Notícias Comentadas

Notícias Comentadas no AviSite.


Opine

439 - Mensagens no fórum. | pg.9 de 44

 Produção brasileira de frangos atinge 13,08 milhões de toneladas
Responder

Nova Mensagem

ANTONIO CARLOS (22/12/2011 10:09:12)

Assim, ainda somos o terceiro maior produtor de frangos. Para ultrapassar as 18mi da China e as 20mi dos EUA demandamos apenas tempo.

 Acordo entre integrados sul-mato-grossenses e BRFoods ajusta preço pago por frango
Responder

Nova Mensagem

MARCIO BERNARTT (16/12/2011 11:35:27)

É realmente uma lástima saber que a BRF não chegou a um acordo com os produtores. Mas nós da Associação dos Avicultores do Oeste do Pr, apoiamos a iniciativa da Associação de Dourados e que continuem reivindicando até a empresa pagar o justo ao produtor. Dessa forma temos certeza que a empresa deverá ajustar estes valores, para que assim ainda haja uma atratividade na atividade de frango de corte.

Acordo entre integrados sul-mato-grossenses e BRFoods ajusta preço pago por frango
Responder

MILTON GALVãO DA SILVA (16/01/2012 13:43:59)

A integração na criação de frangos por todo lado está do mesmo jeito, numa hora matam a galinha de ovos de ouro, noutras a técnica do bode na sala e em outras o tiro no pé. Como não temos o que fazer com as instalações muitos continuam pagando para trabalhar para o aproveitamento de poucos. A frente total de trabalho é muito maior que muita montadora, que só usa profissionais qualificados, enquanto os avicultores integrados dá trabalho para classe de trabalhadores rurais e com isso evitando o êxodo rural. Quando será que vamos ter o nosso devido valor com respaldo financeiro e tudo mais?

Acordo entre integrados sul-mato-grossenses e BRFoods ajusta preço pago por frango
Responder

CLAUDIO CIEPLAK (22/12/2011 10:10:18)

não é só aí no mato groso que estão pagando para trabalhar. nós, também aqui no paraná, estamos enfrentando sérias dificuldades na atividade de avicultura.

 Indústria de frango pressiona lucro da Bunge, diz Goldman Sachs
Responder

Nova Mensagem

JOÃO HENRIQUE SALOMÃO SOBRINHO-ME- (16/12/2011 08:37:18)

Prezados Senhores do Cade. voces se preocuparam em fazer grandes fusões, mas não como está sendo o processo de abate e a quantidade de tempero injetado nos produtos da sadia. com um excesso de tempero pré-misturado com salmoura, e ainda discrimina que é somente 25%. eu, como consumidor,pediria a voces, ou à anvisa para fiscalizar todos os produtos da BRFOODS, para que não aconteça o que aconteceu, igual em Téofilo Otoni, faltou fiscalização.

 Crise no abate de aves em SC beneficia o PR
Responder

Nova Mensagem

HELIO DANIEL COSTA (16/12/2011 08:34:31)

Achei muito infeliz a matéria onde a empresa informa sobre a escassez de mão de obra no norte Catarinense. Vale ressaltar que a integração de aves daquela unidade estava centralizado no Planalto Norte Catarinense, região que é grande produtora de grãos e que possui grande número de mão de obra disponível, ainda que desqualificada. A região sedia uma unidade da Tyson que irá crescer muito a curto prazo. Na minha opinião a Unidade de Jaraguá do Sul estava completamente fora em termos logísticos, tendo seu abatedouro quase no centro da cidade. Alguns municípios se colocaram a disposição para um novo investimento do Grupo MARFRIG, como Mafra e Canoinhas, com potencial elevado em todos os sentidos para a atividade avícola bem como para a suinocultura. Tanto que a SADIA e AURORA anunciaram investimentos significativos em 2008 mas que foram suspensos em função da crise. Então a região não pode ser usada como um dos motivos pelo fechamento da Unidade da Seara em Jaraguá do Sul. O Planalto Norte Catarinense é sem dúvida alguma a última fronteira agrícola de Santa Catarina, o setor agroindustrial deve olhar com carinho para esta região. Atenciosamente,

Crise no abate de aves em SC beneficia o PR
Responder

ROSALMO ANTONIO PETTRES (22/12/2011 10:08:48)

Concordo plenamente. o município de Mafra, se não correr logo atras de uma agroindústria, vai ficar de favor pra todos os municípios vizinhos !

Crise no abate de aves em SC beneficia o PR
Responder

HELIO DANIEL COSTA (16/12/2011 08:37:37)

Fiz um comentário hoje pela manhã e não foi publicado. Mas reafirmo que a região de Mafra tem um grande potencial para sediar mais um abatedouro de aves ou suínos. Temos uma bacia hidrográfica importante, transporte ferroviário para trazer grãos do Norte do Paraná e Mato Grosso, e mão de obra em volume significativo, visto o baixo volume de indústrias na microrregião.

