Segunda-feira, 06 de Julho de 2020
Empresas

Alltech quer fechar aquisição no Brasil em 2016
São Paulo, SP, 27 de Julho de 2016 - O intenso movimento de aquisições deflagrado no início da década pela americana Alltech chegará ao Brasil. Mais conhecida por sua atuação na produção de aditivos à base de leveduras que são usados na ração, a empresa quer avançar na produção de premixes (pré-mistura de minerais e vitaminas) ou mesmo de rações prontas, em linha com o que já vem fazendo em outras regiões do mundo.

A expectativa da Alltech é fechar uma aquisição no Brasil ainda neste ano, afirmou o diretor-geral da empresa para o país, Clodys Menacho. "Estamos confortáveis com o crescimento orgânico no Brasil, mas precisamos acompanhar o crescimento da companhia [no mundo]", enfatizou ele.

Turbinada por aquisições, a Alltech mais do que dobrou de tamanho nos últimos anos. Apenas em 2015, o faturamento mundial aumentou 180%, alcançando US$ 2,2 bilhões. Enquanto isso, cresceu a taxas próximas de 10% no Brasil, tem três unidades, em São Pedro do Ivaí (PR), Araucária (PR) e Indaiatuba (SP).


Menacho:"Precisamos acompanhar o crescimento da companhia no mundo".

"Temos que ver como vamos crescer 100%, 200%", reforçou Menacho. Em 2016, a expectativa da Alltech, que também atua no fornecimento de insumos agrícolas, é faturar R$ 400 milhões no Brasil. Se confirmado, seria um crescimento de 8,7% ante os R$ 368 milhões registrados pela empresa em 2015. Carro-chefe da Alltech, o negócio de nutrição animal representa cerca de 80% do faturamento no país.

Ao prospectar empresas de premixes, a Alltech busca avançar um passo na cadeia de ração animal. Como os aditivos da empresa são misturados no premix, a companhia é dependente das chamadas "premixeiras". "Nossas soluções dependem de outros para serem utilizadas. Por isso, nos obrigam a entrar [nesse setor]". Foi exatamente essa a decisão da Alltech nos EUA. A Ridley, maior entre as 15 aquisições feitas pela empresa desde 2012, é exatamente do setor de premixes.

Além da necessidade de avançar nessa cadeia, Menacho argumentou que os aditivos são alvos de cortes em momentos de dificuldades econômicas. "Em época de crise, o primeiro produto que cortam são os aditivos", afirmou.

Embora tenha destacado a necessidade de ter uma produção de premixes (na prática, deter a estrutura para misturar os microingredientes), o executivo não descartou comprar empresas de ração pronta no país. Mas fez uma ressalva. "Quando se tem uma empresa de ração, o capital de giro é muito alto", afirmou, citando os desafios de uma empresa de ração em momentos como o atual, com milho e soja mais caros.

Enquanto busca aquisições, a Alltech também mantém as pesquisas para a utilização de algas na ração de aves e suínos.

Multiplicadas em um laboratório da companhia nos EUA, as microalgas são vendidas no Brasil para atender o mercado de ração de peixes e animais de companhia (cães e gatos). O produto, que contém Ômega 3, é um substituto da farinha e do óleo de peixe.

Se viabilizar a equação de custo e benefício para incluir o produto na ração de aves e suínos, a Alltech terá escala para implementar um laboratório para multiplicar as algas no Brasil. A fábrica da empresa em São Pedro do Ivaí seria adaptada para a produção das algas, disse.
(Valor Econômico) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 06/07
Hisex apresenta novo gestor da linhagem de poedeiras (17:33)
China suspende exportações de mais duas unidades brasileiras (09:47)
Terceirização em frigoríficos da Alemanha na berlinda (09:45)
Ovos/CEPEA: cotações encerram junho em queda (09:43)
Milho/CEPEA: movimento de alta continua, e indicador se aproxima dos R$50/sc (09:41)
Soja sobe forte nesta 2ª feira (08:28)
JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:28)
Saúde pública JBS recebe aval para reabrir unidade de Passo Fundo após surto de Covid-19 (07:25)
Sexta-Feira, 03/07
China absorve 10% de toda carne bovina produzida no Brasil (08:46)
Frangos, pintainhos e até ovos: caminhoneiro conta como carrega carga viva (08:44)
Inspeções na China devem atrasar fluxo nos portos (08:43)
Quinta-Feira, 02/07
Suínos: cotações encerram junho em alta (09:35)
Boi: vantagem da carne sobre boi se reduz em junho (09:30)
Milho fecha 1º dia do mês subindo no mercado brasileiro (07:37)
Apesar de safra recorde de soja, país deve fechar ano com menor estoque da história (07:27)
Soja: Brasil fecha semestre com embarques de mais de 63 mi de t, 43% a mais na comparação anual (07:19)
Quarta-Feira, 01/07
Plano Safra 2020/2021 entra em vigor nesta 4ª feira (09:52)
Frigoríficos: Paim quer anular portarias com medidas de prevenção que ele considera ineficazes (09:45)
Surpresa no relatório de área plantada eleva preços de soja e milho em Chicago (08:00)
Terça-Feira, 30/06
Mato Grosso já colheu 31,56% da segunda safra de milho; preços caíram 17% no mês (09:18)
O uso de imunomoduladores e betaglucanos nas aves é tema do novo episódio do podcast da FACTA (09:01)
China suspende importações de carne de três frigoríficos brasileiros devido à Covid-19 (06:26)