.: Destaque:

Bem-estar de poedeiras: sistema de criação e enriquecimento ambiental

O sistema de criação em baterias de gaiolas é amplamente empregado devido às inúmeras vantagens oferecidas ao produtor, como manejo facilitado, melhoria nas condições de higiene do animal e dos ovos, além do fácil controle da produção, das doenças e dos parasitas. Entretanto, este sistema de criação é criticado devido as questões relacionadas ao bem-estar das aves.

Nutrição
Autores

Cálcio orgânico: maior disponibilidade e absorção intestinal pelas aves

Verônica Lisboa Santos
Carlos Ronchi
Juliana Bueno da Silva
Fabiana Luiggi

Nutrição

Ovos como alimento funcional

Carla Araujo de Brito Sass
Adriano Gomes da Cruz
Erick Almeida Esmerino
Mônica Queiroz Freitas

Saúde

Bem-estar de poedeiras: sistema de criação e enriquecimento ambiental

Paschoal, Maurício Gava
C. P. Zeferino

José Valmir da Silva Taborda

Sanidade

Ação acaricida de compostos fitoterápicos sobre ácaro causador de dematite em galinhas poedeiras confinadas

Galinhas poedeiras criadas em sistemas de confinamento são parasitadas por espécies de ácaros e piolhos, os quais provocam prejuízos aos produtores devido à queda na produção de ovos, determinada principalmente pelo estresse sofrido pela ave (Guimarães et al., 2001). No estado de São Paulo, Tucci et al. (2011a), registraram um surto de dermatite causada por ácaros em granja de postura comercial na cidade de Bastos, noroeste do estado, causando sérios prejuízos ao produtor. Os ácaros causadores do surto são ectoparasitas da classe Arachnida, subclasse Acari, ordem Astigmata, Superfamília Analgoidea, muito próximos de Epidermoptidae, com família, gênero e espécie ainda não identificados, podendo se tratar de novo táxon, ou ainda, parasitas de outras espécies animais que se instalaram nas aves poedeiras em sistemas industriais de criação (Calnek, 1997; Guimarães et al., 2001). São acarinos pequenos que vivem entre a penugem e a pele, às vezes chegando entre as camadas mais superficiais da pele das galinhas, causando a descamação, principalmente na base das penas, mas nunca penetram profundamente (Reis & Nóbrega, 1956). As aves infestadas se apresentam agitadas, coçando-se o tempo todo. A lesão mais característica é a dermatite, que pode apresentar-se de formas diferentes nas varias partes do corpo. Os primeiros sinais são a descamação da pele, seguida do desprendimento de crostas com dermatite úmida de cor amarela, principalmente debaixo das asas (Tucci & Soares, 2011). A dispersão do ácaro se dá rapidamente, ocorrendo principalmente pelo contato direto. Aves sadias em contato com aves infestadas apresentam-se infestadas sete dias após o contato inicial e em cerca de 20 dias surgem os primeiros sinais de descamação da pele.

Soares, N. M.
Ono, M. A.
Oliveira,R

Outras Áreas

Comportamento dos patogênicos presentes no dejetos de poedeiras durante compostagem

A intensificação do setor produtivo de ovos vem trazendo tecnologias à avicultura de postura com instalações automatizadas em baterias verticais, aliando menores custos e preços finais ao produto tradicional. À medida que vão aumentando as aplicações e o uso dessas instalações, aumentam-se, também, as necessidades de manejo e tratamento dos dejetos gerados.
A compostagem é sugerida como uma alternativa de tratamento e reciclagem dos dejetos, tendo em vista que a tendência de preservação ambiental e ecológica por parte deste setor deve continuar de forma permanente e definitiva.

Fukayama, E. H.
Augusto, K.V.Z.
Lucas Jr, J.
Miranda, A.P.

Manejo

Métodos alternativos de muda induzida para poedeiras comerciais

A utilização de métodos alternativos de muda induzida para poedeiras comerciais tem se destacado atualmente, uma vez que esses métodos proporcionam melhores condições de bem-estar às aves e são menos agressivos. De acordo com Souza et al. (2010), a restrição total de alimentos, para redução de 25-30 % do peso corporal tem sido a técnica mais utilizada, principalmente por ser de fácil aplicação, ser menos onerosa e por originar resultados de desempenho mais satisfatórios após o processo de muda. Entretanto, esta técnica é contestada por levar as aves a situações severas de estresse, comprometendo as boas praticas de bem estar. Segundo Landres et al. (2005) para ser aceito pela indústria avícola, o método deve produzir o estímulo necessário para a indução à muda, garantindo regressão suficiente do sistema reprodutor, produção e qualidade dos ovos no período pós-muda semelhantes aos obtidos com o método do jejum.

Pelícia, K
Garcia E. A.
Berto, D. A.
Molino A. B.
Montenegro, A. T.
Murakami, E. S.
Santos, C, G,
Alves, J. V. F.

Nossos Parceiros
seifunMaxFilm
MSDvaccinar
AgroceresOrffa