Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
Matérias-Primas

Baixa disponibilidade de milho impulsiona cotações
Campinas, SP, 14 de Março de 2018 - A sessão desta terça-feira (13) foi de forte alta aos preços do milho na BM&F Bovespa. Os principais contratos da commodity subiram entre 3,11% e 4,93%. O novembro/18 bateu limite de alta, com ganho de mais de 5%, e finalizou o dia a R$ 37,55 a saca. Já o março/18 rompeu o patamar de R$ 43,00 a saca, negociado a R$ 43,10 a saca.

O consultor de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, explica que baixa disponibilidade do produto em São Paulo tem alavancado as cotações. "E a demanda no estado é grande e as empresas não trabalham com grandes estoques. Com isso, o cenário tem dado fôlego para as especulações", explica.

A formação desse cenário tem preocupado a ponta da cadeia, as indústrias de proteína animal. Inclusive, o consultor ressalta que já há especulações no mercado sobre compras de milho do Paraguai e da Argentina.

Enquanto isso, a colheita da safra de verão, que também foi plantada com atraso, está próxima de 30% a 35%. "Temos até esse momento, cerca de 8 milhões de toneladas colhidas, de uma safra estimada em 24 milhões a 25 milhões de toneladas", afirma Brandalizze.

A expectativa é que o clima contribua e os agricultores consigam evoluir com a colheita da soja e, consequentemente, com a do milho. Esse é o caso de Minas Gerais, segundo maior produtor do grão na safra de verão.

Ainda assim, o consultor alerta que o movimento altista no milho não tem um fôlego tão grande. "Com o andamento da colheita da safra de verão, poderemos ter uma limitação nas valorizações. Então, os agricultores devem aproveitar os momentos de alta", orienta Brandalizze.

Em relação à safrinha, o consultor ainda reforça que, apesar de parte da safra ser cultivada fora da janela o clima tem contribuído até o momento e as previsões ainda indicam chuvas nos próximos meses, especialmente no Centro-Oeste. As atenções ainda seguem voltadas para o Paraná diante da possibilidade de geadas.

"Em Mato Grosso, o plantio já está completo em 95% da área esperada. Em Mato Grosso do Sul e Goiás, o índice está próximo de 90%. E, se tivermos uma boa safrinha, os preços podem se acomodar em patamares mais baixos do que os atuais praticados. Ainda assim, acima do registrado no ano passado", pondera Brandalizze.

No mercado doméstico, a saca do milho subiu 6,90% e terminou o dia a R$ 31,00 em Campo Grande (MS). Já em Pato Branco (PR), a alta foi de 6,62%, com a saca a R$ 32,20. Na região de Assis (SP), o preço registrou ganho de 5,26%, com a saca a R$ 34,00. Em Campinas (SP), a alta foi 1,17%, com a saca a R$ 43,10 a saca. No Porto de Paranaguá, o dia foi de estabilidade, com a saca futura a R$ 33,50.

Dólar

A moeda norte-americana encerrou o dia a R$ 3,2621 na venda, com alta de 0,13%. Conforme dados reportados pela Reuters o câmbio reverteu a movimentação negativa registrada ao longo do dia com o fluxo de saída.

"E a demissão do secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, ofuscando a percepção de que os juros norte-americanos não vão subir mais do que o esperado após dados de inflação comportada", informou a agência.

Bolsa de Chicago

Pelo segundo dia consecutivo, os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) encerraram em campo positivo. Nesta terça-feira (13), as principais posições da commodity finalizaram o pregão com ganhos entre 1,00 e 1,75 pontos. O contrato março/18 era cotado a US$ 3,85 por bushel e o maio/18 a US$ 3,91 por bushel.

Conforme informações reportadas pela Reuters internacional, as cotações foram impulsionadas pela forte demanda pelo produto americano. "As cotações subiram e tocaram os patamares mais altos em sete meses, sustentadas pela forte demanda de exportação em meio às condições de seca no terceiro maior exportador, a Argentina", destacou a agência.

Em meio às perdas consolidadas na produção argentina, os compradores mundiais estavam se abastecendo no curto prazo nos Estados Unidos. Somente na última semana, os importadores sul-coreanos adquiriram mais de 1 milhão de toneladas de milho.