 Depenador de borracha natural onde achar?11.38721757
Responder

Nova Mensagem

SUSANA LEITE (15/12/2011 12:26:44)

Em resposta ao pedido da procura por depenadores de borracha,tenho ao informar que em SP tem a Mello artefatosavicolas que fabrica depenadores de corracha natural. Lá eles fabricam os produtos com boa qualidade. Atenciosamente, Susana

 Fatia de Molina no Marfrig sobe de 46,16% para 46,99% em novembro
Responder

Nova Mensagem

JOSé SILVEIRA NETO (15/12/2011 09:59:28)

Também! com o aval do CADE e empréstimos do BNDES para receber empresas lucrativas da BRF, até a vóvó!

Fatia de Molina no Marfrig sobe de 46,16% para 46,99% em novembro
Responder

JOSé SILVEIRA NETO (15/12/2011 09:59:34)

Também! com o aval do CADE e empréstimos do BNDES para receber empresas lucrativas da BRF, até a vovó!

 Mendes Ribeiro Filho pretende regionalizar sanidade agropecuária
Responder

Nova Mensagem

JOSé SILVEIRA NETO (15/12/2011 09:58:59)

Então, lá vem o novo Ministro da Agricultura com mais um trenzinho da alegria. serão mais 400 funcionários públicos para atuar nos estados de acordo com a política de regionalização que ele quer introduzir no MAPA. Pergunto: O que será feito com as estruturas estaduais existentes e responsáveis pelos mesmos serviços? A conta que já não é barata será paga por todos nós. O MAPA deveria ficar numa posição corporativa definindo normas e regras a serem seguidas e observadas pelos estados, mas o ministro confundiu o termo corporativo com corporativismo e lá vamos nós, mais 400 cargos na corcunda do povão. Êta PT!

 Frango, ovo, milho e inflação
Responder

Nova Mensagem

VANICE ECHER CALAI (14/12/2011 16:39:31)

Existe alguma solução para o produtor de ovos?

 Seara fecha unidade de aves em Jaraguá do Sul, SC
Responder

Nova Mensagem

JOSé SILVEIRA NETO (12/12/2011 10:53:52)

É nessa empresa que o BNDES está injetando recursos subsidiados para aquisição/troca de ativos com a BRF. Os avicultores, suas famílias e funcionários, certamente não são motivos de preocupação dessa empresa. Estamos cada vez mais preocupados com o meio ambiente, com os lucros e deixamos de nos preocupar com os seres humanos. É uma vergonha. Alguém deveria fazer um balanço do strike que essa medida provocará naquela região, por conta da falácia de uma desculpa falsa. Jaraguá do Sul em SC está muito próxima dos centros produtores de milho. Enfim,o importante é segurar o pepino da má administração do MARFRIG, não é mesmo?

Seara fecha unidade de aves em Jaraguá do Sul, SC
Responder

JOSé SILVEIRA NETO (15/12/2011 09:59:58)

Com um presidente de associação comercial e industrial desses, Jaraguá do Sul não precisa de inimigos, já os tem e, certamente, daqui a pouco esse individuo vai pedir votos para se candidatar à Prefeitura de Jaraguá do Sul. os avicultores todos vão votar nele, espere só.

Seara fecha unidade de aves em Jaraguá do Sul, SC
Responder

ALEXANDRE CESAR (14/12/2011 16:42:05)

o fechamento de uma indústria é péssimo para todos, mas o gravame é a alta carga tributária que pagamos sobre o milho somados aos fretes, se tivessemos estradas de ferro isto reduziria bastante, teríamos mais qualidade ambiental, menos mortes nas BRs e tudo mais, mas sabe quando isto ira acontecer? é isso não sabemos pois nossas lideranças não se preocupam conosco.

 Custo da avicultura no MS preocupa Famasul
Responder

Nova Mensagem

JOSé SILVEIRA NETO (12/12/2011 10:53:06)

Finalmente, leio alguma coisa que faz sentido no campo da avicultura e vem do MS, mais especìficamente, da FAMASUL. Tenho insistido em vários comentários a essa revista que temos uma crise de alta gravidade permeando a avicultura brasileira, porém, sem nenhum reflexo prático. Uma ou outra manifestação nessa mesma direção é exceção. No geral as notícias vêm sob a égide do otimismo, entusiasmo e até ufanismo, como ocorreu no último Congresso Brasileiro de Avicultura em SP. A essência do problema é bem a que foi colocada pela FAMASUL: Há necessidade de investimentos para colocar a produção avícola brasileira de acordo com todos os protocolos de boas práticas de produção, porém, paramos nas exigências esquecendo-nos de que os produtores lá da base da pirâmide não têm rentabilidade suficiente para novos investimentos. A solução dependerá da criação dessa consciência de forma que todos os agentes envolvidos nesse cenário se disponham a sentar e, conjuntamente, redefinir as estratégias a serem adotadas e a participação de cada um, produtores, indústria e governo. Se isso não for feito com urgência, essa bolha já já vai explodir. Não acreditam? Perguntem ao Presidente da APINCO! Perguntem, igualmente aos donos de pequenos e médios frigoríficos espalhados pelo país. Os recursos do governo estão sendo canalizados para os grandes grupos, num processo de estímulo à concentração nunca visto antes neste país. O BNDES estimula aconcentração, o CADE faz de conta que controla a formação de oligopólios e monopólios e daqui a pouco estaremos com o setor de alimentos tão concentrado quanto o de bancos.


1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30  31  32  33  34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44 

Busca

Nossos Parceiros
SafeedsAgroceres
DeHeushatchtech
PleyadesAdisseo
MSD