Domingo, 24 de Março de 2019
Ciência e Tecnologia

Casas genéticas procuram reverter o surgimento do “espaguete de carne”
Campinas, 13 de Março de 2019 - Em sua edição do último domingo, 10 de março, The Wall Street Journal dedicou longa reportagem, assinada por Jacob Bunge,àquilo que o próprio jornal caracteriza como “nova aflição da indústria avícola”: o surgimento nas modernas linhagens de frangos de corte do chamado “peito de madeira” (“woodybreast”, em inglês).

A ocorrência não é nova: teve início por volta de 2010, ocasião em que começaram a surgir faixas brancas na carne dos frangos então criados. Mas foi só em 2013 que o problema passou a ser detectado, de forma mais visível, na carne de peito.

Embora mundialmente conhecida como “peito de madeira”, a denominação para essa miopatia não está sendo aceita pelos pesquisadores dedicados à solução do problema: eles a chamam de “espaguete de carne”, porque pode ser pego e separado à mão ou, então, perfurado facilmente com a ponta do dedo.

Para o Dr. Maximiliano Petracci, professor da Universidade de Bolonha (Itália) e um dos líderes da equipe de pesquisadores que investigam a ocorrência do problema, há indícios de que essa anormalidade esteja associada ao desenvolvimento de linhagens de rápido crescimento. Não é por menos, portanto, que as duas principais casas genéticas mundiais – Cobb-Vantress e Aviagen – investem intensivamente no equacionamento do “peito de madeira” (ou, para quem preferir, “espaguete de carne”).

Clique aqui para acessar, no The Wall Street Journal, a matéria sobre o maior desafio enfrentado na atualidade pelo melhoramento genético avícola. Nela é demonstrado, inclusive, que entre o início dos anos 1940 e o ano de 2017 o peso do frango vivo passou de cerca de 1,300 kg para cerca de 2,845 kg – quase 120% de aumento em menos de oito décadas.
(AviSite) (Redação)
Imprimir esta notícia...Enviar esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 24/03
Sexta-Feira, 22/03
Ovos: evolução do preço na Quaresma segue bem abaixo do alcançado no último triênio (06:51)
Quinta-Feira, 21/03
Avicultura em São Paulo em um qüinqüênio: ovos, 15% a mais; carne de frango, 11% a menos (06:34)
Ovos: mercado calmo e sem pressão sobre as cotações (06:18)
Produtor de ovos recupera participação em relação ao varejo (06:16)
Quarta-Feira, 20/03
Alojamento de Pintainhas de postura comercial aumenta 9,4% em 2018 (07:00)
Em mercado calmo ovos vermelhos tiveram leve evolução no preço máximo (06:01)
Terça-Feira, 19/03
Ovos: mercado calmo e reposição normal (06:56)



Últimos Clippings
Instituto Ovos Brasil faz parceria com academia para levar informações sobre os valores nutricionais do ovo
Conab avalia que aumento das exportações de soja podem afetar mercado interno
Pré-Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 terá Simpósio de Automação
Frango: preços sobem, influenciados pelo bom ritmo de embarques
Ovos: preços do branco e do vermelho têm movimentos distintos

Nossos Parceiros
seifunOrffa
AgroceresMSD
MaxFilm