Ainda nesta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reportou duas vendas de milho, somando 362,552 mil toneladas do grão. Hoje, o departamento informou a venda de 210 mil toneladas de milho para a Coreia do Sul. Porém, a venda é de origem opcional, que pode ser dos EUA ou de outro país exportador. O volume negociado deverá ser entregue ao longo da campanha 2017/18.
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 03/04
Quinta-Feira, 02/04
Preço do suíno independente baixa até para patamares vistos há dez meses (16:24)
Boi: demanda da China e ciclo pecuário de alta nos preços vão minimizar impactos de uma retração da demanda interna por carnes (16:13)
Petróleo dispara e puxa commodities agrícolas (16:07)
Adiamento de tributos ajudará agroindústria na crise, diz CNA (15:44)
Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19 (15:14)
Aurora manterá quadro de empregados e não cogita redução de sua força de trabalho (14:50)
Faturamento com exportação de carne suína em março é 61% maior do que em março/19 (13:24)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro do esperado (13:22)
Milho: B3 segue caindo na maioria dos contratos e Chicago contabiliza ganhos (13:21)
Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19 (11:37)
As empresas têm que agir com responsabilidade’, defende BRF (09:30)
Supermercado pode viver ‘nova onda’ de consumo (09:26)
Justiça do DF desobriga empresa de apresentar CND em financiamento (09:25)
Milho abre a 5ª feira subindo em Chicago e em campo misto na B3 (09:04)
Suínos: preços do vivo e da carne caem com mais força no final de março (09:03)
Boi: mercado pecuário apresenta instabilidade no correr de março (09:00)
Marca Tecnologia Embrapa chega às gôndolas dos supermercados em ovos da Korin (08:39)
Cobb-Vantress substitui frota para entregar mais eficiência produtiva e ambiental (08:19)
Mercado do boi está em alerta (08:02)
Milho no Brasil segue em alta enquanto safrinha se desenvolveu bem com chuvas de março (08:00)
Após queda intensa, soja tem estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (07:58)
Quarta-Feira, 01/04
Suíno: preços seguem com queda acentuada quebra na demanda (16:41)
Frigoríficos reduzem ritmo de compras após alongarem escalas (16:16)
Exportações brasileiras de milho em março ficam menores do que mesmo mês de 2019, mas sobem em relação a fevereiro (16:09)
Para incentivar a população a não sair de casa, Grupo Mantiqueira expande operação de delivery com clube de assinantes do ovo (15:58)
Soja cai mais de 2% em Chicago, em dia de perdas generalizadas (14:42)
Setores de aves e suínos do ES colocam em prática as orientações de prevenção e se organizam para continuar o abastecimento de alimentos (14:39)
Milho: alta do dólar pressiona cotações na B3 e Chicago aprofunda perdas (13:12)
BRF anuncia doações de R$ 50 milhões (13:09)
Com falta de ovos nos EUA, venda de pintos aumentam (12:25)
Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea (11:29)
BRF contrata R$ 1,4 bi em linhas de crédito para reforçar liquidez (10:14)
Milho abre o mês ainda em queda na Bolsa de Chicago e na B3 (10:12)
SIF garante a manutenção do abastecimento de produtos de origem animal (09:15)
Governo estuda pacote de R$ 2 bi para o campo (09:14)
Frigoríficos dos EUA oferecem bônus contra absenteísmo (09:12)
Embrapa faz parceria com Korin e se aproxima do consumidor (09:11)
Soja: mercado começa abril com perdas de mais de 1% em Chicago (08:15)
Milho: poucas movimentações no Brasil e queda de 7% em março em Chicago (08:11)
Mapa institui comitê de crise para monitorar impactos do Coronavírus (08:10)
Suíno: principais praças produtoras do vivo têm desvalorização (08:06)
Boi gordo encerra março com preços firmes (08:00)
Habilitação de novos frigoríficos pela China está paralisada (07:28)
Terça-Feira, 31/03
PIB AGRO SP/CEPEA: Pecuária eleva PIB agro de SP em 1,5% em 2019 (13:47)
Cobb debateu mudanças de manejo para o frango moderno com jovens avicultores (13:39)
Milho segue caindo em Chicago, mas sobe 2% na B3 (12:27)
Início da crise puxa o preço dos alimentos, mas alta é passageira (09:50)
Milho abre a 3ª feira em Chicago na espera dos relatórios do USDA (09:19)
Mapa alerta para medidas de prevenção ao coronavírus no campo (08:18)
Brasil caminha para recorde na 2ª safra de milho (08:13)
Milho: preços sustentados no Brasil mesmo com recorde histórico (08:12)
Quarentena reduz drasticamente demanda por suínos nas principais praças produtoras (08:05)
Soja tem leves baixas nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Retomada de preço no mercado do boi gordo (07:45)
Segunda-Feira, 30/03
Suíno: mercado continua com preços caindo nesta segunda-feira (16:27)
Presidente da ACSURS frisa cuidados com a saúde para que produção suinícola possa continuar (16:01)
Soja & Milho: negócios começam semana no BR com um pouco mais de calma (15:59)
Demanda externa por carne brasileira melhora com retorno da China às compras (15:58)
Milho amplia perdas em Chicago, mas sobe na B3 (12:14)
Aviagen e Bachoco se unem para realizar seminário no México (10:06)
Varejo acusa indústria de altas abusivas (09:32)
CNA divulga boletim sobre os impactos do Coronavírus (08:20)
Ministério da Infraestrutura atende demandas encaminhadas pela CNA (08:18)
Ovos: demanda de atacados e varejos aumenta (08:11)
Milho: vendedor retraído mantém preços em alta (08:05)
Soja começa 2ª feira com altas em Chicago (08:01)
Soja: demanda, altas externa e do dólar e logística restrita na Argentina elevam preços (08:00)
Soja tem semana de preços históricos e portos com capacidade esgotada no Brasil até maio (07:50)
Mercado do boi está em recuperação (07:45)
BRF mantém embarques ao exterior (07:26)
Tyson Foods doa US$ 13 mi a comunidades no entorno de suas unidades nos EUA (07:25)
Em Goiás, FCO Rural tem R$ 17 milhões para investimentos na produção de alimentos (07:25)
Impactos da pandemia ainda não são graves nas exportações do agronegócio, diz CNA (07:24)
Devido à estiagem, município gaúcho de Westfália decreta situação de emergência (07:23)