desvalorização internacional e queda do dólar pressionam valores no BR (10:02)
Investidores ampliam a pressão sobre as companhias do segmento nos EUA (09:47)
Ajustes em frigoríficos vieram para ficar, afirma especialista (09:46)
Milho: vendedor está mais cauteloso com as variações do dólar (09:35)
Vendas de carne ficaram sustentadas pelo abate enxuto (09:34)
Novo webinar da Aviagen aborda nutrição de reprodutoras (09:21)
Milho inicia a semana com leves perdas na B3 (09:04)
Poder de compra do pecuarista frente ao milho caiu 18,1% na comparação anual (08:14)
Preço do suíno subiu nas granjas paulistas (08:12)
Suíno: mercado esfria e cotações ficam, na maioria, estáveis (07:40)
Milho fecha semana de forma lenta no mercado físico (07:38)
Boi Gordo: fim de safra sólido (07:36)
Aurora firma acordo nacional com o MPT para combater Covid-19 nos frigoríficos (07:02)
Empresa alimentícia de Arapongas desmente demissão em massa (07:00)
Milho: confira o que vai influenciar os preços nesta semana (02:57)
Sexta-Feira, 22/05
Brasil alcança abertura de 60 mercados para produtos agropecuários (16:13)
Vetanco investe em tecnologia de precisão na análise da qualidade do ovo (11:10)
Decreto vai regular normas a frigoríficos para evitar fechamentos e abates sanitários, diz ABPA (10:00)
Vibra anuncia investimentos de R$ 500 milhões em Soledade, RS (09:59)
SC seguirá protocolo nacional de orientações a frigoríficos frente à Covid-19 (09:54)
Frango/CEPEA:com exportação firme e procura elevada também no Brasil, preço interno sobe (09:11)
Preços da carne bovina recuaram no varejo (09:07)
Soja em Chicago dá continuidade às baixas, mas de forma mais limitada nesta 6ª feira (09:00)
Segunda quinzena do mês trouxe aumentos mais tímidos ao preço do suíno no mercado independente (07:39)
Export/CEPEA: exportação do agro cresce 6% no 1º quadrimestre de 2020 (07:36)
Suinocultor paulista já tem R$ 70 de prejuízo por cabeça com alta nos custos de produção e queda da demanda interna (07:35)
Suíno: animal vivo segue com valorizações (07:34)
Estoques de carne dos EUA recuam com frigoríficos fechados por coronavírus (07:31)
JBS retoma abates em unidade de Passo Fundo após surto de coronavírus (07:30)
Mercado do boi está atento ao consumo doméstico (07:29)
China paga menos pela carne bovina brasileira (07:28)
Milho: compradores e vendedores seguem afastados do mercado no Brasil nesta 5ªfeira (07:26)
Soja: Chicago fecha com mais de 1% de queda (07:25)