Sexta-feira, 22 de Março de 2019
Ciência e Tecnologia

Alemanha pretende, em dois anos, acabar com “machos” de postura
Campinas, 15 de Julho de 2015 - “Por que incubar e depois matar?” – pergunta Christian Schmidt, Ministro da Agricultura da Alemanha, referindo-se aos pintos machos das linhagens de postura. Contrariado com esse procedimento, o Ministro fixou meta no mínimo ambiciosa ao estabelecer “para 2017 (ou seja, em dois anos ou menos) o fim da matança dos machos de postura”.

Acabar com a matança dos machos não significa deixá-los sobreviver e, sim, não dispor mais de machos para sacrificar. Parece jogo de cena político, mas não é. Pois o que Schmidt pretende é partir da teoria para a prática, garantindo que, naquelas incubações em que as aves fêmeas sejam o objetivo, somente estas venham à luz. O que seria o “céu” para os produtores de pintos de postura e a resposta mais ansiada para os defensores do bem-estar animal.

Até agora, tudo o que se tem imaginado para equacionar a questão do sacrifício dos machos de postura gira em torno de um abate mais humanitário. A proposta alemã tem enfoque completamente diferente, pois se concentrou no pré-nascimento dos pintos, ou seja, no processo de incubação. O que, além de atender às necessidades de bem-estar animal, tem também implicações econômicas.

Ao propor sair da teoria para a prática, o Ministro da Agricultura da Alemanha refere-se a pesquisas que vêm sendo realizadas há alguns anos na Universidade de Leipzig. Elas conduziram a um processo que, através de luzes infravermelhas, possibilita identificar o sexo do embrião de ovos em incubação.

O que se pretende agora é desenvolver um protótipo que, além de operar grande número de ovos (ou seja, que tenha aplicação comercial), também separe ou descarte aqueles que contenham embriões machos. Para isso, a Universidade de Leipzig – Professora Maria-Elisabeth Krautwald-Junghanns à frente, coordenando o projeto – acaba de receber subsídio extra (isto é, além de outros que já vinha recebendo) no valor de um milhão de euros (quase R$3,5 milhões). Agora, porém, o projeto vai além da universidade e envolve, também, uma empresa privada que irá participar diretamente do processo de desenvolvimento do equipamento.

A destacar que essa é apenas uma das propostas alemãs para acabar com o sacrifício – considerado injustificável e antiético – dos pintos machos de postura. Outra proposição, já firmada mas ainda não iniciada, volta-se para o melhoramento genético. Pretende desenvolver linhagens com dupla finalidade – os machos, para o corte; as fêmeas, para a postura. Será um retorno às origens.
(Ovosite) (Redação)
Imprimir esta notícia...Enviar esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 22/03
Ovos: evolução do preço na Quaresma segue bem abaixo do alcançado no último triênio (06:51)
Quinta-Feira, 21/03
Avicultura em São Paulo em um qüinqüênio: ovos, 15% a mais; carne de frango, 11% a menos (06:34)
Ovos: mercado calmo e sem pressão sobre as cotações (06:18)
Produtor de ovos recupera participação em relação ao varejo (06:16)
Quarta-Feira, 20/03
Alojamento de Pintainhas de postura comercial aumenta 9,4% em 2018 (07:00)
Em mercado calmo ovos vermelhos tiveram leve evolução no preço máximo (06:01)
Terça-Feira, 19/03
Ovos: mercado calmo e reposição normal (06:56)
Segunda-Feira, 18/03
80% dos ovos produzidos no Brasil são destinados ao consumo (07:01)
Preço médio semanal da caixa de ovos brancos (06:59)
Ovos: em mercado especulado produtores alcançam primeiro reajuste da Quaresma (06:58)



Últimos Clippings
Instituto Ovos Brasil faz parceria com academia para levar informações sobre os valores nutricionais do ovo
Conab avalia que aumento das exportações de soja podem afetar mercado interno
Pré-Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 terá Simpósio de Automação
Frango: preços sobem, influenciados pelo bom ritmo de embarques
Ovos: preços do branco e do vermelho têm movimentos distintos

Nossos Parceiros
MaxFilmseifun
AgroceresMSD
Orffa