Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
Análise

Ritmo das exportações acelera, mas soja deve impedir que ano supere 2018

Vendas externas batem recorde em fevereiro puxadas por algodão, etanol, milho e carnes.
São Paulo, SP, 26 de Fevereiro de 2019 - As exportações do agronegócio aceleraram o ritmo neste mês. Após terem
atingido US$ 102 bilhões no ano passado, as vendas externas começam 2019
também começa com incremento.

Fevereiro nem terminou e as exportações de soja já bateram o recorde para o mês. Já são 4,5 milhões de toneladas embarcadas, podendo atingir 5,6
milhões até o final do mês.

Os dados desta segunda-feira (25) da Secex (Secretaria de Comércio
Exterior) indicam também boa evolução das exportações de carnes, café,
milho, algodão e etanol, sempre em comparação com as de igual período do
ano passado.

Dois dos destaques, o algodão e o etanol, têm alta de 55% e de 93%,
respectivamente, no volume exportado, segundo dados da Secex (Secretaria
de Comércio exterior).
O início de ano acelerado não quer dizer que 2019 deverá superar as receitas de 2018.

Um dos principais motivos é a soja, o carro-chefe das exportações. As vendas externas da oleaginosa estão aceleradas porque a safra foi antecipada e a guerra comercial entre EUA e China continua —apesar de Donald Trump ter anunciado uma trégua no domingo (24).

Após ter atingido US$ 41 bilhões de receitas no ano passado, o complexo soja deverá ter uma redução próxima de US$ 10 bilhões neste ano.
A perda é tão grande que não deverá ser compensada por outros produtos,
mesmo com a recuperação de vários deles.

Uma das recuperações fica por conta do açúcar. Após ter exportações 31%
menores na safra 2018/19, a commodity poderá ter uma evolução 10% maior
na 2019/20.

O etanol volta a ter saldo líquido para o Brasil. Mas as exportações médias da safra crescerão 4%, abaixo do ritmo dos últimos dois meses.
Milho e algodão também vão dar sustentação às exportações do
agronegócio, principalmente devido à maior produção interna.

O algodão estará, ainda, no foco dos chineses, que mantêm restrições de
negociações com os americanos. Outro destaque são as proteínas “in natura”. A exportação de carne bovina deverá atingir 124 mil toneladas, 27% mais do que as de fevereiro de 2018.

As carnes suína e de frango acompanham a bovina e têm bom desempenho.
O ritmo das exportações de 2019 vai depender muito do câmbio. Um
empecilho serão os preços internacionais: a tendência é de queda. A soja,
mesmo com recuo de produção no Brasil, não reage devido aos estoques dos
EUA.
(Folha de São Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 05/08
Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos (08:22)
Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho (08:19)
Milho sobe no físico nesta 3ªfeira, mas sente pressão de Chicago na B3 (08:07)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 10% nesta 3ª feira (08:00)
Terça-Feira, 04/08
Podcast FACTA: novo episódio será sobre a microbiota intestinal (16:16)
Ovotrack lança novo site (10:22)
Armazenamento de ovos é tema do segundo episódio do podcast da Ceva para o setor avícola (08:35)
Milho: retração vendedora sustenta cotações no Brasil (08:05)
Soja 2020/21: ARC Mercosul estima aumento de 3,81% na área e 65% da safra já comercializada (08:00)
Segunda-Feira, 03/08
Aurora Alimentos é a marca que mais conquistou consumidores em 2020 (08:17)
OVOS/CEPEA: preços recuam pelo 3º mês consecutivo (08:15)
MILHO/CEPEA: preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita (08:14)
Milho segue se valorizando no Brasil (08:11)
Soja registra novos recordes de preço (08:00)
Coopeavi realiza primeira assembleia em ambiente virtual e renova Conselho Fiscal (07:48)
Sexta-Feira, 31/07
Preço do milho segue valorizado no mercado físico (08:06)
Soja tem altas pontuais no Brasil e acompanha leve avanço em Chicago (08:04)
Quinta-Feira, 30/07
ABPA apresenta cuidados tomados nos frigoríficos durante a Pandemia (15:16)
Doença de Gumboro: do surto a 100% de imunização (08:26)
Produção de soja no Brasil pode crescer 6% em 2020/21 (08:05)
Prêmios da soja têm novo dia de altas e sobem mais de 3% (08:00)