Sexta-feira, 22 de Março de 2019
Matérias-Primas

Milho: pela primeira vez, suprimento superior a 100 milhões/t
Campinas, 15 de Maio de 2017 - A despeito de 2017 ter sido iniciado com o menor estoque inicial de milho dos últimos três anos e apesar das previsões de um recuo de 85% na importação do grão, a CONAB estima que o suprimento da corrente safra atingirá o maior nível da história, superando pela primeira vez a marca dos 100 milhões de toneladas.

Esse resultado, naturalmente, é reflexo do excepcional aumento da produção no corrente exercício – quase 93 milhões de toneladas pela previsão de maio corrente, volume que ainda pode superar em mais de 40% a frustrada safra de 2016 e que, na projeção atual, se encontra perto de 10% acima do recorde anterior, 84,672 milhões de toneladas na safra 2014/15.

Assim, somados estoques iniciais, importação e produção chega-se aos 101,3 milhões de toneladas de milho, volume que garante um suprimento total mais de um quarto superior ao da safra anterior, mas que se encontra apenas 4% acima do suprimento registrado duas safras atrás. Ou seja: exceto pelo fato de superar os 100 milhões/t, o suprimento não é tão expressivo quanto aparenta à primeira vista.

Note-se, aliás, que em relação ao consumo a CONAB está prevendo um crescimento (ainda duvidoso) de 5%, incremento que demandaria 56,1 milhões de toneladas do grão. Mas ainda que essa expansão ocorra, o consumo interno continuará inferior (-1,13%) ao de 2015.

Outra projeção ainda duvidosa diz respeito às exportações, em relação às quais a CONAB estima que cheguem aos 26 milhões de toneladas, quase 38% a mais que em 2016. Não serve ainda de referência, mas não custa observar que no primeiro quadrimestre de 2017 o total exportado não chegou aos 2,4 milhões de toneladas, correspondendo a menos de 20% do que se exportou em idêntico período do ano passado.

Em outras palavras, o efeito de um consumo reprimido e de exportações abaixo das expectativas recai sobre o estoque final que, no ano-safra encerrado em 31 de janeiro de 2018, pode superar os 20 milhões de toneladas. Será, também, um novo recorde e representará, provavelmente, o dobro do estoque final de dois anos atrás.

Naturalmente, isso tende a se refletir nos preços internos – algo que, em qualquer situação, não é bom nem para o produtor nem para o consumidor. De toda forma, está demonstrado que o País pode produzir muito mais que o alcançado até aqui e se inserir, de vez, no mercado internacional.

Como ocorreu com a soja, cuja produção, neste ano (113 milhões/t), deve praticamente empatar com a dos EUA (177 milhões/t segundo o USDA). Mas no tocante ao milho, ainda estamos longe. Pois a produção ora prevista pelo USDA para o Brasil (96 milhões/t) corresponde a, exatamente, um quarto das 385 milhões/t estimadas para os EUA na safra 2016/17.

width="430">
(Ovosite) (Redação)
Imprimir esta notícia...Enviar esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 22/03
Ovos: evolução do preço na Quaresma segue bem abaixo do alcançado no último triênio (06:51)
Quinta-Feira, 21/03
Avicultura em São Paulo em um qüinqüênio: ovos, 15% a mais; carne de frango, 11% a menos (06:34)
Ovos: mercado calmo e sem pressão sobre as cotações (06:18)
Produtor de ovos recupera participação em relação ao varejo (06:16)
Quarta-Feira, 20/03
Alojamento de Pintainhas de postura comercial aumenta 9,4% em 2018 (07:00)
Em mercado calmo ovos vermelhos tiveram leve evolução no preço máximo (06:01)
Terça-Feira, 19/03
Ovos: mercado calmo e reposição normal (06:56)
Segunda-Feira, 18/03
80% dos ovos produzidos no Brasil são destinados ao consumo (07:01)
Preço médio semanal da caixa de ovos brancos (06:59)
Ovos: em mercado especulado produtores alcançam primeiro reajuste da Quaresma (06:58)



Últimos Clippings
Instituto Ovos Brasil faz parceria com academia para levar informações sobre os valores nutricionais do ovo
Conab avalia que aumento das exportações de soja podem afetar mercado interno
Pré-Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 terá Simpósio de Automação
Frango: preços sobem, influenciados pelo bom ritmo de embarques
Ovos: preços do branco e do vermelho têm movimentos distintos

Nossos Parceiros
Agroceresseifun
OrffaMSD
MaxFilm